sexta-feira, 26 de maio de 2017

Momento poético



Dos medos nascem as coragens. Os sonhos anunciam outra realidade possível, e os delírios, outra razão. Somos o que fazemos para transformar o que somos. A identidade não é uma peça de museu, quietinha na vitrine, mas sempre assombrosa síntese das contradições nossas de cada dia. Nessa fé, fugitiva, eu creio.

Eduardo Galeano

Nenhum comentário:

Ato político

Excelente reflexão do querido e competente Zelmute Marten. Nesses tempos que os ambientes e relações virtuais se tornaram o chão ou cé...