Sobre o Blog do Toninho

O Blog busca retratar coisas da vida interiorana e do meu interior, numa abordagem que mistura reflexão, notícias, riso, poesia, musicalidade, transcedentalidade e outras "cositas más". Tudo feito com produções próprias, mas também com a reprodução do pensar ou do sentir dos grandes gênios que o país e a humanidade pariram.

terça-feira, 26 de março de 2019

Lixo como ferramenta pedagógica



Toninho Veleda e Vanessa Dutra, respectivamente o responsável pelo comando da Secretaria de Planejamento e Meio Ambiente e a bióloga da pasta, conversaram com professores do I. E. E. São João Batista na manhã de hoje, 26.

O diálogo, realizado no auditório da escola, foi proposto pelos professores que tem a intenção de desenvolver projeto com a participação dos estudantes dessa instituição de ensino, relacionado à coleta e destinação adequada do papel descartado no local, que venha possibilitar ainda algum retorno em forma de premiação pela iniciativa.




Fotos: Luana Medeiros

Licença poética



Peço licença uma vez para entregar-lhes novas palavras simples e sutis, arrancadas do fundo do baú do meu ser e inspiradas na minha musa imaginária...


Não digo que quero arrancar tua roupa,
pois tua forma física é tão fabulosa 
que despir tuas vestes, 
é uma cena que pede um ritual romântico.

Altas conexões



domingo, 24 de março de 2019

Comitiva hervalense cumpre agenda no DINFRA



Nesta sexta-feira, 22, representantes da administração e do legislativo municipal, visitaram a sede do DINFRA, em Esteio.

O DINFRA é um órgão governo do estado, atualmente vinculado à Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, o qual presta um apoio fundamental aos municípios em programas de açudagem e perfuração de poços artesianos, caracterizando-se com uma estrutura pública essencial, especialmente para os municípios que sofrem constantemente com os efeitos da estiagem, como é o caso de Herval.

A visita de hoje teve como objetivo encaminhar a prestação de contas relativa aos poços artesianos perfurados ano passado, no assentamento São Virgílio e na escola Manoel Lima, localizada na Guarda Nova. Na oportunidade, também fora encaminhado um novo pedido de perfuração de poço artesiano, desta feita para atender o assentamento Bamburral.

A comitiva hervalense foi composta pelo vice-prefeito, Fernando Silveira e pelo secretário, Toninho Veleda, além dos vereadores Edinaldo Azevedo e João Bosco Paiva.

Lideranças locais pleiteiam emenda do Senador Paim para viabilizar obra



A partir da articulação feita pelo secretário de planejamento e presidente municipal do Partido dos Trabalhadores, Toninho Veleda, lideranças municipais foram recebidos nesta sexta-feira (22) no Gabinete do Senador Paulo Paim, em Canoas.

A reunião de trabalho teve como objetivo encaminhar o pedido de uma emenda parlamentar de iniciativa do Senador, no orçamento da União de 2020, destinada ao calçamento de rua em nossa cidade.

Na oportunidade, Toninho estava acompanhado do vice-prefeito, Fernando Silveira, e do presidente do Legislativo Municipal, Edinaldo Azevedo, sendo recebidos por Valesca Ribeiro e Manoel Rosa e Silva, integrantes da assessoria do Senador.

De acordo com a assessoria de Paulo Paim, o Senador tem compromisso de atender todos os municípios do estado, através das emendas. Conforme frisaram, em 2010 nosso município fora atendido com uma emenda que permitiu o calçamento da rua 13 de Maio e, ano que vem, Herval deverá ser novamente contemplado, com base no pedido ora encaminhado.

Leia a seguir a íntegra do documento que pede a destinação desse investimento, por meio da pretendida emenda:


AO SENHOR
PAULO RENATO PAIM
DD. SENADOR DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL
CANOAS/RS

ASSUNTO: Pedido de destinação de emenda parlamentar ao município
     

Senhor Senador,


É com grande satisfação que me dirijo a Vossa Excelência para, ao cumprimentá-lo cordialmente, solicitar que vosso mandato destine emenda parlamentar ao município de Herval, no valor mínimo de R$ 300 mil (trezentos mil reais) oriundos do orçamento da União de 2020, a serem investidos em obra de pavimentação de rua.

Herval situa-se na Faixa de Fronteira com o Uruguai, estando localizado a cerca de 400 km da capital do estado, Porto Alegre. A agropecuária é a principal vocação e matriz produtiva do município. O município possui 10 assentamentos da Reforma Agrária num total de 450 famílias, além de cerca de 1000 famílias de pequenos e médios produtores rurais, organizadas e atendidas pelas políticas públicas de desenvolvimento rural, através de 23 associações de produtores, que abrangem todo o território do município.

O município não possui indústrias (apenas uma agroindústria) e, na área urbana, o comércio é a grande alavanca e pilar de sustentação da economia local. Diante desse cenário, a prefeitura ou a máquina pública municipal é a grande geradora de trabalho e renda e principal indutora e geradora do desenvolvimento. Em face desse cenário também, em termos de arrecadação pública, Herval é totalmente dependente das receitas oriundos do Fundo de Participação dos Municípios – FPM e do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços – ICMS.

Diante do exposto, a administração municipal encontra grandes dificuldades para realizar, especialmente, investimentos estruturantes ou em infraestrutura contando única e exclusivamente com a arrecadação própria da prefeitura.

Assim sendo, contamos com vossa presteza e compromisso com o municipalismo e o desenvolvimento local, incluindo Herval como um dos beneficiários das emendas parlamentares a que se vosso mandato faz jus, de modo a viabilizar o investimento público pretendido.

Por fim, gostaria de destacar a importância do vosso mandato e atividade parlamentar, num trabalho que dignifica a vida pública, além de servir como ferramenta da construção ou preservação de direitos essenciais da cidadania e dos valores civilizatórios, bem como da luta permanente em prol da redução das desigualdades sociais e regionais.

Certo de poder contar com o atendimento do presente pedido, renovo-lhe votos de consideração e elevada estima.



Atenciosamente,


LUIZ ANTONIO GARCIA VELEDA,
Secretário de Planejamento e Meio Ambiente.

sábado, 23 de março de 2019

Música para os meus ouvidos


Música boa sempre pode ficar melhor e nos tocar de outra forma...




Secretário Toninho em busca de novos investimentos



Na última quinta-feira, 21,  Toninho Veleda, cumpriu agenda de trabalho em Porto Alegre, representando o município.

O Secretário de Planejamento e Meio Ambiente visitou o gabinete do deputado estadual Zé Nunes (PT), na Assembleia Legislativa. Na ocasião, buscou apoio para a instalação de chimarródromo (equipamento de acesso público que fornece água quente) na praça central da cidade. Essa proposta será encaminhada ao Sindicato da Indústria do Mate do Estado do Rio Grande do Sul (SINDIMATE – RS) e outras organizações que representam às ervateiras. A iniciativa, idealizada pelo secretário Toninho Veleda, visa proporcionar um espaço de convívio aos hervalenses na Praça Marquês do Herval, bem como resgatar a identidade do município, cujo nome tem origem na erva-mate.

Também participou de uma reunião na sede do Incra em Porto Alegre, com o objetivo de tratar sobre pleito de transferências de assentados em outro município que desejam assumir um lote dos Projetos de Assentamento (PAs) de Herval, bem como reiterou o pedido de doação de um veículo utilitário à nossa prefeitura.

sexta-feira, 15 de março de 2019

Deputado petista destina emenda ao município


Na manhã de ontem, 15, o prefeito Rubem Wilhelnsen recebeu em seu Gabinete a visita de Pablo Borba, assessor do deputado federal Paulo Pimenta (PT).

O momento marcou o anúncio de uma emenda parlamentar do deputado petista, no valor de R$ 100 mil, destinada à compra de um caminhão de pequeno porte para atender o transporte de leite  produzido no município.

Como essa emenda representa um compromisso assumido por Paulo Pimenta com dirigentes do MST, o pedido da representação dos produtores é que, ao ser efetivada a compra possivelmente em 2020, o mesmo seja cedido à Coperforte, que ficaria responsável pela gestão desse caminhão.

Para realizar essa compra, além do valor da emenda, o município deverá investir um valor de cerca de R$ 50 mil a título de contrapartida nesse investimento.

Também participaram da conversa o vice-prefeito, Fernando Silveira, o presidente do Legislativo, Edinaldo Azevedo, o secretário Toninho Veleda, além do dirigente da Coperforte, Vanderlei Jurkoski, mais conhecido por Siqueira.

Pitada filosófica



quinta-feira, 14 de março de 2019

Momento poético



Florbela Espanca – Poemas Originais Selecionados
Aos olhos dele

Não acredito em nada. As minhas crenças
Voaram como voa a pomba mansa;
Pelo azul do ar. E assim fugiram
As minhas doces crenças de criança.

Fiquei então sem fé; e a toda a gente
Eu digo sempre, embora magoada:
Não acredito em Deus e a Virgem Santa
É uma ilusão apenas e mais nada!

