sábado, 25 de outubro de 2014

Sartori: o passado condena e o futuro é incerto!



A posição de Sartori em relação ao tema da dívida do estado com a União beira ao deboche.

Primeiro porque os índices atuais da dívida foram negociados por Britto, do PMDB, numa administração que Sartori exerceu grande influência e liderança.

Segundo porque é ridículo tentar imputar ao Tarso a responsabilidade pela não renegociação da dívida. Por exemplo, se eu devo para alguém, estou conseguindo quitar as parcelas, porém o pagamento cria dificuldades para honrar outros compromissos, a quem cabe a iniciativa de pedir a renegociação da dívida? Ao devedor ou o credor?

Na verdade, Tarso está fazendo o que Rigotto e Yeda (ambos apoiados por Sartori) deveriam ter feito, mas preferiram cruzar os braços. Tarso está cumprindo o papel de um governador comprometido com seu estado, que é construir pela primeira vez em vários anos um acordo que deverá aliviar o RS do pagamento dessa dívida, abrindo cancha para novos investimentos.

Por último, a posição de Sartori beira ao deboche porque além de criticar a saída construída por Tarso, ele não apresenta concretamente nenhuma proposta alternativa, o que pode nos fazer voltar a estaca zero e inviabilizar a votação de um acordo já selado e carimbado.

Afinal, Sartori tem interesse em enfrentar esse tema da dívida ou apenas fazer “evolução na frente das câmeras” e na vida real deixar tudo como está?


Nenhum comentário: