segunda-feira, 15 de maio de 2017

Comentários a respeito do Golpe


Vivemos tempos graves e preocupantes no Brasil. O Golpe de Estado sacramentado ano passado numa presidenta legitimamente eleita e na vontade popular manifestada nas urnas em 2014 é tão somente um sintoma desse mal e, provavelmente, apenas a ponta do iceberg.

Além de abrir caminho para a retirada de direitos conquistados a duras penas durante muitas décadas de lutas e mobilizações, os quais asseguram um horizonte de civilidade ao país, bem como um padrão de vida minimamente decente à população, por meio de um amplo sistema de proteção social, esse Golpe também ataca direitos civis e políticos assegurados pela Constituição de 1988, na medida em que deflagrou uma verdadeira caçada aos líderes políticos hoje na oposição, numa perseguição implacável revestida pelo manto da legalidade e do combate à corrupção.

Que combate à corrupção é esse que busca culpados apenas num dos lados da política brasileira, que condena previamente e sem provas com base em ilações, montagens e na exposição midiática violenta e que, por outro lado, passa a mão por cima daqueles comprovadamente corruptos que apoiam ou ocupam altos cargos no governo golpista?

Não podemos aceitar calados esse verdadeiro “estado de exceção” instaurado no país em que as leis e a informação são manipuladas vergonhosamente conforme os interesses de quem julga ou forma a opinião pública. Mais que nunca é preciso reagir para não perdermos definitivamente os direitos constitucionais que nos assistem, sob pena do Brasil cair definitivamente nas garras dessa ditadura disfarçada e abrigada pelo lema de “que os bons do país podem tudo para livrar a nação do mal supostamente causado por aqueles que sofreram o Golpe”. Esse foi o pretexto para a Ditadura Militar de 64, que apenas escondeu a corrupção sob o tapete da lei e da ordem, promoveu o massacre de várias gerações e atrasou esse país por muitas décadas, em termos econômicos, sociais, democráticos e civilizatórios.

Como diz uma frase da qual não lembro o autor, “todas as verdades que se calam se tornam um dia venenosas”. É preciso gritar que os atuais donos do poder não são donos do Brasil e não podem mandar e desmandar como faziam no passado e sonham voltar a fazer, servindo-se da lei e da ordem mantida pela força do seu braço policialesco ou pelos intermináveis golpes de manchete do seu braço midiático.

Um dos maiores erros de Lula talvez tenha sido não expor em praça pública a sujeira que existia no Brasil antes dele chegar ao governo, aquele sim o período de maior roubalheira no país promovido pela privataria tucana e outros esquemas bilionários de desvio de recursos públicos que continuaram mesmo após a saída dos tucanos do governo central e/ou migraram para outras administrações comandadas por eles (basta ver as notícias da mídia nesse caso escritas com letras minúsculas e o próprio depoimento dos delatores da lava jato).

Ao invés de jogar a “cacaca no ventilidor”, pensando em não desperdiçar energias preciosas diante de um país devastado e repleto de urgências, Lula optou pela conciliação, a consertação e focar no futuro do Brasil. Isso, no entanto, fez o senso comum ter a falsa noção de que o PT assumiu o país das maravilhas, sem roubos e com as contas públicas rigosamente em dia. Ledo engano e nada mais falso. É a velha história de que aquilo que olhos não vêem o coração não sente.

Nenhum governo na história desse país criou mais mecanismos de controle e combate à corrupção que os governos de Lula e Dilma. Assim, não necessariamente se roubou mais como alegam os verdadeiros corruptos, mas logicamente o enfrentamento da corrupção entrou na pauta política e passou a aparecer mais, dando a ideia do aumento da roubalheira. A própria lava jato é resultado desses mecanismos legais instituídos para combater a corrupção. No governo FHC a lava jato não existiria, pois além de engavetarem tudo, não existia base legal para que essa operação pudesse ser deflagrada.

Contado, perante o senso comum, alimentado dia e noite pela mídia golpista, o governo petista foi o mais corrupto de todos os tempos e que esses supostos roubos foram praticados para favorecer o PT e Lula, mesmo que a realidade comprove o contrário. Mesmo depois de uma devassa na vida do ex-presidente feita durante três anos não ter revelado nada que indique que Lula roubou ou foi beneficiado diretamente pelo petrolão, sequer a existência de laranjas como sustentam, resistiu ao exame das provas. Mesmo depois dos próprios delatores declararem que os maiores beneficiários desse esquema são justamente os políticos da então oposição, como Serra, Aécio, FHC, Temer e cia, os quais sempre disseram que Lula era o marido “traído dessa história” e mudaram seus depoimentos depois de anos na cadeia e sabe-se lá sob qual promessa de favorecimento.

Diante disso, nós defensores da democracia, do estado de direito e de um Brasil digno para todos e todas, não podemos silenciar nem cruzar os braços. É hora de lutar a boa luta e travar o bom debate, respeitando os pontos de vistas contrários, mas sem aceitar que mentiras virem verdade absoluta e inquestionável. Mais que o projeto de qualquer partido ou grupo político, o que está em jogo é um modelo de sociedade que queremos para agora e logo ali adiante. E o modelo dos golpistas, depois de todos os avanços que tivemos na última década, definitivamente não nos serve mais.

Diante disso também, estou criando no blog do Toninho o espaço “comentários a respeito do Golpe”, a fim de reforçar ainda mais minha posição contra o Golpe e a favor da democracia e de um país que volte a enxergar os pobres como solução, e não como problema para uma crise que está sendo usada como álibi e desculpa para conduzir o Brasil rumo ao passado de truculência e exclusão, condenando a imensa maioria dos brasileiros a uma condição de completa indigência, conformismo com as injustiças e falta de esperança.

Nenhum comentário: