quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Música para os meus ouvidos


Colhe-se aquilo que se planta. Uma lei da vida da qual ninguém escapa e que caiu como luva na canção do imortal Renato Russo.




Em tempos de “vacas magras”, Herval segue avançando



Apesar do corte brutal nos investimentos públicos promovido pela União e o estado do Rio Grande do Sul, a prefeitura de Herval, através da secretaria de planejamento e meio ambiente não cessou a busca e chega ao final de mais um ano celebrando a perspectiva de novos investimentos para o ano que está prestes a nascer. Com isso, a expectativa é de que, mesmo com a diminuição do ritmo e do volume de obras e investimentos em comparação ao período recente, nosso município vai continuar avançando e colhendo novos frutos em 2018.

De início, cumpre salientar que a busca por novos investimentos não vem se dando ao sabor do acaso ou de forma desordenada. Ao contrário. Como ensina a sabedoria popular é preciso dançar conforme a música, e assim está sendo feito. Ou seja, se antes os investimentos eram fartos e distribuídos de forma republicana, como ultimamente o bolo diminuiu muito e o critério para reparti-lo regrediu bastante, fora preciso ajustar a estratégia do planejamento no intuito de garantir o mínimo de investimentos provenientes da captação de recursos junto aos governos federal e estadual por meio de projetos, em razão de ser essa a principal fonte e alternativa para assegurar novos investimentos no âmbito do município.

Desta forma, ao longo de 2017 o foco do planejamento foi priorizar a busca por recursos para serem aplicados na agropecuária e na saúde. Na agropecuária, pelo fato de que esta é a principal matriz e vocação econômica do nosso município, sem contar que esse tipo de investimento possui a capacidade de fortalecer a economia local e desencadear novos investimentos. Na saúde, porque voltamos ao tempo que as emendas parlamentares são o caminho mais acessível ou rápido para alcançar investimentos da União, sendo que metade dos valores (R$ 15 milhões) que os deputados dispõem anualmente em emendas no orçamento deve ser destinada a esta área.

Assim, a secretaria de planejamento vem fazendo sua parte e encaminhou ou articulou o encaminhamento de todos os projetos acessíveis ou ofertados ao município em 2017, especialmente relativos às emendas parlamentares e a Consulta Popular do estado. São eles: R$ 126 mil destinados à aquisição de equipamentos para a Patrulha Agrícola, oriundos de emenda do deputado federal Dionilso Marcon (PT) e R$ 100 mil para aquisição de dois veículos e equipamentos destinados ao Centro Municipal de Saúde e às UBS do Interior, numa emenda do ex-deputado federal Nelson Marchezan Júnior (PSDB). Ademais, o deputado federal Afonso Hamm (PP) ainda destinou emenda ao hospital Nossa Senhora da Glória, no valor de R$ 100 mil, para aquisição de equipamentos. Para 2018, já estão asseguradas pelo menos mais três emendas parlamentares, que juntas superam a cifra de R$ 300 mil.

Por intermédio da Consulta Popular do estado relativa ao orçamento 2017, a administração municipal foi contemplada e encaminhou projeto no valor de R$ 101 mil, que prevê a compra de insumos para correção de solo, recurso oriundo da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Irrigação e mais R$ 64 mil junto a Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo, em projeto voltado à aquisição de equipamentos para a Patrulha Agrícola. No que tange ao processo da Consulta Popular realizado esse ano, Herval registrou o maior percentual de votantes na nossa região em relação ao número de eleitores do município, assegurando para 2018 pelo menos dois projetos via prefeitura nas áreas da saúde e da agropecuária, os quais somados chegam perto de R$ 100 mil.

Além dos novos projetos, ainda temos os projetos que foram deixados como herança positiva pelo governo anterior e que se encontram prestes a sair do papel. Entre eles, merece destaque a construção de prédio para sediar o CRAS, a pavimentação de um trecho da rua Pe. Francisco Hillman, a reconstrução de ponte no assentamento São Virgílio, a melhoria e recuperação de estradas internas e de acesso a quatro assentamentos rurais e a aquisição de calcário para correção de solo, investimentos que somados superam o montante de R$ 900 mil. Tem também os recursos de cerca de R$ 1 milhão para a conclusão das obras de instalação de sistema de abastecimento de água nos assentamentos São Virgílio, Cerro Azul e Santa Rita III e a grande conquista da atual administração em 2017 que é o investimento previsto de algo em torno de R$ 800 mil para execução de projeto de coleta e compostagem de resíduos orgânicos urbanos, sendo que Herval foi o único município do estado selecionado entre os pleiteantes desse processo que abrangeu todo o território nacional. Além disso, foram encaminhados outros projetos que se encontram em fase de tramitação, sem a garantia de que serão efetivados, e que por isso merecem ser divulgados na medida em que forem confirmados.

