Sobre o Blog do Toninho

O Blog busca retratar coisas da vida interiorana e do meu interior, numa abordagem que mistura reflexão, notícias, riso, poesia, musicalidade, transcedentalidade e outras "cositas más". Tudo feito com produções próprias, mas também com a reprodução do pensar ou do sentir dos grandes gênios que o país e a humanidade pariram.

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Prefeito de todos




Ao contrário da pregação oposicionista, que ganhou contornos de irracionalidade ao longo do período eleitoral, o prefeito reeleito do município é um prefeito de todos e para todos, e não o representante dos interesses dos mais abastados. Já sei que vou ser execrado por muitos pelo fato de fazer tal afirmação. É assim mesmo! Quem não tem argumentos precisa se agarrar com unhas em dentes no imponderável, na simplificação das coisas e/ou nos insultos pessoais.

Para os defensores mais ferrenhos da política enquanto algo restrito à briga entre pobres e ricos, lembro que Ildo Sallaberry não nasceu em berço de ouro. Ildo nasceu pobre e cresceu na vida graças ao seu talento, determinação e muito trabalho. Ademais, depois de ascender materialmente, ao contrário de muitos conterrâneos nossos, além de retornar à terra natal para compartilhar sua experiência, Ildo passou a investir como poucos no desenvolvimento da terra hervalense.

No comando do paço municipal Ildo nunca privilegiou os mais endinheirados. Antes o contrário. Seu governo tem se baseado no firme propósito de oferecer mais e melhores serviços públicos, justamente para oportunizar uma vida melhor e atender primeiro aqueles que mais precisam. Como exemplo concreto desse fato, temos inúmeras obras e ações governamentais levadas a efeito pelo atual chefe do poder executivo e uma passagem muito emblemática que compartilho aqui e agora. Reporto-me à ocasião em que acompanhei o prefeito em viagem a Brasília na qual fora anunciada pela Ministra do Planejamento, Miriam Belchior, os novos investimentos do PAC para atender projetos de pavimentação encaminhados pelos municípios.

No retorno de Brasília o prefeito convocou-me para uma reunião, a fim de tratar o assunto. Ao ser questionado sobre a área da cidade que considerava mais necessitada do pretendido investimento, minha resposta foi de que deveríamos buscar esses recursos para valorizar as ruas de entrada da cidade. Pois o prefeito não desvalorizou minha ideia, mas considerou que a prioridade deveria ser elaborar o projeto com vistas a disputar os recursos disponibilizados pela administração federal, de modo a levar o calçamento às ruas onde reside a população mais carente, como também avançar nas obras de calçamento capazes de interligar os bairros com o centro da cidade. Tudo para facilitar o deslocamento das pessoas e evitar que o povo pobre precise amassar barro ao sair de casa.

Outro exemplo contundente reside na nomeação de quadros administrativos para o primeiro escalão do governo, antes desvalorizados e desprestigiados pelo jogo mesquinho do poder. Isto é, ao invés de apostar nas antigas figurinhas carimbadas e na prática de colocar os interesses dos partidos acima dos interesses maiores do município, Ildo mostrou o quanto é novo, mudando a forma de administrar e também dando espaço para novos talentos em diferentes áreas da administração. Foi assim com os excepcionais Bita e Daiane no Turismo, com o fabuloso Mogar na educação, com o genial Luiz nas Finanças, com a magnífica Janise na Saúde, com o esforçado Toninho no Planejamento, entre outros.

A questão é que um pensamento político local habitou-se a visão arcaica, quase jurássica, do elogio à pobreza como caminho, forma e conteúdo para chegar e/ou se nutrir no poder. Ou seja, muitos que acusam o prefeito de elitista sabem que essa pregação não se sustenta na vida real. Ocorre que admitir isso significa secar a fonte que os sustenta e, consequentemente, obrigaria a beber em novas fontes. Porém, como reinventar o discurso e a maneira de proceder na vida pública é mais complicado, o jeito é manter-se pelo caminho ultrapassado de sempre, mesmo quando ele não conduz a lugar nenhum, exceto aos velhos erros e derrotas. O fato, acima de qualquer boato, é que a maioria do nosso povo conhece o prefeito atual, sabe de onde ele vem e seu compromisso de construir um Herval melhor para cada vez mais hervalenses.


Nenhum comentário:

Pensar é preciso!

Para não dizer que foi por falta de aviso...