quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Obrigado pelo que passou e viva o que vier...



Mais um ano acaba, um ano novo está prestes a nascer...

É o momento de agradecer a cada um e cada uma que, de alguma forma, deu um pouco de si para mim, seja aqui no blog, seja no mundo virtual ou nos (des) caminhos desse “mundão de Meu Deus”.

É o momento de agradecer a Deus e ao mestre Jesus por todo amparo e bençãos recebidas ao longo de 2015. Obrigado pela minha família, pela minha saúde, pelo meu lar, pelo pão na mesa, pelo meu trabalho, pelos afetos e gestos de carinho recebidos, pelas desencontros e pedras no caminho que ajudaram a ficar mais forte e cada vez mais esperto.

Chego ao final do ano muito melhor e diferente do que comecei. Me sinto mais forte, mais livre, mais leve, mais verdadeiro, mais antenado, mais descomplicado, mais intenso, mais aceso, mais inspirado, mais criativo, mais corajoso, mais ativo, mais sarado, mais afetuoso, mais feliz, mais gente.

Nesse ano, libertei-me de amarras e alguns encostos que não vinham ajudando e ainda haviam se convertido em estorvo no meu caminho. Reatei laços que andavam esquecidos ou tinham se tornado nó. Retomei atividades ou hábitos que antes faziam tanto bem, mas andavam abandonados ou deixados de lado. Arrisquei realizar coisas novas, percorrer novos caminhos, viver novas experiências, abrir as portas da alma e do corpo para novas gentes e vivências.

Claro, nem tudo comigo foram flores ou acertos. A vida é assim. Passei por apertos, perrengues ou momentos adversos. Pisei na bola, meti o pé na jaca e chutei o pau da barraca. Pensei coisas que não deveria ter pensado. Fiz coisas que não deveria ter feito. Disse coisas que não deveria ter dito. Também cometi o erro de silenciar em ocasiões ou circunstâncias que deveria ter cuspido e escarrado tanta coisa que andava trancada na garganta. “O importante é que emoções eu senti” e estou sempre disposto a seguir em frente, acertar o passo, dar a volta por cima, recomeçar, ser mais e melhor.

Não espero um 2016 melhor. Quero apenas seguir caminhando e melhorando lenta e continuamente no Ano Novo que se anuncia. Afinal, não existe mágica e o caminho sempre se faz caminhando, para o bem ou para o mal. Ou como diria o poeta, “não, eu não tenho um caminho novo, o que eu tenho de novo é o jeito de caminhar”.

Desejo sim, um baita 2016 para todos e todas: familiares, amigos, colegas, parceiros, companheiros e companheiras de sonhos e das causas perdidas, muitas vezes, porém justas e nunca impossíveis.


Muita vida, luz, saúde, lucidez, paz, pão, lar, mel, poesia, terra e tudo mais que move na direção do bem e faz o mundo melhor e mais igual. Beijos, abraços e apertos de mão. Que tudo corra bem e sejamos mais mansos, racionais, amorosos e humanos no Ano Novo! Façamos nossa parte e brindemos a alegria de estar vivo, ontem, hoje, amanhã e sempre!!!

Nenhum comentário: