quinta-feira, 5 de abril de 2012

Péssimo no governo, ruim na oposição



Matéria publicada no “blog Javali do Herval” no último dia 3, informa sobre uma enquete realizada pela rádio Herval FM questionando os ouvintes sobre qual investimento seria prioritário: a compra de uma ambulância ou a construção de mais calçamento.

Na condição de Secretário Municipal de Planejamento, portanto, de quem exerce papel protagonista na definição da aplicação dos recursos da prefeitura, esclareço que, no meu ponto de vista, tal enquete é absolutamente desinformada e com viés nitidamente politiqueiro.

Desinformada porque a prefeitura acaba de adquirir uma ambulância, com recursos oriundos do governo do estado, a qual deverá ser entregue em no máximo 30 dias, cujo processo licitatório foi amplamente divulgado pelo jornal local. Informo ainda sobre a possibilidade da compra de uma segunda ambulância, esta com recursos provenientes do Ministério da Saúde, sendo que a liberação da referida verba se encontra em processo e ainda não está assegurada.

Politiqueira – e esta é uma opinião minha – porque as mesmas vozes que agora clamam por investimentos na saúde, quando eram governo não aplicavam nesta área vital para a população sequer o percentual mínimo estabelecido pela legislação, de 15% da arrecadação da prefeitura, e a prova disso é o TAC firmado pela administração anterior junto ao Ministério Público, que na ocasião agiu para cobrar essa dívida que acabou honrada pela gestão atual. Além disso, o governo de antes, além de entregar os veículos e ambulâncias completamente sucateados, ao invés de uma ambulância preferiu comprar uma camionete nova para uso do prefeito da época. Mais tarde, em pleno processo eleitoral, até comprou uma ambulância, mas deixou a dívida para ser quitada pela administração de agora.

No meu conceito tal enquete é polítiqueira também, porque propaga e se apóia num falso dilema. Ou seja, a administração tem a previsão de executar novas obras de calçamento ainda este ano e nem por isso irá deixar de atender outras demandas importantes e prioritárias, especialmente na saúde.

Oposição é legítimo e necessário. Mas vamos combinar: opositores desqualificados, mal intencionados ou oportunistas é algo que chega ser cômico, se não fosse trágico.

3 comentários:

Anônimo disse...

Hoje, li no Blog que houve uma enquete na emprensa local, sobre a aplicação dos recursos públicos, da pasta do planejamento, do meu Município. Como não vivo na terra, acompanho a distancia, mas atentamente a administração municipal. Converso com muita gente, troco mensagens sobre o assunto e sei que esta administração vai muito bem obrigada. Que a administração é de conciliação e que esta buscando o bem estar do seu povo. Como ciência, a Política trata das relações do Estado e dos cidadãos, da legislação, das finanças, da administração interna, das relações dos povos entre si. A verdadeirga política tem como objetivo realizar, pelos governos de um Estado,neste caso do Municipio; a justiça e o interesse geral dos cidadãos. No presente caso da enquete é politicagem ou seja é instrumentalizar a duvida na cabeça do eleitor . Politicagem é a parte ruim da politica, é o interese próprio à custa do bem comum. Política é serviço; politicagem é crime ético lança a duvida sobre decisões de foro do administrador.

Anônimo disse...

A SENHORA QUE ESCREVEU LOGO ACIMA, ACHA ISSO MESMO, OU É QUE NEM O DONO DESTE BLOG QUE GANHOU UMA SECRETARIA PARA FALAR BEM DO GOVERNO? AQUI TEMOS DUAS AMBULÂNCIAS VELHAS E ESTE ATUAL GOVERNO NÃO COMPROU NENHUMA...

Toninho Veleda disse...

Esclareço a esta segunda opinião anônima que esta administração adquiriu sim uma ambulância que deverá ser entregue nos próximos dias. Quem lê jornal sabe disso, uma vez que o processo licitatório desta compra foi amplamente divulgado pelo jornal local. Quanto a falar bem do governo, esclareço que mesmo antes de assumir uma Secretaria em nome do meu Partido, já fazia a defesa deste governo, por considerar que ele faz muito bem para Herval como um todo. Só não faz bem para os opositores de sempre e para aqueles que fazem política pensando num cargo, muitas vezes sem qualificação para exercê-lo. Se meu intento fosse apenas ser Secretário, teria aceito o convite feito pela administração anterior para assumir um cargo no primeiro escalão, algo que recusei porque aquele governo foi um desatre e uma vergonha para todo hervlense que ama esta terra.