Mas avisto os teus olhos, meu amor,
Duma luz suavíssima de dor…
E grito então ao ver esses dois céus:

Eu creio, sim, eu creio na Virgem Santa
Que criou esse brilho que m’encanta!
Eu creio, sim, creio, eu creio em Deus!


(Florbela Espanca)



terça-feira, 12 de março de 2019

Ato político



Enfim, uma análise séria e lúcida nesse momento em que as vozes do atraso insistem em vender como novidade uma política atrasada que não deu certo em nenhuma parte de mundo e é uma das principais responsáveis pelos problemas financeiros do RS, por conta do entreguismo que marcou o governo Britto.

Juremir Machado da Silva é o cara! Essa política de privatizações, ao contrário de ser a solução, é o caminho para piorar as coisas e aprofundar a crise econômica do estado e do país. Quem viver verá!



Mapa de privatizações fracassadas


O Brasil costuma andar dois passos atrás. No momento em que o planeta reestatiza, pensamos em privatizar tudo. Já se disse que por aqui as ideias estão sempre fora do lugar. Sempre chegam atrasadas. Há uma parte do que ocorre por aí escondida por nossos privatistas. Informação demais pode atrapalhar. A Folha de S. Paulo publicou recentemente uma matéria incômoda para os adeptos do “privatiza que melhora”. Título: “Privatizar é ideal? 884 serviços caros e ruins foram reestatizados no mundo”. A Alemanha retomou para o controle público 348 serviços. A França, 152. Até os Estados Unidos da América “desprivatizaram” 67 atividades.

Por que essa onda de reestatização? Elementar, caro cidadão: privatizados, os serviços ficaram mais caros e piores. Em 2010, Londres interrompeu a PPP de expansão do metrô. Alegação: nas mãos do Estado (sociedade organizada) haveria mais agilidade. Foram gastos 310 milhões de libras para tirar do caminho o obstáculo privado. Hamburgo, na Alemanha, pagou 500 milhões de euros para retomar o controle da energia local. Paris criou em 2008 uma empresa pública para administrar a distribuição de água controlada desde 1985 pela iniciativa privada. Em geral, as experiências de privatização de água, energia e saneamento fracassaram. Ficou pior.

 Atlanta, nos Estados Unidos, acabou com a festa da privatização da água, concedida em 1999, já em 2003. Os dados são do TNI (Transnational Institute) e constam do relatório “Reconquistando os Serviços Públicos”. A história é contada sempre da mesma maneira: os serviços públicos estão ruins; faz-se corpo mole para que eles piores; alardeia-se que com a privatização eles ficarão mais baratos e melhores; jura-se que todo mundo sairá ganhando; investe-se em campanhas de mídia; ataca-se o peso do Estado; hiperdimensiona-se o problema da corrupção; garante-se que privatizar é moderno e que a modernidade domina o mundo desenvolvido.

 Aprovada a privatização, o cenário muda. A estrada não fica tão boa quanto foi prometido, a concessionária pede revisão de contrato, aditivos surgem do nada, os preços ficam acima do esperado e os serviços abaixo do combinado. O discurso, porém, continua: “privatiza que melhora”. Este trecho da reportagem merece atenção: “Na ilha havaiana Kaua, em 2002, foram os moradores que formaram uma cooperativa (a Kauai Island Utility Cooperative) e compraram a companhia de energia da cidade, que estava à venda. A gestão é feita pela cooperativa sem fins lucrativos”. Isso é o Estado: a sociedade organizada em busca do melhor para ela. Estado só é Estado quando a sociedade que o criou deixa de controlá-lo e se acomoda.

Feita a leitura desse material a conclusão é uma só: o comunismo avança no planeta, inclusive nos Estados Unidos. Emparedado, o privatista de plantão recorre ao argumento de emergência: “A Alemanha pode reestatizar. É uma questão de cultura”. Interpretação do texto: o alemão teria no seu DNA uma capacidade de organização superior. Vinte e sete cidades espanholas reestatizaram a distribuição de água até 2017. Se tivessem conversado com Paulo Guedes antes, estariam dois passos atrás.

segunda-feira, 11 de março de 2019

Música para os meus ouvidos


Música boa não envelhece e sempre soa bem aos ouvidos...



Licença poética



Peço licença novamente para entregar-lhes outras palavras simples e sutis, arrancadas do fundo do baú do meu ser e inspiradas na minha musa imaginária...


Como eu queria tocar tua pele, teus pensamentos, teu jeito de ser...

Encostar em ti, seja do modo que for, é como tocar com uma flor um violão cuidadosamente afinado, tendo como cenário o pôr do sol, uma revoada de passarinhos e um rio calmo onde se pode pescar as melhores sensações.

sexta-feira, 1 de março de 2019

Rota alternativa para o tráfego de caminhões em pauta



Um assunto muito importante para a mobilidade e a economia local foi tratado na manhã desta sexta-feira, 1.º, no Gabinete do Prefeito.

Na ocasião, o prefeito em exercício, Fernando Silveira, recebeu representantes das empresas florestais que atuam no município (CMPC, Tanac e Granflor), na intenção de firmar parceria para a construção de uma passagem molhada na localidade do Passo das Pedras, criando uma rota alternativa para o tráfego dos caminhões de grande porte que fazem o transporte de madeiras oriundas das florestas cultivadas em Herval e municípios vizinhos.

Segundo Fernando, o plantio de árvores exóticas é algo consolidado e não cabe mais discussões sobre os impactos positivos ou negativos dessa atividade. No entanto, o poder público tem a responsabilidade de zelar pela segurança e pela manutenção da infraestrutura do município, sendo que o tráfego desses caminhões pela área urbana vem oferecendo riscos e prejuízos em ambos os aspectos. Nesse sentido, é preciso encontrar uma solução que garanta o escoamento dessa safra, causando o menor impacto possível em termos de infraestrutura de transporte, frisou. O prefeito em exercício também salientou que o município não possui recursos financeiros para arcar com os custos de criação da rota pretendida, a qual vai desviar o trânsito dos caminhões do perímetro urbano, razão pela qual é preciso que as empresas envolvidas arquem com o custo dessa obra.

Os representantes das empresas florestais presentes no encontro viram com bons olhos a ideia da rota alternativa e se posicionaram de forma positiva no sentido de firmar a parceria proposta para viabilizar a obra em questão. Contudo, alegaram que antes é preciso solucionar outro impasse que são normativas legais e regulamentos impostos pelo DAER, as quais vem restringindo o trânsito nas rodovias estaduais dos caminhões que fazem o transporte das cargas de madeira, mais especificamente no que diz respeito aos trechos que possuem pontes.

Diante disso, ficou combinado que o município deverá encaminhar ao DAER pedido de licença para o trânsito desses caminhões nas RS 602 e 473, que liga Herval a Arroio Grande. Foi acordado também, que a administração municipal deverá pautar esse assunto na Azonasul, no intuito pleitear junto ao governo do estado a atualização da legislação hoje vigente, criando menos entraves e barreiras para o escoamento da madeira produzida não só nessa região, mas em todo o Rio Grande do Sul.

Também participaram da reunião os secretários Toninho Veleda, Valmir Miliorança e Daniel Xavier, além da engenheira Clara Gomes e do Coordenador de Relações Comunitárias, André Luiz Pereira da Silva.

Parcerias que fazem Herval avançar



Como resultado da parceria entre os Poderes Executivo e Legislativo do município, os feirantes que comercializam os produtos da agricultura familiar na praça central de nossa cidade, conquistaram uma estrutura própria e mais adequada para a realização dessa comercialização.

O espaço que ainda não está concluído, foi disponibilizado para uso pelos feirantes essa semana, tendo sido custeado com recursos economizados pela Presidência da Câmara de Vereadores, sob o comando do vereador Edinaldo Azevedo (PT), os quais retornaram aos cofres da prefeitura no final de 2018 para assegurar esse investimento.

Tal estrutura foi projetada pela engenheira Clara Gomes, da pasta do Planejamento e está sendo executada por servidores da Secretaria de Obras e Mobilidade Urbana e Rural. Vale destacar ainda o apoio da EMATER que, através dos seus técnicos, colaborou bastante nessa empreitada.

Na manhã de hoje o prefeito em exercício, Fernando Silveira, o presidente do Legislativo, Edinaldo Azevedo, o secretário de Planejamento, Toninho Veleda, juntamente com feirantes e alguns servidores da administração municipal, prestigiaram o espaço que é modesto, mas representa um grande ganho para potencializar a comercialização dos produtos da agricultura familiar do município.

Música para os meus ouvidos


Que esse Carnaval, maior festa popular do planeta, ajude a soprar para os lados do Brasil os ventos da liberdade que tem andado muito longe da "terra tupiniquim".




Rir é o melhor remédio




Ato político


Como profetizou a canção, "somos o país do futuro. Futuro que insiste em não vir por aqui".

E justo quando havíamos encontrado o caminho para nos colocar noutro patamar de desenvolvimento material e humano (ou justamente por esse motivo), eis que as forças do atraso formaram uma onda turva e avassaladora que nos jogou de volta no passado longíquo e terrivelmente nas garras do mal.

Mas "não há longa noite que não encontre o dia". 




“O governo roda em torno de si mesmo e do nada(…) Acabrunha, irrita, revolta”
(Miriam Leitão, hoje no Globo, resumindo a ópera bufa bolsonariana).


No mesmo dia em que Jair Bolsonaro completa dois meses de governo, o noticiário político dá conta de que ele, eleito em nome da “nova política” e do combate à corrupção, já cedeu à chantagem do “dá ou desce” do Centrão velho de guerra dos tempos de Eduardo Cunha.
A mesma “velha política”, criminalizada pelo capitão durante a campanha eleitoral, que levou Dilma ao impeachment, agora ameaça detonar a reforma da Previdência, o pau da barraca do governo, se não forem atendidas suas demandas.
Em nome da pátria, pedem o mesmo de sempre: verbas das emendas parlamentares à vista (fala-se em R$ 10 milhões por cabeça) e cargos no segundo escalão do governo federal em seus estados.
Mesmo fazendo cara feia, Bolsonaro foi negociar o apoio dos partidos do centrão e, já meio no desespero, convocou o filho Carlucho, o Zero Dois, para deflagrar uma campanha nas redes sociais em favor da aprovação da reforma.
Só vamos saber o resultado dessa ofensiva depois do Carnaval porque as excelências já deixaram Brasília e só voltam na segunda semana de março.
Até lá, a reforma da Previdência, o pacote do Moro, e o resto vão ter que esperar.
Sem ter conseguido até agora montar uma articulação política que preste no Congresso, sem uma base aliada confiável, sem um projeto de governo definido, com um ministério esquizofrênico, Bolsonaro atravessou este primeiro período de governo entre fracassos e delírios, a cada dia mais perdido na cadeira presidencial.
A chamada “lua de mel” de início de mandato foi um completo desastre.
Frondosos pomares de laranjais, variadas denúncias de corrupção de membros do governo, chantagens, barganhas, bateção de cabeças no Planalto, atritos com importantes parceiros comerciais, não teve um dia sem crise com a “nova política”.
Até os bolsominions que o elegeram já estão perdendo a paciência, como Carlucho constatou na reação às suas mensagens em defesa do pacote de Paulo Guedes, o Robin Wood ao contrário formado na escola de Chicago.
“Votei no 17 mas nem ferrando eu concordo com a Previdência”, reagiu um internauta ao comentar o vídeo postado pelo Zero Dois com Bolsonaro defendendo as mudanças, como relata Monica Bergamo em sua coluna na Folha.
“Seu pai podia fazer uma `live´explicando como se aposentar aos 33 anos de idade”, escreveu outro, lembrando o fato de Bolsonaro ter sido reformado (aposentado) pelo Exército, ao final de um processo por indisciplina.
Fake news no twitter e no zap-zap podem servir para ganhar uma eleição fraudada, mas não se mostram muito úteis para governar, tanto que os Bolsonaros estão saindo fininho das redes sociais nos últimos dias.
Os deuses do mercado também parecem já não botar fé nos poderes do capitão: o Índice de Confiança Empresarial caiu 0,7 ponto em fevereiro, segundo a Fundação Getúlio Vargas.
E até o PSL do laranjeiro Luciano Bivar, o partido franqueado ao presidente para disputar a eleição, já está dividido, com seus cacarecos disputando o butim do poder indo com muita sede ao pote.
De prático, só tivemos até agora o envio dos pacotes de Guedes e Moro à Câmara, onde estão empacados.
Até onde o desgoverno bolsonariano vai resistir?
E até onde o país aguenta tantos desvarios de ministros, elogios a ditadores e torturadores, ameaças aos direitos humanos e às conquistas sociais, agressões ao bom senso e à mínima civilidade nos modos?
Com o poder dividido entre os filhos do capitão e os generais de pijama que o tutelam, tudo pode acontecer, inclusive nada.
Por enquanto, eles estão mais preocupados com o destino da Venezuela de Maduro e o muro do Trump na fronteira do México do que com o dos 12,7 milhões de desempregados brasileiros, segundo o último levantamento do IBGE.
Parece ficção, e é tudo real. Foram só dois meses, mas já parece uma eternidade.
Vida que segue.


Momento poético

A FALTA QUE AMA Entre areia, sol e grama o que se esquiva se dá, enquanto a falta que ama procura alguém que não ...