terça-feira, 17 de abril de 2012

O progresso contra o atraso





Quem vê a genialidade e as peripécias de Lionel Messi imagina que é fácil ser gênio e fazer peripécias nos gramados. Quem se encanta com a beleza de uma Juliana Paes tende a acreditar que beleza física é tão democrática como o sol que nasceu para todos indistintamente. Faço esse paralelo para contrapor o discurso dos oposicionistas que, agora que “a casa foi arrumada”, posam de vestais e passeiam pelas ruas com ares de figuras públicas competentes e dedicadas, como se a bagunça que deixaram ao nível da administração municipal nunca tivesse existido.

A primeira pergunta que surge diante desta postura é a seguinte: se administrar é tão fácil, por que as mesmas figuras que agora bradam na oposição, tiveram um desempenho vexatório enquanto estavam no governo? Ou estas distintas criaturas ficaram cegas, surdas e mudas com o poder e somente agora recuperam os sentidos e o juízo? Outra pergunta: se as vozes que agora gritam por mais e melhor governo são tão lúcidas, acertadas e bem intencionadas, por que tentam desesperadamente minimizar ou mesmo negar os feitos do atual governo e, além disso, não oferecem nada para colocar em seu lugar, a não ser a crítica pela crítica?

Agora que a prefeitura recuperou o crédito e a capacidade de realização parece que essa conquista foi um lance de sorte ou mera obra do acaso. É como se alguém tivesse ateado fogo na cidade, ao invés de apagá-lo ficasse ateando ainda mais fogo e, de repente, se apresentasse com pinta e credencias falsas de bombeiro. Quanta arrogância! Somente um cego ou uma mente muito fanatizada para não reconhecer primeiro as inúmeras conquistas deste governo e depois que elas são fruto do trabalho exaustivo e do enorme talento da gestão em curso. Não se está aqui a dizer que o governo é perfeito e que os problemas estão todos resolvidos. O que se diz, sem medo de errar ou ser feliz, é que comparativamente aos últimos governos e, sobretudo, ao que o antecedeu, o governo atual fez muito mais e para mais hervalenses.

Quem não lembra do vale-alimentação dos servidores, uma novela que se arrastava há anos e que acabou ganhando contornos dramáticos com a tentativa feita pela administração anterior de acabar com a lei que assegurava este direito aos servidores? Pois o prefeito Ildo não apenas manteve a lei de pé, como retomou o pagamento deste beneficio que se encontrava suspenso. E mais: está quitando os atrasados. Outra novela de anos era o básico dos servidores. Aqui novamente o chefe do Poder Executivo agiu com presteza e ousadia e garantiu o que parecia impossível: a elevação do básico como primeiro passo da recuperação salarial do funcionalismo público municipal. Por outro lado, o prefeito nunca deixou de insistir nas negociações e acaba de apresentar nova proposta para melhorar a remuneração do magistério, uma demanda justíssima, mas que vem esbarrando nas limitações orçamentárias da maioria das administrações.

A realidade dos veículos e maquinários sucateados também foi deixada para trás. Isto porque a competência do mandatário maior do município garantiu a renovação do maquinário e dos veículos de todas as Secretarias, permitindo um melhor atendimento das demandas da população por mais e melhores serviços no campo e na cidade. E a renovação ainda não chegou ao fim, uma vez que novas máquinas e veículos, brevemente devem aportar em solo hervalense.

Tudo isso e muito mais enfrentando anualmente os efeitos perversos da estiagem, alguns dos maiores desastres naturais da nossa história, um passivo financeiro de mais de R$ 1,6 milhões, além de uma população e um conjunto de funcionários descrentes na recuperação e na importância daquilo que é público. É mole ou quer mais? E tem gente (especialmente do contra), que acha isso fácil. Agora que a cama está arrumada não falta quem queira deitar ou dizer que arrumá-la não foi nada, mas as pessoas sensatas sabem o quanto custou chegar ao patamar atual, que esta jornada está apenas começando e que quem desgovernou a máquina pública no passado não saberá guiá-la no presente de desafios ainda maiores e que estão a pedir vôos cada vez mais altos.

A vitória de Luís Inácio Lula da Silva para a Presidência da República sobre José Serra representou a vitória da esperança contra o medo. Recentemente a vitória de Dilma Rousseff sobre o mesmo representante do tucanato significou a vitória da verdade contra a mentira. Creio que ao nível local, a vitória das verdadeiras forças progressistas na corrida eleitoral que se aproxima marcará a vitória retumbante do progresso contra o atraso. Será o triunfo das forças que querem Herval melhor para todos sobre as forças políticas patrocinadoras da mediocridade, da negociata e da bagunça. Venceremos!

 

Nenhum comentário: