quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Licença poética



Peço licença novamente para entregar-lhes mais palavras simples e sutis, arrancadas do fundo do baú do meu ser e inspiradas na minha musa imaginária...

Queria te dar o céu, mas o céu não caberia em tuas mãos.

Queria te dar meu coração, mas meu coração pesa mais de
uma tonelada pelo tanto de amor que tenho por ti.


Então, te dou apenas flores, bombons e um cartão com palavras

que revelam como é bom teu abrigo e te ter comigo.

Nenhum comentário: