domingo, 6 de abril de 2008

Informação ou promoção pessoal?


Dizem as más línguas que o programa Herval Repórter, levado ao ar aos sábados pela “Rádio Comunitária” 104.9 FM, perdeu completamente o seu caráter informativo se transformando num programa (ou seria palanque?) eleitoral de um único partido, ou seja, dos partidários do atual governo.
Quem acompanhou a transmissão do programa no último sábado (05/4) diretamente da Caravana Rural reclama que as entrevistas foram trocadas pelos discursos inflamados pró-governo e a voz da comunidade foi abafada para dar vez ao desfile das autoridades governistas, as quais não teriam se pronunciado em tom de autoridade, mas sim de candidatos nas próximas eleições. Um verdadeiro comício, com direito a participação de todo o primeiro escalão, de prováveis apoiadores políticos-eleitorais e tudo mais, segundo a opinião de alguns.
Segundo se comenta, o chefe do Executivo municipal teria deixado de ser prefeito por algumas horas para reforçar o time de partidários, digo apresentadores, sendo apresentado simplesmente como o “nosso amigo” Marco Aurélio, conforme a voz de um repórter chefe de gabinete da administração. O estranho é que o Sr. prefeito teria se pronunciado em alto e bom som em nome da administração, inclusive nomeando a Caravana Rural como o grande feito do seu governo, o que contraria o anúncio de que ele havia “renunciado” ao mandato durante a apresentação do programa. Um espetáculo deprimente.
O papel de um veículo de comunicação, sobretudo uma Rádio Comunitária é informar e promover o debate sobre os casos e coisas da comunidade, enfocando a notícia por todos os lados e opiniões. Certo? O problema é quando a informação vira desinformação e o debate político é substituído pela propaganda de governo.
Fiquemos de olhos e ouvidos bem abertos!

Um comentário:

Getúlio Dorneles disse...

Por ventura alguém gravou esse programa e outros que o Prefeito tenha participado?

Para pensar

Todo mundo, alguém, qualquer um e ninguém Esta é uma história de quatro pessoas: TODO MUNDO, ALGUÉM, QUALQUER UM e NINGUÉM. Havi...