Sobre o Blog do Toninho

O Blog busca retratar coisas da vida interiorana e do meu interior, numa abordagem que mistura reflexão, notícias, riso, poesia, musicalidade, transcedentalidade e outras "cositas más". Tudo feito com produções próprias, mas também com a reprodução do pensar ou do sentir dos grandes gênios que o país e a humanidade pariram.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Ato político




Ato político de hoje pega pesado, porque hay que endurecerse, pero sin perder la ternura.
Faço coro com as palavras, duras mas necessárias e apropriadas de Diogo Costa.

Uma coisa é julgar e condenar alardeados mal feitos, outra coisa é a Mais Alta Corte deste país condenar alguém, com absoluta falta de provas e sem direito a ampla defesa, apenas pelo fato dele ser quem é.

Ou seja, é como se um pai ou mãe devessem pagar pelos crimes cometidos por um filho, tão somente por estarem investidos da condição de pai e mãe de um delinquente. Uma tremenda injustiça e um precedente perigoso que põe em risco o Estado Democrático de Direito, patrocinado justamente pela instituição que mais deveria zelar por ele.

Por trás dos muitos golpes de manchete sobre o tal mensalão o que existe é uma tentativa espúria de criminalizar o maior partido da América Latina. Quem não sabe! E não se trata de tapar o sol com a peneira, mas de dar um chega pra lá na hipocrisia.

Se os falsos moralistas de sempre quisessem de fato oferecer novos ares ao ambiente político-institucional desse continental país, estavam torcendo e fazendo força pela reforma política, ao invés de fazerem evolução na frente das câmeras, apontar os defeitos alheios com o dedo sujo e barrar qualquer tentativa de avanço nas regras do nosso jogo político.

Sem uma reforma política que institua, entre outras medidas, o financiamento público das campanhas eleitorais, desvios e malfeitos continuarão a existir. Mas em se tratando do PT serão batizados com outro nome, o tal mensalão, na tentativa sustentar a tese de que essa agremiação partidária é constituída e comandada por uma multidão de criminosos e oportunistas insaciáveis.

O pior é que as instituições que deveriam garantir os direitos e os avanços alcançados na sociedade parecem preferir a volta ao passado. A onda agora é condenar o PT e alguns de seus expoentes, preferencialmente ao vivo em rede nacional. E a lei? Que se dane a lei. A lei vale para todos, menos para "essa gentinha". Já vivemos esse apartheid político-social durante intermináveis anos e ele, além de motivo de vergonha, foi um dos maiores responsáveis pela estagnação do Brasil e dos brasileiros. Regimes de exceção nunca mais, ainda que eles estejam cobertos pela toga da aparente legalidade e da justiça. 


José Dirceu, uma história de resistência. 


Por 
 


José Dirceu foi condenado sem nenhuma prova contra si. Foi condenado por ser quem era no primeiro governo Lula. E, mais do que isso, condenado por ser a figura pública que é desde 1967. Já fora condenado no passado por psicopatas, por facínoras fascistas e golpistas que instituíram um regime de exceção que assassinou, estuprou, torturou, escondeu cadáveres, censurou e que praticou atos de terrorismo de estado e inúmeros crimes contra a humanidade. Pois bem, José Dirceu estava do outro lado, lutando pelas liberdades democráticas, teve sua vida posta em jogo em nome de uma causa. Foi preso, torturado, processado, julgado, condenado e banido do país por lutar contra os vermes que assaltaram a democracia, a Constituição e o povo brasileiro em 1964.

Este é José Dirceu. E por saber quem é José Dirceu é que os fascistas de hoje urram de prazer por encarcerá-lo novamente. Os fascistas de hoje tiveram uma vitória de pirro, pois o povo brasileiro os abomina há muito tempo e vem manifestando o seu intenso repúdio contra essa camarilha de impostores covardes e de farsantes togados que patrocinaram uma das maiores fraudes judiciais da história do Brasil. Odeiam José Dirceu e o PT, sentem por eles raiva, nojo, ojeriza, repulsa e um incontrolável sentimento de ódio. E o fazem porque, acima de tudo, odeiam a democracia, odeiam a liberdade, odeiam uma pessoa e um partido que nasceu, cresceu e se forjou nas lutas contra a tirania e a opressão ditatoriais. Odeiam uma pessoa e um partido que fizeram e fazem da bandeira da justiça social, da distribuição de renda e da igualdade de oportunidades a sua própria razão de existir.

