quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Música para os meus ouvidos


Não creio nem caiu nem me entrego a um amor falso ou falsificado ou inventado ou feito para acabar. Mas um amor recíproco e profundo que nasce da alma e alimenta o coração eu digo sim, aceito, quero para mim e topo viver com todas as forças da minha carne fraca...

Diante de um amor desses, talvez me torne um dos últimos românticos ou apenas um ser que sabe e reconhece que sem amor - o verdadeiro - eu nada seria.






Nenhum comentário: