O Blog busca retratar coisas da vida interiorana e do meu interior, numa abordagem que mistura reflexão, notícias, riso, poesia, musicalidade, transcedentalidade e outras cositas más. Tudo feito com produções próprias, mas também com a reprodução do pensar ou do sentir dos grandes gênios que o país e a humanidade pariram.

quinta-feira, 9 de março de 2017

Busca de soluções para o saneamento rural e esgotamento sanitário mobilizam prefeitura



O prefeito Rubem Dari Wilhelnsen, liderou na última terça-feira (7), uma comitiva da administração municipal que participou de reuniões na Funasa e Corsan em Porto Alegre. O objetivo dos dois encontros é ampliar as parcerias para concluir obras que, depois de finalizadas, deverão representar um grande avanço em termos da melhoria do saneamento básico na zona rural, além de buscar apoio visando assegurar a atualização do plano de saneamento do município e encontrar alternativas para a instalação de sistema de coleta e tratamento de esgoto na área urbana de Herval.

Na Funasa, as autoridades do município foram recebidas pela superintendente Karla Viviane da Silva. Na oportunidade, relatou-se a dificuldade da prefeitura em retomar e concluir obra vinculada ao Plano de Aceleração do Crescimento, que prevê a instalação de sistema de abastecimento de água nos assentamentos São Virgílio, Cerro Azul e Santa Rita III, uma vez que depois da rescisão do contrato com a empresa contratada originalmente, por descumprimento dos prazos e outras obrigações assumidas contratualmente, a administração municipal realizou três processos licitatórios e em nenhum deles surgiu outra empresa interessada em assumir a responsabilidade pela finalização da obra.

Neste sentido, como existe disponibilidade de recursos, ficou acertado que a prefeitura irá apresentar nos próximos meses proposta técnica, prevendo a ampliação da meta original dos convênios, a qual após a respectiva aprovação da Funasa permitirá que a prefeitura realize nova licitação para a contratação de empresa, com valores muito maiores e mais atrativos para os interessados, saltando dos atuais R$ 250 mil para cerca de R$ 800 mil, situação que tende assegurar a retomada e término desse empreendimento.

Além disso, foi tratada a parceria firmada recentemente, na qual a Funasa deverá oferecer apoio técnico para a revisão do plano municipal de saneamento, além de possíveis investimentos na instalação de sistema de coleta e tratamento de esgoto na cidade de Herval, cujo projeto executivo fora elaborado pela Corsan, mas ainda não existem recursos disponíveis para a sua execução. Em relação à revisão do plano de saneamento, a previsão é de que os trabalhos tenham início no mês de abril, porém no que se refere a recursos para investimento em sistema de coleta e tratamento de esgoto, a informação é de que esse ano o governo federal não tem previsão de novos investimentos no setor por intermédio da Funasa.

Na Corsan, a comitiva hervalense fora recebida por representantes da direção da citada empresa. A pauta da reunião foi a necessidade de melhorar os atendimentos presenciais no escritório local da Corsan, o qual atualmente se encontra praticamente sem atendimento, o pedido para que a empresa disponibilize informações e se insira no processo de atualização do plano de saneamento do município, além de um engajamento maior da Companhia Estadual de Saneamento, no sentido de buscar alternativas para assegurar o investimento na instalação no sistema de coleta e tratamento de esgoto em Herval, tendo em vista que o contrato firmado em 2011 prevê que a exploração desse serviço na nossa cidade é responsabilidade da Corsan até pelo menos o ano de 2036, sendo que na prática nada começou a ser feito.

O secretário de planejamento, Toninho Veleda, ressaltou a relação de parceria entre prefeitura e Corsan e alguns esforços que já foram feitos no intuito de assegurar avanços nessa caminhada, como o projeto elaborado e disponibilizado pela empresa ao município que prevê a coleta e tratamento do esgoto de parte da área urbana da nossa cidade, a começar pelos bairros Jango e Pilão, bem como a tentativa feita pela Corsan de buscar investimentos em nível federal para executar tal projeto que, infelizmente, não logrou êxito. No entanto, segundo Toninho, por ser o mais adequado ambientalmente, o projeto existente tem um custo de execução muito elevado, cerca de R$ 6 milhões, o que nesse momento de redução ou corte de investimentos federais, o torna praticamente inviável.

Desta forma, fora proposta pelo prefeito Rubem e encaminhada uma cooperação maior e mais efetiva entre o município e a Corsan, relacionada a esse tema, com vistas à busca de alternativas economicamente mais baratas, tecnicamente adequadas e ambientalmente aceitas, visando não apenas a eventual elaboração de um novo projeto para o fim pretendido, mas o início da execução do mesmo num futuro muito próximo.

Além do prefeito Rubem e do secretário Toninho, a comitiva hervalense foi composta pelo secretário de agropecuária, Valmir Miliorança, e pelo assessor técnico em obras, arquiteto Marcio Viera Poersch.

Nenhum comentário:

Seguidores