quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Liberdade, liberdad; Justiça, justicia!


Quem propugna a volta da ditadura militar realmente não sabe o que diz ou possui uma mente demasiadamente sanguinária.

Por sorte não vivi durante os "anos de chumbo", mas meu sentimento humano e conhecimento da história, me fazem não apenas repudiar, como também armar meu espírito contra qualquer estrutura ou regime que tolha a liberdade.

Vivemos um tempo de tanta liberdade, que a liberdade vem se tornando libertinagem e muitos imaginam que podem tudo, inclusive invocar uma forma de governo que rouba a liberdade, tortura, exila, mutila e mata em nome de nada e de tudo.

Quantas pessoas perderam a vida ou foram impiedosamente violentadas em seus corpos e almas apenas por pensar e querer expressar seu pensamento livremente? Em pensar que nos dias que correm, muitos e muitos abusam desse direito e transformam a liberdade de expressão em verdadeiro atentado ao pudor ou do direito alheio de recusar tudo que tentam lhe enfiar goela abaixo, ainda que disfarçado pelo poder maquiado e manipulador da desinformação ou da propaganda!

Viva a verdadeira liberdade! A liberdade que sabe onde pisa e de onde vem; que não se curva nem invade o espaço íntimo ou particular de outrem e procura cumprir as regras civilizatórias quando transita nos espaços públicos!

Viva Victor Jara, uma das vozes mais belas e brilhantes em defesa da liberdade na América Latina, num tempo em que a liberdade era proibida e "el sangue latino" se juntava para reprimir e matar (vide a operação Condor), e não para somar, "compartir" e se "hermanar" como ora ocorre.

A luta pela liberdade continua viva e necessária, desta feita inclusive contra os excessos e abusos que deixam de ser liberdade e se transformam num mal que os excessos e abusos sempre fazem, o que também é indesejável, condenável e contrário a tudo que é livre e de fato liberta.

Hasta siempre... Victor e todos e todas que tombaram na luta justa e desigual pela liberdade!





Nenhum comentário: