quinta-feira, 31 de março de 2011

Prevalecerá a solução ou a velha política do jeitinho?



A Câmara Municipal se vê às voltas com duas situações muito sérias em relação ao seu quadro de pessoal. A primeira diz respeito à inconstitucionalidade de alguns cargos, apontada pelo Ministério Público no início do corrente ano. A segunda se refere às dificuldades, eu diria quase impossibilidade, de manter os gastos com pessoal no patamar atual, tendo em vista a enorme restrição orçamentária na qual vive o Legislativo.
Diante do quadro acima apresentado, os vereadores Claudiomor Inhaia e Solange Tavares, acabam de submeter ao plenário projeto de lei que visa por um lado adequar todos os cargos da Câmara aos preceitos constitucionais e, por outro lado, extinguir alguns cargos políticos, de modo a permitir que o Legislativo não ultrapasse o limite orçamentário de 70% com gastos de pessoal estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal, quando forem realizadas as nomeações dos aprovados no pretendido concurso público.
É bom lembrar que a recente queda da arrecadação do município somada ao “inchaço” no quadro de servidores da Casa Legislativa hervalense criado nos últimos anos, obrigou que no ano passado fosse procedida à redução dos salários dos detentores de cargos em comissão e dos subsídios dos vereadores. Diante disso, a direção da Casa vem encontrando sérias dificuldades não apenas para garantir a recomposição dos valores perdidos, mas também para proceder às reposições legais a que fazem juz funcionários e ocupantes de mandato eletivo.
No entanto, a maioria dos vereadores prefere fazer de conta que este quadro dramático sob o ponto de vista (in) constitucional e financeiro não existe. Há rumores, inclusive, de que ao invés de promover as adequações ou reduções propostas, alguns dos edis estariam mais interessados em aproveitar a ocasião para defender a manutenção ou até o aumento do número de cargos. E adivinhem por quê? Que ninguém nos ouça, mas a minha suspeita é de que àquelas figuras que desfilavam tão imponentes e corajosas pelos palanques durante o período eleitoral, agora não terão peito para bancar e absorver o desgaste de ter que extinguir cargos ocupados por antigos cabos eleitorais. Alguém duvida?
Mas e a lei? Que se dane a lei. Ao que tudo indica, um cabo eleitoral exercendo um cargo político tem mais importância que o interesse público e a saúde financeira de um Poder que, além de ser o responsável por fazer as leis, tem o dever legal de fiscalizar as ações do Poder Executivo. Mas como diz o velho ditado, façam o que eu digo e não façam o que eu faço.
Ao que tudo indica também, o Legislativo Municipal está em vias de agir como Poncio Pilatos, lavando as mãos e deixando não apenas de sanar por si mesmo a inconstitucionalidade apontada pelo MP, como também desperdiçando esta oportunidade para estabelecer uma estrutura de pessoal e administrativa que melhore sua organização e funcionamento e que seja, além disso, mais adequada a sua realidade financeira atual. Aguardemos a votação do projeto em tramitação, mas a julgar pelas falas de plenário e pelas manobras de bastidores, a velha política do jeitinho tende a prevalecer novamente sobre a esperada e necessária solução. Lamentável!

quarta-feira, 30 de março de 2011

Vereadora Solange renuncia ao cargo de Secretária





A Vereadora Solange Tavares (PMDB) apresentou, na sessão ordinária realizada ontem (29/3), sua renúncia do cargo de Secretária da Mesa Diretora do Poder Legislativo Municipal.
Em seu documento de renúncia, Solange alega que “aprendeu cedo que os incomodados devem se retirar quando as situações não lhe agradam”. Ela também argumenta “não se sentir confortável nas situações que vem observando, que não condiz com a verdadeira democracia e transparência”.
Ainda segundo as palavras da vereadora, “sempre procuro ser tranquila e responsável nas minhas decisões e jamais permiti ou permitirei que qualquer que seja a autoridade venha me enfrentar no grito”.
Diante da renúncia da vereadora do PMDB, a função de 1º. Secretário da Câmara Municipal passa a ser exercida pelo vereador Elio Soares (PDT).

Câmara realiza sessão solene







A Câmara Municipal realizou sessão solene na noite de ontem (29/3) para proceder à entrega do título de cidadão hervalense outorgado ao Dr. Adriano Damásio. A solenidade foi realizada logo após a sessão ordinária do legislativo e foi prestigiada por um número significativo de pessoas.
A homenagem foi procedida em cumprimento à propositura de iniciativa do vereador Jackson Xavier (PDT), ainda do ano de 2009.
Em longo e comovente discurso, o homenageado disse estar recebendo tal honraria muito mais por bondade das pessoas desta terra que o acolheu tão bem, do que pelo seu próprio merecimento. Mas quem conhece o extenso e rico currículo do Dr. Adriano, sabe que suas palavras traduzem apenas uma entre suas tantas qualidades humanas: a humildade.
Na sequência o homenageado assumiu às vezes de mestre de cerimônia para, em nome do Conselho Regional de Pastores, prestar homenagem aos parlamentares Solange Tavares e Jackson Xavier, como reconhecimento a atuação legislativa de ambos em apoio e solidariedade ao Encontro Nacional de Cristãos, realizado anualmente no município desde o ano de 2009.

segunda-feira, 28 de março de 2011

Filosofando...


Trago à luz pública trechos de uma "carta pedagógica" que escrevi a um grande orientador e saudoso amigo, no ano de 2005:


Sempre gostei de diferenciar pensamento crítico de pensamento revolucionário. Para mim, todo pensamento revolucionário é crítico, mas nem todo o pensamento crítico é revolucionário.
Esta diferenciação é fundamental para compreendermos as mazelas que andam pelos corredores do poder e da disputa pelo poder. Há pouco defendíamos que o nosso grupo era o mais forte, não por ser o mais numeroso ou o mais honesto, mas porque reunia as melhores condições de analisar criticamente o desenrolar das coisas e de oferecer respostas coerentes e consistentes para solucionar os problemas que dizíamos inquietar o povo do Herval. Este reconhecimento das nossas virtudes é importante, apesar dos ventos terem mudado, e o esforço agora seja para que os defeitos de cada um apareçam com mais evidência. Mas partir da supervalorização da nossa força ou da subestimação da força do adversário pode ser uma arma ou uma armadilha. Pode ser um começo ou o nosso fim, se não acompanharmos com presteza seus desdobramentos.
Devemos ter um olhar crítico sobre nossos adversários e sobre nós mesmos. Mas do outro lado, nossos adversários irão sempre analisar criteriosamente nossos passos. Por isso, volto a insistir, não podemos confundir pensamento crítico com pensamento revolucionário. O pensar crítico é o que reúne força para mover as coisas do lugar, é o que tira proveito das circunstâncias para atingir seus objetivos, que nem sempre são virtuosos. Já o pensamento revolucionário é revolucionário porque procura mudar a ordem das coisas, não em proveito próprio, mas em prol das mudanças no conjunto da sociedade, respeitados os limites da sua época e lugar. Quando subestimamos a força do adversário, quando achamos que somos capazes de ver coisas que ninguém mais vê, ou fazer jogadas que ninguém mais faz, corremos o risco de enfeitar tanto o lance, a ponto de o adversário tomar a bola dos nossos pés, sem precisar cometer nenhuma “falta”.
Essa é a pedra que devemos carregar permanentemente em nossos sapatos, ainda mais aqui, no “olho do furacão”. Nossa presença no ambiente institucional, por si só, não é suficiente para mudar o estado das coisas, por mais qualidades que tenhamos. Temos a responsabilidade de distinguir claramente nossos alvos dos nossos obstáculos, pois dispersar-lhes o mesmo tratamento representaria um grave desperdício de munição. Nossos alvos são para ser atingidos enquanto que os obstáculos são para ser transpostos, e muito mais que constatar o óbvio, aqui pode estar uma importante contribuição ao nosso debate. Temos também a responsabilidade de medir a nossa força e a força dos adversários que, muitas vezes, fingem vestir a “nossa camisa”. Essas forças se manifestam com mais nitidez aqui, mas antes de tudo, são à expressão das relações hoje estabelecidas na nossa sociedade.
Não, não é difícil usar os rigores da lei para tentar impor uma punição aos corruptos e corruptores. O difícil é mudar as relações que produzem a corrupção. Qual é mesmo a repercussão de uma briga sem trégua contra a sem-vergonhice quando estamos em desvantagem na institucionalidade e, principalmente na sociedade? Aqui é possível construir alguns acordos tirando proveito dos interesses imediatos, de uns e outros que procuram manter, ampliar ou recuperar seu poder de influência. Mas qual é o nosso poder de “barganha” na sociedade, objetivando a sua reinvenção? Com a força que nós temos atualmente, apontar a sujeirada de hoje significa inaugurar um tempo de purificação na administração pública, ou apenas abrir caminho para que a sujeirada de ontem caia no esquecimento, e acabe voltando por cima da carne seca?
Não estou sugerindo que devemos varrer a sujeira pra debaixo do tapete. A questão é: como fazer de nossas brigas um momento inseparável de denúncia e anúncio? O que fazer para ir limpando a sujeira e, ao mesmo tempo, ser capaz de edificar estruturas e relações claras e cristalinas em seu lugar? Como matar a cobra, mostrar o pau e ganhar a adesão crescente dos oprimidos da nossa sociedade? Não se trata, portanto, de querer avançar mais e mais passos no terreno institucional, mas de caminhar rumo à conquista da nossa hegemonia na sociedade. De que nos adianta contar com os melhores “professores” se não tivermos “alunos” matriculados em nossa “escola”? Por isso, é fundamental não botar a perder o pouco que conseguimos juntar, por precipitação ou imperícia.
Penso que os “temas” não podem ser tratados no ambiente institucional da mesma forma que poderiam ou deveriam ser abordados nos ambientes eminentemente pedagógicos. Há temas, há formas ou momentos de abordá-los que nos fazem perder tempo e espaço no embate eminentemente político. Aqui os temas e as tramas tendem a adquirir novos contornos e a escapar demasiadamente do nosso “controle”, podendo se voltar violentamente contra nós. E as partidas perdidas no campo institucional podem forçar o recuo de todo o nosso time; inclusive dos que disputam o jogo em outros gramados.
Acho que pela primeira vez em minha vida estou tendo a oportunidade de caminhar com os pés no chão e nem por isso deixarei de perseguir o brilho distante das estrelas. É o que penso. Poderia acrescentar muitas outras coisas, mas acredito que estas palavras já estão de bom tamanho para inaugurar nossa reflexão. Conversaremos.

quarta-feira, 23 de março de 2011

Nem só de pão viverá o homem



Recado de Amigo
(André Luiz)

Evidentemente, o Senhor não nos exige espetáculos de grandeza.

Nem sempre conseguirás o dinheiro suficiente ou movimentar as providências precisas para atender a todos os necessitados ou socorrer a todos os doentes.

Nem sempre disporás de recursos a fim de erguer escolas ou construir albergues que favoreçam aos companheiros ainda ignorantes ou infortunados.

Entretanto, convém recordar, em nosso próprio benefício, que todo instante é momento de auxiliar para o bem e de que nunca é tarde para sorrir.

terça-feira, 22 de março de 2011

Reestruturação dos cargos e funções da Câmara em debate



Os vereadores Claudio Inhaia e Solange Tavares apresentaram projeto substitutivo ao PL 001/2011, que versa sobre a reestruturação administrativa e do quadro de cargos e funções da Câmara Municipal.
O projeto será submetido ao debate do plenário na sessão ordinária de hoje (22/03), após receber reparos de ordem redacional e de conteúdo por parte de seus autores.
As alterações no projeto se fizeram necessárias, de modo a adequá-lo aos termos propostos pelo Ministério Público para firmar TAC com vistas a realizar concurso público na perspectiva de sanar a inconstitucionalidade apontada no provimento de alguns cargos do Legislativo.
No caso do projeto ser rejeitado, a Câmara deverá sofrer ação direta de inconstitucionalidade, determinando a extinção dos cargos irregulares e a possível devolução dos valores que teriam sido pagos indevidamente por parte dos presidentes que procederam a nomeações para os cargos em questão.
O substitutivo ao PL 001/2011, prevê a extinção de cerca de meia dúzia de cargos da Casa Legislativa hervalense, a criação do cargo de confiança de assessor superior da presidência, além da criação dos cargos de assessor jurídico, assessor legislativo, tesoureiro e motorista, os quais seriam preenchidos a partir da realização de concurso público.
Conforme defende Claudio Inhaia “urge a necessidade desta Casa estabelecer um quadro de servidores que caiba dentro das nossas possibilidades financeiras, tendo em vista que com o quadro atual de pessoal, além dos problemas de ordem constitucional em relação ao provimento de alguns cargos, a direção da Câmara que já foi obrigada a reduzir recentemente os salários dos detentores de cargos em comissão e o subsídio dos vereadores, vem encontrando sérias dificuldades tanto para garantir a recomposição dos valores perdidos quanto para proceder às reposições legais a que fazem juz funcionários e ocupantes de mandato eletivo”.

Rir é o melhor remédio

segunda-feira, 21 de março de 2011

Momento poético



O Poço
(Pablo Neruda)

Cais, às vezes, afundas
em teu fosso de silêncio,
em teu abismo de orgulhosa cólera,
e mal consegues
voltar, trazendo restos
do que achaste
pelas profunduras da tua existência.

Meu amor, o que encontras
em teu poço fechado?
Algas, pântanos, rochas?
O que vês, de olhos cegos,
rancorosa e ferida?

Não acharás, amor,
no poço em que cais
o que na altura guardo para ti:
um ramo de jasmins todo orvalhado,
um beijo mais profundo que esse abismo.

Não me temas, não caias
de novo em teu rancor.
Sacode a minha palavra que te veio ferir
e deixa que ela voe pela janela aberta.
Ela voltará a ferir-me
sem que tu a dirijas,
porque foi carregada com um instante duro
e esse instante será desarmado em meu peito.

Radiosa me sorri
se minha boca fere.
Não sou um pastor doce
como em contos de fadas,
mas um lenhador que comparte contigo
terras, vento e espinhos das montanhas.

Dá-me amor, me sorri
e me ajuda a ser bom.
Não te firas em mim, seria inútil,
não me firas a mim porque te feres.

sábado, 19 de março de 2011

É assim que se fala!



As palavras que reproduzo neste espaço chegaram a mim via email e são atribuídas ao respeitável Cristóvam Buarque.
Se bem que a autoria é algo secundário, diante de tão magnífico pensamento. Especialmente nesses tempos nos quais impera impiedosamente o “pensar com cifrões”, segundo a frase de um também respeitável jornalista brasileiro...

Essa merece ser lida, afinal não é todo dia que um brasileiro dá um esculacho educadíssimo nos americanos!

Durante debate em uma universidade, nos Estados Unidos, o ex-governador do DF, ex-ministro da educação e atual senador CRISTÓVAM BUARQUE, foi questionado sobre o que pensava da internacionalização da Amazônia.

O jovem americano introduziu sua pergunta dizendo que esperava a resposta de um Humanista e não de um brasileiro.
Esta foi a resposta do Sr. Cristóvam Buarque:

"De fato, como brasileiro eu simplesmente falaria contra a internacionalização da Amazônia. Por mais que nossos governos não tenham o devido cuidado com esse patrimônio, ele é nosso.

"Como humanista, sentindo o risco da degradação ambiental que sofre a Amazônia, posso imaginar a sua internacionalização, como também de tudo o mais que tem importância para a humanidade.

"Se a Amazônia, sob uma ética humanista, deve ser internacionalizada, internacionalizemos também as reservas de petróleo do mundo inteiro. O petróleo é tão importante para o bem-estar da humanidade quanto a Amazônia para o nosso futuro. Apesar disso, os donos das reservas sentem-se no direito de aumentar ou diminuir a extração de petróleo e subir ou não o seu preço."

