terça-feira, 27 de outubro de 2015

Licença poética



Peço licença uma vez mais para entregar-lhes novas palavras simples e sutis, arrancadas do fundo do baú do meu ser e inspiradas na minha musa imaginária...


Vida louca, vento leve,
Beijo longo, abraço breve.
Sol que racha, chuva que lava,
Frio que maltrata, cerração que levanta.

Tudo passa, só o que fica é essa sede de ti,
essa vontade de te ver, pegar em meus braços,
viajar por cada pedaço do teu corpo sem pressa 
e sem notar o tempo passar.

Nenhum comentário: