sexta-feira, 11 de abril de 2008

Poetando...


Mar revolto que se derrama em palavras rasas
arrancadas do mais fundo me mim.

**********************************************************

A luz do teu rosto desespera a minha calma.
Como é grande esse desgosto de andar tão perto da tua alma,
e tão distante do teu corpo!

***********************************************************
Amor carnal que lanha a minha pele e o meu peito.
Coisa quente e boa que me faz mal.
Mel amargo que me deixa insatisfeito.

Nenhum comentário:

Para pensar

Todo mundo, alguém, qualquer um e ninguém Esta é uma história de quatro pessoas: TODO MUNDO, ALGUÉM, QUALQUER UM e NINGUÉM. Havi...