quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Enfim, férias!


Ninguém é de ferro e tem direito a um período para renovar as forças e recarregar as baterias. Eis que esse meu momento chegou.

Assim, o blog do Toninho também terá um breve recesso para que eu possa relaxar e curtir mais sossegadamente minhas férias.

Rapidinho estou de volta e obrigado pela companhia constante de todos e de cada um.  Até breve!



Momento poético




Congresso Internacional do Medo


Provisoriamente não cantaremos o amor,
que se refugiou mais abaixo dos subterrâneos.
Cantaremos o medo, que esteriliza os abraços,
não cantaremos o ódio, porque este não existe,
existe apenas o medo, nosso pai e nosso companheiro,
o medo grande dos sertões, dos mares, dos desertos,
o medo dos soldados, o medo das mães, o medo das igrejas,
cantaremos o medo dos ditadores, o medo dos democratas,
cantaremos o medo da morte e o medo de depois da morte.
Depois morreremos de medo
e sobre nossos túmulos nascerão flores amarelas e medrosas


(Carlos Drummond de Andrade)

Aprendendo com os bichos


Se o trabalho não for em equipe, os predadores externos atacam e fazem um estrago, sendo que aquele que hoje escapa do ataque pode ser a vítima de amanhã. No entanto, quando o time está fechado e jogando junto, sob uma liderança forte, lúcida e parceira dos seus, não é qualquer predador que faz a festa ou coloca a manada para correr.




quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Pitada filosófica



Licença poética



Peço licença uma vez mais para entregar-lhes novas palavras simples e sutis, arrancadas do fundo do baú do meu ser e inspiradas na minha musa imaginária...


Talvez não saibas, mas até a imortalidade se rendeu a tua beleza.

Afinal, ela é fonte de inspiração e fora imortalizada pela obra dos maiores pintores e dos mais renomados poetas.

Ela também está na dança, nas melhores músicas, na exuberância dos atletas, na leveza da criança e no desvario dos loucos pela tua graça.

Nem só de pão viverá o homem





terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Planejamento e ação



Criada em 2012, a Secretaria Municipal de Planejamento, Projetos e Meio Ambiente – SEMPLAMA – nasceu e continua com a missão de ser um órgão estratégico do governo, constituindo-se na principal responsável por estabelecer as relações políticas visando à conquista de novos investimentos e no ponto de partida e de chegada dos procedimentos técnicos e administrativos exigidos para a realização de obras e aquisição de veículos e maquinários, além de capitanear a política ambiental do município. Contudo, nem sempre a importância, o trabalho e as ações da SEMPLAMA aparecem ou são notados, provavelmente pelo fato dela não ser uma secretaria de ponta, uma vez que sua finalidade é funcionar como estrutura que atua primordialmente no interior da administração, oferecendo apoio e suporte a todas as demais estruturas da administração. Diante disso, eu que costumo jogar para o time e prefiro passar a bola para outros fazerem o gol, utilizo esse espaço no intuito de puxar a brasa para o meu assado e de toda a equipe que tenho a tarefa de comandar.

Apesar dos limites e adversidades próprios do momento que atravessamos na vida pública de sul a norte do país, é possível dizer que no ano de 2017 semeamos novos e bons frutos que brevemente poderão ser colhidos e encerramos mais um ano à frente dessa pasta tão importante com o registro de um saldo extremamente positivo, cumprindo aquilo que é nossa atribuição e razão de existir. O espaço é curto para relatar tudo o que foi feito, mas cabe e é importante realizar um relato resumido das ações desenvolvidas ao longo do ano que acaba de findar:

- Conclusão da obra de calçamento de ruas no bairro Caixa D’ Água; apronte e entrega de 20 unidades habitacionais do programa Minha Casa, Minha Vida; encerramento de pelo menos três processos de prestação de contas relativos a investimentos iniciados no governo anterior; aquisição e liberação de um trator agrícola; prorrogação dos convênios e repactuação com a Funasa da estratégia de contratação dos mesmos na ideia de agilizar a retomada da instalação de sistema de abastecimento de água em assentamentos rurais; finalização e encaminhamento para os respectivos processos licitatórios dos projetos que preveem a construção de prédio do CRAS, aquisição de calcário para correção de solo e a reconstrução de ponte no assentamento São Virgílio. Adoção das providências cabíveis voltadas a efetivar novos investimentos, os quais se encontram em fase de tramitação, sendo eles: instalação de cozinha comunitária multiuso para processamento de frutas e hortaliças no assentamento São Virgílio e reforma da Casa do Mel no assentamento 18 de Maio; aquisição de kits para produção de hortaliças; pavimentação de um trecho da rua Pe. Francisco Hillman; aquisição de equipamentos para a Patrulha Agrícola; compra de insumos para correção de solo; busca de investimentos por meio de emendas parlamentares e Consulta Popular pertinente aos orçamentos da União e do governo do estado para o ano de 2018, já divulgados em edição anterior de O Herval.

Além das suas tarefas próprias e específicas, como já fora dito, a SEMPLAMA também disponibiliza apoio administrativo e suporte técnico permanente a todas as secretarias municipais e até mesmo entidades da nossa sociedade. Nesse aspecto, também cumpre destacar algumas ações realizadas em 2017: encaminhamento do pedido de patrocínio para o Carnaval junto a Corsan; elaboração e encaminhamento de projeto de instalação de Academia ao Ar Livre; adoção das medidas necessárias junto à Secretaria de Desenvolvimento Rural do RS para renovação dos Termos de Compromisso que asseguram o empréstimo de maquinário destinado a abertura de bebedouros e recuperação de estradas, além de doação ao município de implementos agrícolas usados; busca de parceria com a SDR/DINFRA para garantir a perfuração de dois poços artesianos no assentamento São Virgílio; apoio na montagem da estrutura do Feliz Natal Herval; suporte técnico e administrativo na reconstrução de ponte no Passo dos Vimes; participação no processo de debate e regularização de áreas rurais; pedido de doação de veículos usados destinado às secretarias de Assistência Social, Obras e Agropecuária; pedido de permanência do veículo do programa Dissemina.

E mais o trabalho para assegurar a adequação dos prédios públicos e sedes de comunidades rurais às normas do PPCI; parceria com a SECULT visando instituir política de preservação do patrimônio histórico da nossa cidade; encaminhamento junto ao IPHAN do pleito de cessão de uso da estação ferroviária da Vila Basílio; envolvimento no trabalho de melhorias no parque aquático; projetos de acessibilidade e de melhorias em habitações populares demandadas através da assistência social e Conselho de Habitação; projeto de ampliação da escola Carolina Anália Morais Sais; projeto de reforma e ampliação da sede da associação comunitária do assentamento Nova Herval; projeto de reforma e ampliação da sede do SIMHER; projeto de reforma do Centro Espírita Lobo da Costa; projeto de ampliação do prédio do Lar do Idoso; projeto de PPCI para a Brigada Militar; busca de doação ao município de área da extinta COHAB.

Em termos ambientais, o destaque fica por conta da expedição de 72 certidões ambientais; a oferta da coleta periódica de lixo eletrônico; o encaminhamento de projetos junto à FUNASA pleiteando à aquisição de caminhão para a coleta de lixo e a construção de módulos sanitários urbanos e rurais; a coordenação do processo de elaboração do Plano Municipal de Saneamento e a grande conquista do atual governo até aqui que é o projeto para coleta e compostagem de resíduos orgânicos urbanos.

Para finalizar, reafirmo que a SEMPLAMA cumpre um papel imprescindível, muitas vezes invisível aos olhos de muitos, de interligar atores dentro e fora da administração, assim como além dos limites do município, com o objetivo de formular e transformar projetos em desenvolvimento e qualidade de vida. Em outras palavras, a pasta que comando veio para ficar e vem dando o melhor de si visando amparar o conjunto da prefeitura na caminhada rumo ao alcance ou tirar do papel novos investimentos, permitindo que o resultado final seja a vitória de Herval e de todos os hervalenses. 

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Ato político


Eis a pergunta que não quer calar e que a cada dia a resposta fica mais nítida:

Justiça ou perseguição política de quem sabe que nas urnas o buraco é mais embaixo e o jogo pode virar?

Tempo recorde para julgar Lula: Justiça ou perseguição?



