segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Licença poética



Peço licença uma vez mais para entregar-lhes novas palavras simples e sutis, arrancadas do fundo do baú do meu ser e inspiradas na minha musa imaginária...


Os cerros da minha terra me lembram teu corpo, tuas curvas, tuas saliências.

Miro os cerros e imagino as escaladas e descidas que almejo realizar quando explorar tua natureza nua, exuberante e extenuante.


Admiro o cerro, meu coração dispara, fico ofegante e sinto sede de percorrer teus altos e baixos até morrer nos teus braços.

Nenhum comentário: