Sobre o Blog do Toninho

O Blog busca retratar coisas da vida interiorana e do meu interior, numa abordagem que mistura reflexão, notícias, riso, poesia, musicalidade, transcedentalidade e outras "cositas más". Tudo feito com produções próprias, mas também com a reprodução do pensar ou do sentir dos grandes gênios que o país e a humanidade pariram.

quinta-feira, 29 de agosto de 2019

Altas conexões



SCTEL segue cuidando das árvores da praça



O trabalho de cuidado com as árvores da Praça Marquês do Herval continua, numa iniciativa da Secretaria de Cultura, Turismo, Esporte e Lazer - SCTEL -, através do servidor Sidnei Poncio, que possui formação como técnico agrícola.

Depois da poda feita dias atrás, o trabalho agora é de retirada das ervas daninhas e, em seguida, será feita a aplicação de uma pasta, a base de calda bordalesa, o que deverá revigorar as árvores que adornam a praça central.

Todo o trabalho realizado está amparado num laudo técnico, elaborado por engenheiro agrônomo, sendo que eventuais supreções ou introdução de novas espécies arbóreas, poderão ocorrer mais adiante, durante a execução do projeto de revitalização da praça previsto para a partir do próximo ano, tendo como fonte de recursos uma emenda do deputado federal Henrique Fontana (PT).


segunda-feira, 26 de agosto de 2019

Rumos e ações do planejamento do município



Como comandante da pasta responsável pelo planejamento e a corrida atrás de recursos para promover novos investimentos estruturantes no nosso município, não posso deixar de dizer que a “maré não está para peixe”. Vivemos tempos adversos e angustiantes em matéria de investimento público, sobretudo, para quem experimentou de perto o período de bonança e de portas do governo federal escancaradas aos municípios, como no governo de Dilma Rousseff. Contudo, a população não quer saber de desculpas nem da busca de culpados; o que o povo espera e quer é que “gato cace rato”. Assim, apresento a visão, a estratégia e alguns resultados até aqui da Secretaria que tenho a honra e o desafio de encabeçar.


A VISÃO

Todo governo precisa de metas claras e conectadas com os desejos da população, de modo a constituir uma marca forte e realista. Como ensinou um dos primeiros padres Jesuítas, Antonio Vieira, "quem levanta muita caça e não segue nenhuma, não é muito que se recolha de mãos vazias". Desta forma, diante do cenário nacional e estadual não apenas de escassez ou corte de investimentos, mas da volta da “cacicagem” e do “compadresco” como principal critério de distribuição dos recursos públicos, minha visão estratégica sempre foi de focar, em termos de projetos, naquilo que realmente é prioridade, que seja alcançável e sustentável financeiramente. Ou seja, mais que fazer muito, esse é o momento de fazer o essencial.


A ESTRATÉGIA

Até a derrubada da Presidenta Dilma, o governo federal promovia investimentos públicos vultosos, os quais eram distribuídos de forma transparente e republicana. Isto é, independente do porte do município e da cor partidária que o dirigia, bastava às gestões públicas estarem em dia administrativamente e possuir bons projetos que os recursos chegavam para desenvolver os espaços locais e melhorar a vida das pessoas. De 2016 para cá, não vem sendo assim e o jeito é dançar conforme a música. Isso quer dizer que as emendas parlamentares voltaram a ser o principal e, muitas vezes, o único caminho para obter novos investimentos federais no município. Assim, a estratégia prioritária do planejamento tem sido pleitear emendas parlamentares junto aos deputados que mantém ou desejam estabelecer relações políticas com Herval, além de elaborar projetos "preliminares" no intuito de "colocá-los debaixo do braço" para ir em busca dos recursos junto à União (também com o apoio de políticos que atuam no município), por meio de propostas voluntárias lançadas no SICONV (Portal de Convênios do governo federal).


RESULTADOS

Além dos investimentos já realizados, que aguardam a liberação de verbas ou estão em fase de execução no atual governo municipal, a visão e a estratégia do planejamento já criaram boas expectativas ou já produziram alguns resultados concretos quando se fala em novos investimentos.

Desta forma, cito o projeto de compostagem urbana, num investimento de quase R$ 1 milhão, no qual Herval foi o único município selecionado em todo o Rio Grande do Sul, cujas informações para adesão ao mesmo foram obtidas através dos contatos que o comando da Secretaria de Planejamento e Meio Ambiente – SEMPLAMA – possui na FAMURS.

Em relação aos projetos que almejam a obtenção de recursos de forma voluntária (sem a garantia de que serão efetivados), cito os projetos que se encontram cadastrados no SICONV visando à aquisição de patrola, rolo compactador e uma retroescavadeira. O projeto que intenta a revitalização do Parque Aquático e o outro que busca os recursos para a compra de equipamentos destinados a coleta seletiva, triagem e reciclagem de resíduos sólidos urbanos.

No que tange as emendas parlamentares articuladas pela SEMPLAMA, destaca-se a emenda do senador Paulo Paim (PT), no valor de R$ 200 mil, destinada esse ano ao nosso hospital. Para o ano que vem já estão asseguradas emenda no valor de R$ 100 mil para a compra de um caminhão, de iniciativa do deputado federal Paulo Pimenta (PT) e a emenda de R$ 130 mil para a compra de uma caminhonete para a secretaria de Agropecuária, de autoria do deputado federal Marcon (PT). Tem também a emenda no valor de R$ 250 mil, de iniciativa do deputado federal Henrique Fontana (PT), para a revitalização da praça central e a emenda de pelo menos R$ 250 mil para obra de infraestrutura, do deputado federal Daniel Trzeciak (PSDB).

Além disso, tem os pedidos de emendas no orçamento da União de 2020 encaminhados aos senadores Paulo Paim (PT) e Luiz Carlos Heinze (Progressistas), destinados a obras de calçamento; além do pedido de emenda feito a um deputado federal do Progressistas que, se efetivado, possibilitará a reforma do Ginásio Municipal de Esportes.

Sim, os ventos andam adversos para quem navega nas águas da vida pública. Contudo, com perspicácia, determinação e clareza sobre os limites e possibilidades que o cenário atual oferece, é possível escapar dessa onda de paralisia que paira sobre o país e alcançar novas conquistas para Herval e os hervalenses.

Pitada filosófica



sexta-feira, 23 de agosto de 2019

Momento poético



Soneto


Por que me descobriste no abandono
Com que tortura me arrancaste um beijo
Por que me incendiaste de desejo
Quando eu estava bem, morta de sono

Com que mentira abriste meu segredo
De que romance antigo me roubaste
Com que raio de luz me iluminaste 
Quando eu estava bem, morta de medo 

Por que não me deixaste adormecida
E me indicaste o mar, com que navio
E me deixaste só, com que saída 

Por que desceste ao meu porão sombrio
Com que direito me ensinaste a vida
Quando eu estava bem, morta de frio 


Chico Buarque


Nem só de pão viverá o homem





quinta-feira, 22 de agosto de 2019

terça-feira, 20 de agosto de 2019

Ato político



As sandices e o obscurantismo Bolsonarista estão aí. A negação da ciência e dos valores civilizatórios e a tentativa contante de consagrar o senso comum e a estupidez não são nenhum mito e, com a força das "fake news", triunfaram nas urnas em 2018.

Contudo, a vida e a luta política vão muito além das urnas.

O bolsonarismo representa apenas uma parcela da sociedade brasileira e de um país com dimensões continentais que é o Brasil.

Ainda existe luz no fim de túnel, vida inteligente e vozes sóbrias, a exemplo do grande Fernando Haddad.

Vamos virar esse jogo mais cedo do que muitos pensam! Venceremos! Logo, logo essa onda do mal vai passar e o Brasil reencontrará sua mehor versão e voltará a ser motivo de orgulho e vida digna para brasileiros e brasileiras.


Recuos e entregas

“Não vamos falar de invasão, não estamos bem de armamento, nós não podemos fazer frente a ninguém”.
Essa foi a resposta do nosso atual comandante em chefe das Forças Armadas quando perguntado se cumpriria a ameaça feita pelo clã durante as eleições de entrar em conflito armado com a Venezuela.

Limitado pelas circunstâncias materiais e sem apoio externo, Bolsonaro deixava claro que só não partia para a briga porque realmente não podia, num gesto resignado.

Algo semelhante se passou com a promessa de transferência da embaixada brasileira de Tel Aviv para Jerusalém. Sabe-se o quanto essa questão é cara a cristãos, judeus e muçulmanos. Jerusalém é considerada a “capital” das três religiões monoteístas.
Diante da ameaça feita pela Liga Árabe de reagir à medida, inclusive comercialmente, Bolsonaro afirmou: “nós talvez abramos agora um escritório de negócios em Jerusalém”.
Outra bravata foi a provocação à China. Querendo cutucar dragão com vara curta, aparente mal de família, Bolsonaro, depois de atacar nosso maior parceiro comercial, visitou Taiwan, afrontosamente.
Num recado do próprio governo da República Popular, o jornal chinês Global Times disse que Bolsonaro precisaria de “algum tempo para se familiarizar com a política externa”.
Sandices à parte, Bolsonaro voltou ao jogo nas últimas semanas. Num primeiro momento, cancelando acordo secreto feito com o governo paraguaio sobre Itaipu.
Presentes todos os ingredientes de um escândalo, envolvendo o suplente do senador Major Olímpio (PSL-SP) e o grupo Léros (que explora nióbio), o objetivo do distrato foi tentar “salvar” o mandato do presidente Benítez e, talvez, o seu próprio.
Agora, Bolsonaro tenta influenciar as eleições argentinas, chamando o vitorioso nas primárias de “bandido”, desconhecendo que a vantagem até aqui do peronismo, pelo menos em parte, deve-se a seu apoio a Macri.
O mais importante, contudo, continua submerso. Enquanto Bolsonaro arruma confusão com Alemanha e Noruega acerca da Amazônia, desdenhando apoio internacional pela sua preservação, no que conta com apoio de generais bolsonaristas e sua tosca visão de soberania, Guedes cuida do que realmente importa: a Amazônia Azul, nosso mar territorial.

É aí que se encontram as reservas petrolíferas do pré-sal. E é a Petrobras que detém a tecnologia para explorá-las a preços competitivos. Segundo Guedes, Bolsonaro está cada vez mais sintonizado com a agenda de privatização e cobrou pressa. “Já já chega na Petrobras”, assegurou.


Fernando Haddad
Professor universitário, ex-ministro da Educação (governos Lula e Dilma) e ex-prefeito de São Paulo.
Artigo publicado originalmente na Folha de S. Paulo

Pitada filosófica



segunda-feira, 19 de agosto de 2019

Música para os meus ouvidos


Para começar bem a semana, escutemos um som que fala em esperança e na capacidade de enfrentar a fera e sempre virar o jogo...




quinta-feira, 15 de agosto de 2019

Momento poético



Já és minha


Já és minha. Repousa com teu sonho em meu sonho. 
Amor, dor, trabalho, devem dormir agora. 
Gira a noite sobre suas invisíveis rodas 
e junto a mim és pura como âmbar dormido... 
Nenhuma mais, amor, dormira com meus sonhos... 
Irás, iremos juntos pelas águas do tempo.
Nenhuma viajará pela sombra comigo, só tu. 
sempre viva. sempre sol... sempre lua... 
Já tuas mãos abriram os punhos delicados 
e deixaram cair suaves sinais sem rumo... 
teus olhos se fecharam como
duas asas cinzas, enquanto eu sigo a água 
que levas e me leva.
A noite... o mundo... o vento enovelam seu destino, 
e já não sou sem ti senão apenas teu sonho...


Pablo Neruda

Altas conexões



sexta-feira, 9 de agosto de 2019

Música para os meus ouvidos


Nessa sexta-feira chuvosa, sirvo-me do som de Cícero, transbordando de alma molhada...



Licença poética



Peço licença novamente para entregar-lhes outras palavras simples e sutis, arrancadas do fundo do baú do meu ser e inspiradas na minha musa imaginária...

Palavras não dizem nada ou são pouco para ti...
És das raras pessoas que merecem ganhar o mundo ou ao menos um pedaço do céu.
Não tenho poder para te dar nada disso, mas te ofereço meu coração.
Estou certo que em melhores mãos ele não poderia estar. Aliás, meu coração cabe mais em ti que em mim.
Sem falar que nossas almas também combinam e encaixam melhor que a encomenda.

Pensar é preciso!

Para não dizer que foi por falta de aviso...