Vivemos tempos adversos e de “vacas magras”, mas com planejamento, capacidade técnica, política e administrativa e algumas pitadas de ousadia, nossa terra não vai parar e ainda pode seguir avançando, mesmo que a passos mais lentos. Então, que o Ano Novo renove nossas energias para irmos adiante, sempre almejando o melhor para a Sentinela da Fronteira!

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Ato político


Baita tapa na cara do juizeco... Político que veste toga e se esconde atrás do manto da hipocrisia. Moralista sem moral nenhuma. Juiz que marca em cima e só apita falta para um dos lados da política.

Eugênio Aragão: Sérgio Moro, um juiz de piso pequeno e pouco afeito a contestações

Quem está na chuva é para se molhar, Seu Moro! Quer vir para o debate político, enfrente os políticos debatendo!”




Disse o Sérgio Moro de sempre, diante de um comentário do ex-presidente Lula sobre os desmandos da justiça, que não debateria “publicamente com pessoas condenadas por crimes”.​
É a cara dele. Acha-se no direito de tecer comentários sobre tudo e sobre todos, projetando-se indevidamente numa arena que não pode ser sua como magistrado, a política. Mas, quando é confrontado politicamente, coloca o rabo entre as pernas e se escuda brandindo uma autoridade de que carece, pois argumentos não tem.
Só sabe repetir sua insossa ladainha moralista de “combate à corrupção”. Gosta de falar sem ser contrariado, de preferência de seu pódio majestático de juiz de província na sala de audiências. Lá ele corta a palavra, censura, ameaça e admoesta.
Quem está na chuva é para se molhar, Seu Moro! Quer vir para o debate político, enfrente os políticos debatendo! A covardia autoritária aqui não tem vez, pois, na democracia (se é que você é os seus ainda a respeitam) o discurso é horizontal, sem pódios majestáticos.
O ex-presidente Lula, quem tem muita lição moral a lhe dar, foi condenado por Moro num processo sem provas, previamente anunciado, após ser-lhe restringido publicamente o direito à auto-defesa no interrogatório. Só não o vê o presidente do TRF, que, sem lê-la, disse que a sentença contra Lula é perfeita, e o desembargador-relator da apelação, para quem Moro parece ser Deus na terra.
“Não debato com pessoas condenadas por crime” é prova do desrespeito desse juiz de província para com o princípio da presunção de inocência. Mas não tem problema. Quem diz que o magistradinho de piso é digno de debater com Lula? Terá que comer ainda muita sopa!
Eugênio Aragão foi Ministro da Justiça do Governo da Presidenta Dilma Rousseff

Publicado originalmente em: http://www.pt.org.br/eugenio-aragao-sergio-moro-um-juiz-de-piso-pequeno-e-pouco-afeito-a-contestacoes/

Nem só de pão viverá o homem





sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Altas conexões



Momento poético



Aceitarás o amor como eu o encaro?
Aceitarás o amor como eu o encaro ?…
… Azul bem leve, um nimbo, suavemente
Guarda-te a imagem, como um anteparo
Contra estes móveis de banal presente.
Tudo o que há de melhor e de mais raro
Vive em teu corpo nu de adolescente,
A perna assim jogada e o braço, o claro
Olhar preso no meu, perdidamente.
Não exijas mais nada. Não desejo
Também mais nada, só te olhar, enquanto
A realidade é simples, e isto apenas.
Que grandeza… a evasão total do pejo
Que nasce das imperfeições. O encanto
Que nasce das adorações serenas.
(Mário de Andrade)

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Licença poética



Peço licença novamente para entregar-lhes outras palavras simples e sutis, arrancadas do fundo do baú do meu ser e inspiradas na minha musa imaginária...


Esquece tudo que estraga teus prazeres ou tira teu sossego.

Encosta em mim, beija minha testa, arranha minhas costas...

Entrega-te sem tréguas a minha gula e domina meus instintos mais famintos e sacia essa sede sacana e aquece meu ser até meu corpo derreter.

Pitada filosófica



terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Música para os meus ouvidos


"Quem já sofreu por amor desconfia da flor", porém a vida sempre segue e, quando cai a ficha que o amor que zarpou era fraco ou falso, a alma calejada dá a volta por cima, os olhos mudam de cor e brilham como nunca e o coração dispara e deixa o amor entrar novamente e pela porta da frente.




Momento poético



VERDADE

A porta da verdade estava aberta, 
mas só deixava passar
meia pessoa de cada vez.

Assim não era possível atingir toda a verdade,
porque a meia pessoa que entrava
só trazia o perfil de meia verdade.

E sua segunda metade
voltava igualmente com meio perfil.
E os dois meios perfis não coincidiam.

Arrebentaram a porta. Derrubaram a porta.
Chegaram a um lugar luminoso
onde a verdade esplendia seus fogos. 
Era dividida em duas metades,
diferentes uma da outra.

Chegou-se a discutir qual a metade mais bela.
As duas eram totalmente belas.
Mas carecia optar. Cada um optou conforme
seu capricho, sua ilusão, sua miopia.



Carlos Drummond de Andrade ANDRADE, C. D. Poesia completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2002.