Tempo médio de julgamento da Lava Jato no TRF-4 até outubro de 2017 era de 14 meses e meio; Lulaserá julgado em apenas 4 meses
O tribunal [de exceção] da Lava Jato corre.
Tem pressa. Mas só em relação ao ex-PresidenteLula.
Ao anunciar que o Tribunal Regional Federal da 4ª região agendou para o dia 24 de janeiro de 2018 o julgamento de Lula, o desembargador Leandro Paulsen dá mais uma prova irrefutável do viés político dessa operação que, para inviabilizar o ex-presidente Lula, apropriou-se do discurso de combate à corrupção de maneira a manipular a opinião pública.
Desde seu início, a Lava Jato tem em Lula seu troféu.
A tramitação do processo de Lula aconteceu em tempo recorde.
Foram apenas 42 dias, entre a condenação dada pelo juiz Sérgio Moro e o início da tramitação do recurso no TRF-4.
Foi o mais rápido da Lava Jato.
Como se não bastasse, ao compararmos o julgamento do recurso de Lula com a média dos demais da Lava Jato no TRF-4 não restam dúvidas da perseguição ao ex-presidente.
De 2015 a 2017, o tempo médio foi de 11 meses.
De janeiro a outubro de 2017, o tempo médio aumentou, foi de 14 meses e meio até.
Mas, curiosamente, a partir de outubro, os processos da Lava Jato no TRF-4 passaram a andar com muito mais celeridade, como chegou a registar a Folha de S.Paulo: “Decisões de tribunal que julgará Lula ficam mais rápidas”.
Prossegue a matéria: “A tramitação de processos criminais na segunda instância da Lava Jato em Porto Alegre, que julgará o ex-presidente Lula, ficou mais rápida. Nos últimos meses, com o acúmulo de processos e uma base de decisões precedentes, o TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) intensificou a quantidade de julgamentos da operação”. (Folha de S.Paulo 28/11/2017).
Mas o que teria acontecido em outubro para que o tribunal da Lava Jato adotasse tais medidas?
Em outubro, o Ibope divulgou uma pesquisa em que Lula aparecia consolidado com 35% de intenção de votos para o cargo de Presidente nas eleições de 2018. O segundo lugar aparecia com apenas 13%.
Essa foi a primeira pesquisa realizada por esse instituto que captava o sentimento dos brasileiros e brasileiras após a primeira caravana de Lula pelo Brasil, que aconteceu no Nordeste e se encerrou em setembro.
De lá para cá, Lula se mantém cada vez mais isolado na liderança em todas as pesquisas que são realizadas no país, inclusive, com possibilidades de vencer a eleição de 2018 no primeiro turno.
Diante destes cenários, de vitória de Lula, a Lava Jato resolveu acelerar.
Confirmado o julgamento para o dia 24 de janeiro, serão apenas 5 meses para julgamento do recurso do ex-Presidente Lula pelo TRF-4.
Considerando o recesso do Judiciário, entre dezembro e janeiro, em que não haverá qualquer trabalho, esse tempo cai para apenas 4 meses.
Mais uma vez, Lula será julgado em tempo recorde.
O que nós brasileiros exigimos desse tribunal de exceção, que virou a Lava Jato, é que ninguém esteja acima, nem abaixo da lei.
Ninguém, nem Lula.
Paulo Pimenta, líder  da bancada do Partido dos Trabalhadores na Câmara dos Deputados.

Rir é o melhor remédio



quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Cenas da vida inventada





Momento poético



As pessoas amam bem mais a expectativa do amor possível, que o amor propriamente dito. Daí a intensidade dos impulsos bloqueados, os que estão impedidos de expansão e movimento na direção do objeto amado. Os "grandes amores" da literatura são grandes, não por serem amores, mas por serem impossíveis.

Já os grandes amores da vida real só quem sente é que sabe. A impossibilidade de dimensionar um impulso afetivo carrega de energia a fantasia. E esta se encarrega de dar dimensão ao que o exercício da relação, talvez, tirasse. Na paixão impossível só estão as projeções do que idealizamos, pretendemos ou não conseguimos viver em nosso cotidiano. Daí ser fácil entender sua força, sua obsessiva presença na cabeça dos enamorados.

É por isso, aliás, que só é musa quem é inatingível. Case-se com a sua musa e acordará com uma jararaca... Case-se com quem ama e será feliz. Quer se ver livre de uma paixão colossal? Vá viver com a pessoa objeto da paixão (observem, por favor, que não estou usando a palavra amor). Aliás, já está nos clássicos e, mesmo, antes destes, nos antigos: "A conquista enobrece e a posse avilta". Ou, como dizia Goethe: "Nas batalhas da paixão, ganha aquele que foge".

Quantas vezes as relações humanas terminam ou se interrompem sem terem esgotado o potencial de possibilidades adivinhadas, intuídas, sentidas. Aí, o que não se esgotou clama por vir à tona e, muitas vezes, ameaça ocupar (e às vezes ocupa, efetivamente) todo o "ego".

Não é por outra razão que o apaixonado é o maior dos egoístas. Ao dedicar tudo ao objeto da paixão, está é alimentando a própria necessidade, seja de sofrimento, de idealização, de felicidade ou fantasia. Entupido de impossibilidades, ele clama. E a isso muitos chamam amor. Mas amor é coisa muito diversa... Amor não clama nem reclama: amor dá. 


terça-feira, 2 de janeiro de 2018

Música para os meus ouvidos


"Ta com tudo, mas ta carente, indiferente nada satisfaz. Cadê, cadê a humanidade em você"...
Humberto Guessinguer sempre contemporâneo dos nossos tempos e certeiro quando aborda e desnuda as sombras que humanidade produz no mundo.





Autorretrato

E daí que faz frio? Tenho o fogo do afeto e o calor da minha alma faiscante.