Sobre o Blog do Toninho

O Blog busca retratar coisas da vida interiorana e do meu interior, numa abordagem que mistura reflexão, notícias, riso, poesia, musicalidade, transcedentalidade e outras "cositas más". Tudo feito com produções próprias, mas também com a reprodução do pensar ou do sentir dos grandes gênios que o país e a humanidade pariram.

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

É uma vergonha III



Por determinação do presidente, as sessões do legislativo municipal não devem mais ser transmitidas pela rádio 104.9 até o final da sua gestão. Segundo o vereador, a relação entre Câmara e rádio foi constituída sem nenhuma formalidade, o que deu margem para o corte de alguns pronunciamentos, em razão da decisão da direção deste veículo de comunicação de não transmitir as sessões na íntegra.

Como exemplo destes cortes, Claudio Inhaia (PT) cita a sessão do último dia 8 de novembro, na qual foram feitas inúmeras críticas à direção da Casa durante discussão da proposição de iniciativa do vereador Batista (PDT), sendo que a resposta oferecida ao presidente não foi levada ao ar, tendo em vista que o horário estipulado pela rádio para as transmissões das sessões legislativas (20h) foi extrapolado.

Mas o fato mais lamentável aconteceu nesta última quarta-feira, 23, data prevista para a realização de mais uma sessão ordinária do legislativo. Inconformados com a decisão do presidente, os vereadores das bancadas do PDT e PMDB apresentaram requerimento momentos antes do horário previsto para o início da sessão, pedindo a transmissão dos trabalhos legislativos.

Diante da apresentação de tal documento, o presidente reiterou que as transmissões estavam encerradas devido aos constantes cortes promovidos pela rádio, os quais acabavam redundando em ganhos ou perdas políticas dependendo da preferência da rádio. O presidente lembrou também a negativa da maioria dos vereadores presentes na sessão anterior para que o ex-Diretor da Casa pudesse fazer uso da palavra no legislativo com a intenção de contrapor as acusações que recebera, o que configuraria ato de censura.

Em face das declarações de Claudio, os vereadores das duas bancadas mencionadas acabaram por se retirar do plenário, impedindo a realização da sessão. A pergunta que fica é se os faltosos também abrirarão mão da remuneração correspondente, mesmo que seu trabalho não tenha sido realizado. Mais uma cena para nos envergonhar!

Nenhum comentário:

Pensar é preciso!

Para não dizer que foi por falta de aviso...