Condenaram um réu ampla, geral e irrestritamente inocente para satisfazer a sanha de uma imprensa pestilenta que se nutriu e se agigantou lambendo as botas da ditadura. E, além de tudo o que já foi dito, agora os fascistas salivam de prazer, aliás, não é de prazer, é de alívio. Os fascistas são covardes, temem o povo brasileiro e abominam tudo o que é ligado a temas sensíveis aos históricamente deserdados por uma classe dirigente perversa, mesquinha e atroz. Por isso criminalizam a política, por isso preferiram desde sempre construir cadeias ao invés de construir escolas. E o ódio dessa gente se agiganta cada vez mais, onde já se viu fazer PROUNI para que esses pobres miseráveis e desgraçados venham a ocupar as faculdades que sempre foram um privilégio dos endinheirados? Onde já se viu implementar as cotas para que os negros que sempre foram discriminados neste país racista chamado Brasil possam se formar em Medicina? Onde já se viu implementar cota de 50% de vagas para estudantes oriundos da escola pública nas Universidades, que sempre foram o reduto preferencial dos filhinhos de papai? Que história é essa de trabalhadores que levantam a voz em nome de seus direitos desde sempre sonegados? Que história é essa de regulamentar o trabalho das empregadas domésticas, quem haverá de limpar as privadas onde se assentam as alvas e cultas bundas dos habituais detentores da renda nacional? Que história é essa dessa sub-raça de negros e pobres favelados frequentando shopings centeres e aeroportos? E assim vai...

É por isso que nutrem tanto ódio contra José Dirceu e o PT. Um ódio indisfarçável. Um ódio que, aliado ao medo típico de um burguês assustado com a ascenção social das classes menos abastadas, transforma-se em fascismo incontrolável. Pois logo esses burgueses assustados, que se reinventam enquanto fascistas envergonhados, descobrirão que a marcha da história é maior do que um homem e até mesmo do que um partido. Descobrirão que a condenação e subsequente prisão de um inocente servirá apenas para incentivar ainda mais a luta daqueles que pretendem tornar o Brasil uma nação civilizada para todos, e não para meia dúzia, para a meia dúzia de sempre. Lamentávelmente estamos em 2012, a farsa protagonizada pelos verdugos togados está incompleta! Ó, meu Deus, porque não estamos, ao invés de 2012, em 1812?! Fosse assim, poderiam condenar José Dirceu a pena de morte, poderiam enforcá-lo, esquartejá-lo, confiscar os seus bens e os bens de sua família e espalhar seus pedaços despedaçados num fulgurante caminho entre São Paulo e Brasília! Serviria de exemplo para que nunca mais essa gentalha desprezível ousásse contestar o poder dominante...

Pois digo eu agora, que sigam adiante! A vingança não está ainda completa. Denunciem Luiz Inácio Lula da Silva, o processem, o julguem, o condenem sem prova alguma e com base no "domínio do fato". Encarcerem este desgraçado deste nordestino analfabeto, pau de arara e cachaceiro sindicalista! Encarcerem esse ser desprezível que despertou as massas para um futuro melhor, que os engravatados sempre conseguiram sonegar e postergar e impedir que o povo brasileiro sequer sonhasse com isso! Mas não devem apenas encarcerá-lo, devem encarcerá-lo num presídio de segurança máxima, de preferência no meio da floresta amazônica ou em alguma ilha perdida no Oceano Atlântico. E, óbviamente, devem condená-lo em mais de 30 anos de regime fechado, sem direito a visitas e nutrido única e exclusivamente com pão seco e água barrenta! E também não se esqueçam de considerá-lo um infame que atentou contra as instituições, tal qual fizeram quando exararam a sentença de morte para um certo Joaquim José da Silva Xavier...

E, depois de tudo isso, lamento informar aos fascistas de plantão, mas presenciarão, estupefatos, que mesmo com todas essas vilanias, não acabarão com o Partido dos Trabalhadores. E não acabarão justamente porque o PT não é um fim em si próprio, mas antes uma imposição histórica que surgiu e sem mantém firme justamente porque o Brasil é um país racista, injusto, violento e que despreza e humilha os verdadeiros heróis nacionais, que são os trabalhadores que produzem a riqueza social tão pérfidamente distribuída. A militância do PT surgiu para combater as injustiças, sejam elas quais forem. Os que os verdugos deveriam saber é que a cada condenação sem provas, a cada vilania que cometem sem pudor algum, resta o aumento da indignação de uma militância ávida pela luta, ávida por destruir os grilhões que oprimem o povo brasileiro. As injustiças são o alimento dos que se indignam contra a barbárie. Pois que continuem operando suas farsas, estão apenas a alimentar e fortalecer o Partido dos Trabalhadores. Pois que continuem, que inventem, denunciem, processem e julguem mais 01, 02 ou dez "mensalões", que coloquem 01, 02, 10, centenas ou milhares de dirigentes do PT atrás das grades! E de preferência que façam tudo isso com base em fraudes processuais!

Força José Dirceu, os que hoje te condenam estarão amanhã repousando na lata de lixo da história, como estão já hoje os infelizes que golpearam a nação em 64. Nunca serão mais do que notas de rodapés. Teu nome já está na história, e ela ficará ainda mais bonita acrescida da luta contra a tirania atual. Tu és um forte, um sobrevivente, e vais sobreviver e vencer novamente aos teus algozes. Como ontem, fará hoje e amanhã a boa luta que engrandece e dignifica a batalha secular do povo brasileiro por justiça, por igualdade e por dignidade. Aos opressores, o opróbrio. Aos lutadores, uma efusiva e mais do que justa salva de palmas! 

Nenhum comentário:

Música para os meus ouvidos

Viva Cazuza! Viva as canções que tocam as feridas e mostram que a vida é muito mais migalhas, máscaras ou arremedos de vida!