terça-feira, 9 de maio de 2017

Momento poético



Quando jura ser feita de verdades, 
Em minha amada creio, e sei que mente,
E passo assim por moço inexperiente,
Não versado em mundanas falsidades
Mas crendo em vão que ela me crê mais jovem 
Pois sabe bem que o tempo meu já míngua, Simplesmente acredito em falsa língua: 


E a patente verdade os dois removem. 
Por que razão infiel não se diz ela? 
Por que razão também escondo a idade? 
Oh, lei do amor fingir sinceridade 
E amante idoso os anos não revela. 
Por isso eu minto, e ela em falso jura, 
E sentimos lisonja na impostura.


William Shakespeare

Nenhum comentário: