quinta-feira, 3 de abril de 2008

Poetando...


Vivo virtualmente o real
E realmente o virtual.
Coisas da era da informática
Ou deformação do meu ser?

****************************************

Aperte o cinto.
Sinto informar que jogo de cintura
Não segura a vontade e a verdade da vida.

***************************************

Acordo quatro horas da manhã com vontade de cuspir.
Pego papel e caneta e rabisco palavras como escarro.

*****************************************

Ar e chuva chuvarada
Chuva arando a terra seca do meu ser.

*****************************************

Amarela, a cor da casa dela
AMAR ELA
Amar e morrer de amor

Nenhum comentário:

Para pensar

Todo mundo, alguém, qualquer um e ninguém Esta é uma história de quatro pessoas: TODO MUNDO, ALGUÉM, QUALQUER UM e NINGUÉM. Havi...