Sobre o Blog do Toninho

O Blog busca retratar coisas da vida interiorana e do meu interior, numa abordagem que mistura reflexão, notícias, riso, poesia, musicalidade, transcedentalidade e outras "cositas más". Tudo feito com produções próprias, mas também com a reprodução do pensar ou do sentir dos grandes gênios que o país e a humanidade pariram.

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Momento poético




ELOGIO DO MAL
(Paulo Henriques Britto)


1


A uma certa distância
todas as formas são boas.
Em cada coisa, um desvão;
Em cada desvão não há nada.


À mão direita, a explicação
perfeita das coisas. À esquerda,
a certeza do inútil de tudo.
Ter duas mãos é muito pouco.


Por isso, por isso os nomes,
os nomes que embebem o mundo,
e os verbos se fazem carne,
e os adjetivos bárbaros.


2


O mundo se gasta aos poucos.
A coisa se basta a si mesma,
mas não basta ao que pensa
um mundo atulhado de coisas


que se apagam sem pudor,
que se deixam dissipar
como quem não quer nada.
Existir é muito pouco.


Por isso, por isso os nomes,
os nomes que se engastam nas coisas
e sugam o sangue de tudo
e sobrevivem ao bagaço


e negam a tudo o direito
de só durar o que é duro,
e roubam do mundo a paz
de não querer dizer nada.


3


Bendita a boca,
essa ferida funda e má.



Nenhum comentário:

Momento poético

Já és minha Já és minha. Repousa com teu sonho em meu sonho.  Amor, dor, trabalho, devem dormir agora.  Gira a noite sobre...