"Da mesma forma, o capital financeiro dos países ricos deveria ser
internacionalizado. Se a Amazônia é uma reserva para todos os seres humanos, ela não pode ser queimada pela vontade de um dono, ou de um país.
Queimar a Amazônia é tão grave quanto o desemprego provocado pelas decisões arbitrárias dos especuladores globais. Não podemos deixar que as reservas financeiras sirvam para queimar países inteiros na volúpia da especulação.

"Antes mesmo da Amazônia, eu gostaria de ver a internacionalização de todos os grandes museus do mundo. O Louvre não deve pertencer apenas à França.
Cada museu do mundo é guardião das mais belas peças produzidas pelo gênio humano. Não se pode deixar esse patrimônio cultural, como o patrimônio natural Amazônico, seja manipulado e instruído pelo gosto de um proprietário
ou de um país. Não faz muito, um milionário japonês, decidiu enterrar com ele, um quadro de um grande mestre. Antes disso, aquele quadro deveria ter sido internacionalizado.

"Durante este encontro, as Nações Unidas estão realizando o Fórum do Milênio, mas alguns presidentes de países tiveram dificuldades em comparecer por constrangimentos na fronteira dos EUA. Por isso, eu acho que Nova York, como sede das Nações Unidas, deve ser internacionalizada. Pelo menos Manhatan deveria pertencer a toda a humanidade. Assim como Paris, Veneza, Roma, Londres, Rio de Janeiro, Brasília, Recife, cada cidade, com sua beleza específica, sua historia do mundo, deveria pertencer ao mundo inteiro.

"Se os EUA querem internacionalizar a Amazônia, pelo risco de deixá-la nas
mãos de brasileiros, internacionalizemos todos os arsenais nucleares dos EUA. Até porque eles já demonstraram que são capazes de usar essas armas, provocando uma destruição milhares de vezes maiores do que as lamentáveis queimadas feitas nas florestas do Brasil.

"Defendo a idéia de internacionalizar as reservas florestais do mundo em troca da dívida. Comecemos usando essa dívida para garantir que cada criança do Mundo tenha possibilidade de COMER e de ir à escola.
Internacionalizemos as crianças tratando-as, todas elas, não importando o país onde nasceram, como patrimônio que merece cuidados do mundo inteiro.

"Como humanista, aceito defender a internacionalização do mundo.
Mas, enquanto o mundo me tratar como brasileiro, lutarei para que a Amazônia
seja nossa. Só nossa"!

quinta-feira, 17 de março de 2011

Valeu Enilda!!!




Depois de 17 anos, 05 meses e 15 dias prestando assessoria à bancada do PDT na Câmara Municipal, Enilda Freitas, deixa a função para assumir um cargo efetivo na administração municipal.
Além do seu exemplo de lealdade, organização, espírito público, simplicidade e seriedade, em sua despedida do Poder Legislativo, Enilda também nos deixou as palavras que reproduzo aqui neste espaço.
Obrigado Enilda, além de saúde e sucesso, sempre!


O DIA D “ENILDA”


Dezessete anos cinco meses e quinze dias de serviço prestado a esta Casa Legislativa. Gostaria de dizer aqueles que não sabem, que ingressei no cargo de Assessora da Bancada do PDT, através de um pequeno concurso (onde cada vereador indicava seu candidato(a) para realizar tal prova). Na época eram 8 vereadores e eu fui indicada pelo Vereador Adão Sales Carvalho (a quem sou eternamente grata) fui selecionada em 1.º lugar. A partir daí sempre fiz o melhor possível para que de mim restasse o mínimo de reclamações, mas com certeza deixei a desejar, pois ninguém é perfeito.
Desde o primeiro dia fui muito bem acolhida por todos os vereadores e funcionários.
Mas existem pessoas especiais em nossas vidas que não poderia deixar de lembrar: Como o Vereador Elio, meu professor em política, com sua vasta experiência em processos legislativos, sabedoria e paciência, muitos ensinamentos me repassou e que levo comigo e certamente jamais esquecerei.
A Solange que embora adversária política, nunca mediu esforços para ajudar-me na elaboração de projetos onde muitas vezes encontrei dificuldade.
A Elionara que há 15 anos trabalhamos juntas, colega de serviço e grande amiga das horas difíceis da vida.
A cada eleição vinha a incerteza quanto à permanência ou não na Bancada, mas com a ajuda Divina e o apoio daqueles que se elegiam eu continuava exercendo minhas funções de Assessora. Por isso agradeço a todos a acolhida, Batista, Bebeto que me acompanham de longa data. Quanto ao Vereador Jackson meu agradecimento especial por ter me concedido 2 anos na Assessoria da Bancada nesta Legislatura.
Não poderia deixar de citar o Didi – Assessor Jurídico nesta Casa por vários anos, grande amigo, pessoa em quem confio plenamente, que sempre esteve ao meu lado no que tange a política, colocando seu posicionamento em relação a minha ética partidária.
E, por falar em partido, deixo aqui meu agradecimento especial a todos os membros do PDT que me acolheram, onde tivemos momentos de grandes vitórias e também perdas.
A todos os Presidentes que passaram por esta Casa pela tolerância nos momentos em que era necessário estar ausente por motivo de doença na família.
A minha família que sempre me deu apoio, e, espero que aqueles a quem eu possa ter magoado, perdoem-me, pois é desta forma que me despeço agradecendo a acolhida e dizendo que continuarei sempre a mesma, estando a disposição de todos que de mim precisarem, prestando serviços junto ao Executivo Municipal. Obrigado!

Enilda Freitas Freitas.

terça-feira, 15 de março de 2011

Projeto prevê reestruturação administrativa e do quadro de pessoal da Câmara



Foi apregoado na sessão ordinária da Câmara Municipal de hoje (15/3), projeto de lei que prevê a reestruturação administrativa e do quadro de funções e de pessoal do Poder Legislativo Municipal.
O projeto de iniciativa do Vereador-Presidente Claudiomor Inhaia, com amparo da Vereadora-Secretária Solange Tavares, visa corrigir irregularidades e ilegalidades apontadas no início do ano pelo Ministério Público em relação ao provimento de alguns cargos da Câmara Municipal, bem como estabelecer uma estrutura de pessoal e administrativa que melhore sua organização e funcionamento e que seja, além disso, mais adequada à atual realidade financeira da Casa Legislativa hervalanse.
O projeto encaminhado à Comissão de Constituição e Justiça, prevê a extinção de três cargos políticos do Legislativo, a criação do cargo em comissão de assessor jurídico da Presidência, além dos cargos de tesoureiro, assessor legislativo e motorista, cujo provimento se daria a partir da realização de concurso público.
Segundo Claudio Inhaia, “ou esta Casa exerce suas prerrogativas e sana por si mesma a inconstitucionalidade apontada pelo MP, ou o Poder Judiciário será instado a “legislar” sobre a matéria, determinando alterações ou reduções no número de cargos e com este ato ensejando contrariedades nos vereadores no tocante ao quadro de servidores da Câmara”.

terça-feira, 8 de março de 2011

Às mulheres com carinho



Congratulo-me com todas as mulheres neste dia que o calendário consagrou em sua homenagem.
No entanto, me faltam palavras para traduzir tal homenagem. E isto se deve a grandiosa complexidade do universo feminino (algo difícil de ser traduzido em poucas e porcas linhas), mas também pelo fato de que hoje estou de mal com “essas coisas de escrever”. As palavras me deixaram falando às paredes neste dia e eu, orgulhoso que sou, cortei minha relação com elas. Mas amanhã será outro dia...

Por esse motivo, reproduzo um poema belo e forte, como a própria figura feminina, de autoria de Carolina Salcides, na intenção de expressar minha homenagem a todas as mulheres:


Homenagem às mulheres

Sempre guerreira, mãe, amante e amiga.
Ela é a dona da casa, profissional, intuitiva.
Vê sem que a mostrem, escuta longe e sente perto.
Cuidas das suas crias, de seus amores e suas dores.
Sofre calada, ri quando está triste, só para não preocupar os outros...
Dá comida, abrigo, conselhos, dá a roupa do corpo se preciso for.
Ela é nosso socorro, nosso porto seguro, nosso norte
Ela é a muralha e a flor. A vida e a morte.
A mão que bate, afaga e constrói.
Ela é o amor incondicional, a ausência que dói.
Porque ela faz melhor, ela faz mágica, se divide em mil.
E tudo sai perfeito, na hora certa, porque ela é surpreendente.
Ela corre, batalha, cansa e sai linda do banho.
Ela tem uma força só dela, única, um poder escondido.
Ela têm muitas dentro dela...
Ela sempre tem a palavra certa, ela sempre dá um colo ás amigas,
ao filho, ao seu amor, ao seu cachorro... ela carrega o mundo!
Ela é amorosa, solidária, uma Deusa aqui na terra.
E ela é isso diariamente
Mesmo frágil, muitas vezes com medo
Ela têm dúvidas e inseguranças
Mas ela arrisca e ousa, ela vai em busca
E ela sempre alcança.
Porque ela é sempre ela
Ela é sempre grande
Sempre Mulher.

Rir é o melhor remédio

segunda-feira, 7 de março de 2011

Nem só de pão viverá o homem




Inauguro um novo espaço no blog do Toninho, denominado “Nem só de pão viverá o homem”.
“É preciso amar a Deus sobre todas as coisas e ao nosso próximo como a nós mesmos”. Uma frase belíssima sob o ponto de vista literário, mas algo muito difícil de ser posto em prática no nosso dia a dia.
Mesmo assim, é preciso persistir na tarefa de vencer nossos erros, sombras e mazelas, tomando em nossas mãos a cruz de ir tornando-nos melhores pouco a pouco.
Ainda bem que, além das consolações e da bondade Divina para com nossas falhas e fraquezas, também podemos contar com imprescindíveis exemplos de elevação moral e espiritual, construídos ao longo da jornada do tempo, por meio do amor a Deus e ao próximo. E o maior desses exemplos, está nas pegadas de amor e fé deixadas pelo insuperável JESUS CRISTO.
De minha parte, também posso acrescentar mais um desses exemplos. Falo da minha alegria e gratidão por ter sido conduzido pelos caminhos desta vida até a Doutrina Espírita. E espiritismo, para quem não sabe, não tem nada a ver com “bruxarias” ou a "evocação dos mortos" para fazer mal a outrem. Espiritismo é uma Doutrina Cristã que tem por base um misto de ciência, filosofia e religião. Espiritismo é fé raciocinada. Fé na bondade Divina e na eternidade da vida.
Eis, para mim, uma luz capaz de iluminar as trevas deste mundo de dores, mas especialmente a escuridão do meu próprio ser. Graças a Doutrina Espírita, se não me tornei um exemplo de elevação a ser seguido, ao menos já não caminho mais às escuras.
Por esse motivo, quero compartilhar com os leitores e leitoras do blog, mensagens de paz, amor e otimismo, à luz do Espiritismo, como forma não de divulgar esta Doutrina (que ela já possui seus canais próprios de comunicação), mas de lançar um pequeno facho de luz sobre mim mesmo e sobre os que me lêem neste cantinho do "mundão virtual". Vamos a primeira mensagem, então:

Em Favor de Você Mesmo

Aprenda a ceder em favor de muitos, para que alguns intercedam em seu benefício nas situações desagradáveis.
*

Ajude sem exigência para que outros o auxiliem, sem reclamações.

*

Não encarcere o vizinho no seu modo de pensar; dê ao companheiro oportunidade de conceber a vida tão livremente quanto você.

*

Guarde cuidado no modo de exprimir-se; em várias ocasiões, as maneiras dizem mais que as palavras.

*

Refira-se a você o menos possível; colabore fraternalmente nas alegrias do próximo.

Evite a verbosidade avassalante; quem conversa sem intermitências, cansa ao que ouve.

*

Deixe ao irmão a autoria das boas idéias e não se preocupe se for esquecido, convicto de que as iniciativas elevadas não pertencem efetivamente a você, de vez que todo bem procede originariamente de Deus.

*

Interprete o adversário como portador de equilíbrio; se precisamos de amigos que nos estimulem, necessitamos igualmente de alguém que indique os nossos erros.

*

Discuta com serenidade; o opositor tem direitos iguais aos seus.

*

Se você considerar excessivamente as críticas do inferior, suporte sem mágoa as injunções do plano a que se precipitou.

*

Seja útil em qualquer lugar, mas não guarde a pretensão de agradar a todos; não intente o que o próprio Cristo ainda não conseguiu.

*

Defrontado pelo erro, corrija-o primeiramente em você, e, em seguida, nos outros, sem violência e sem ódio.

*

Se a perfídia cruzar seu caminho, recuse-lhe a honra da indignação examine-a, com um sorriso silencioso, estude-lhe o processo calmamente e, logo após, transforme-a em material digno da vida.

*

Ampare fraternalmente o invejoso; o despeito é indisfarçável homenagem ao mérito e, pagando semelhante tributo, o homem comum atormenta-se e sofre.

*

Habitue-se à serenidade e a fortaleza, nos círculos da luta humana; sem estas conquistas dificilmente sairá você do vaivém das reencarnações inferiores.

Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Agenda Cristã.
Ditado pelo Espírito André Luiz.
Edição de Bolso. Rio de Janeiro, RJ: FEB, 1999.

sábado, 5 de março de 2011

Momento poético



REPAREI QUE A POEIRA SE MISTURAVA ÀS NUVENS
Cecília Meireles


Reparei que a poeira se misturava às nuvens,
e, sem pôr o ouvido na terra,
senti a pressa dos que chegavam.
Disse-me de repente: "Eis que o tropel avança".
Mas todos me olhavam como surdos,
e deixavam-me sem responder nada.
Vi as nuvens tornarem-se vermelhas
e repeti: "Eis que os incêndios se aproximam".
(Mas não havia mais interlocutores.)
"Eles vêm, eles não podem deixar de vir",
balbuciei para a solidão, para o ermo.
E já por detrás dos montes subiam chamas altas;
ou eram estandartes ou eram labaredas.
Perguntei: "Que me vale ter casa, parentes, vida?
Sou a terra que estremece? ou a multidão que avança?
Ó solidão minha, ó limites da criatura!
Meu nome está em mim? no passado ou no futuro?
Ninguém responde. E o fogo avança para meu pequeno enigma".
Apenas um anjo negro entreabriu seus lábios,
verdadeiramente como um botão de rosa.
"Death"
DEATH?
Por que me falas nesse idioma? perguntei-lhe, sonhando.
Em qualquer língua se entende essa palavra.
Sem qualquer língua.
O sangue sabe-o.
Uma inteligência esparsa aprende
esse convite inadiável.
Búzios somos, moendo a vida inteira
essa música incessante.
Morte, morte.
Levamos toda a vida morrendo em surdina.
No trabalho, no amor, acordados, em sonho.
A vida é a vigilância da morte,
até que o seu fogo veemente nos consuma
sem a consumir.

quinta-feira, 3 de março de 2011

Renovo meu pedido



Escrevo essas mal traçadas linhas para renovar-te um pedido. Há algum tempo convidei os amigos e amigas a se tornarem seguidores do blog do Toninho.
Muito que bem, naquela ocasião pude contar com a grata satisfação de ser atendido, além da minha expectativa.
Nesta oportunidade, renovo o pedido para que te tornes seguidor ou seguidora deste blog. Em troca, ofereço a ti meus votos de (e) terna gratidão. Achou pouco? Neste caso, também ofereço um beijo molhado de alegria em teu coração.
E o caminho para me seguires? É só ir ao “pé da página”, que encontrando os seguidores que já estão “por alla”, também encontrarás o caminho que fará de ti um “seguidor” meu. Sem que isto implique em maiores compromissos, evidentemente, já que as opiniões e descompassos do blog são de inteira responsabilidade deste blogueiro. Combinado? Espero-te, então!