sexta-feira, 9 de maio de 2008

Um Lugar ao Sul



No próximo dia 13/05 o livro UM LUGAR AO SUL: Olhares indiscretos sobre o Herval completa 1 ano do seu lançamento.
Desde já, agradeço a todas e todos que colaboraram para o sucesso desta obra prima e irmã e filha da terra do Herval.
Só para me exibir, transcrevo a seguir as palavras do grande poeta piratiniense Juarez Machado de Farias, escritas em solidariedade ao livro e seu autor. Brigaduuuuuuuuu!!!!!!!!

Uma Vereda Para Um Lugar Ao SUL

"O que é velho está morto ainda que o novo não tenha nascido."
(Jules Michelet)

UM LUGAR AO SUL - obra de Luiz Antonio Garcia Veleda (Toninho) - lança olhares filosoficamente indiscretos sobre este município inserido na metade-sul de nosso Estado em precário estado. Região geográfica de triste memória escravocrata, latifundiária, machista, conservadora. "Definir é matar. Sugerir é criar." Atentando para o que diz o poeta Stéphane Mallarmé, digo que a referida obra sugere aos olhares sensíveis que estamos, de fato, diante de coisas mortas e putrefeitas que tomam feição de poder institucional. Não por acaso, um filho do "Herval de baixo" vem - com a palavra desperta e a necessária indiscrição - a incomodar os conservadores. Não tenho o cetro mas tenho a pena." Assim como pensou o iluminista Voltaire, Toninho Veleda nos aponta uma "vereda" para a indignação acerca das injustiças sociais que medram em nossos municípios. Afinal, muitos outros cidadãos e cidadãs do mundo enxergarão seus municípios no Herval redescoberto pelo olhar indiscreto deste hervalense movido à inquietude...
Se é possível obter água cavando o chão; se é possível enfeitar a casa; se é possível crer desta ou daquela forma; se é possível nos defendermos do frio ou do calor; se é possível desviar leitos de rios, fazer barragens; se é possível mudar o mundo que não fizemos, o da natureza, por que não mudar o mundo que fazemos, o da cultura, o da história, o da política?
(Paulo Freire)
As vontades populares estão desenhando um SOL para este SUL. Agora, só faltam os vivos ocuparem o lugar dos mortos.
Parabéns, Toninho, pela vereda ensolarada que apontaste a nossos olhos cabisbaixos. Que não desistas jamais de buscar o verdadeiro sol, o SOL da SOLIDARIEDADE!

Nenhum comentário:

Para pensar

Todo mundo, alguém, qualquer um e ninguém Esta é uma história de quatro pessoas: TODO MUNDO, ALGUÉM, QUALQUER UM e NINGUÉM. Havi...