quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Momento poético



Emergência

(Mario Quintana)


Quem faz um poema abre uma janela.
Respira, tu que estás numa cela
abafada,
esse ar que entra por ela.
Por isso é que os poemas têm ritmo —
para que possas profundamente respirar.
Quem faz um poema salva um afogado.

Nenhum comentário: