Sobre o Blog do Toninho

O Blog busca retratar coisas da vida interiorana e do meu interior, numa abordagem que mistura reflexão, notícias, riso, poesia, musicalidade, transcedentalidade e outras "cositas más". Tudo feito com produções próprias, mas também com a reprodução do pensar ou do sentir dos grandes gênios que o país e a humanidade pariram.

quarta-feira, 26 de setembro de 2018

Que nessa disputa de projetos, vença o projeto que faz mais pelo Herval e todo o RS


"Recordar é viver". Não apenas para cultivar uma lembrança do passado, mas também para ajudar a apontar os caminhos e escolhas do futuro.

Quando o comando do estado esteve nas mãos do PT, tanto com Olívio quanto com Tarso, Herval foi lembrado e recebeu inúmeros investimentos. Além dos servidores estaduais receberem o pagamento dos seus salários rigorasamente em dia, o que também ajuda a economia local, nunca faltaram investimentos em áreas essenciais como educação, saúde e segurança. Só puxar um pouco pela memória ou pesquisar os números.

Isso porque governar, é antes de tudo, eleger prioridades e o trabalho, o desenvolvimento do RS e o combate às desigualdades sociais e regionais sempre foi prioridade e marca dos governos petistas. Bem diferente do projeto que se opõe ao projeto petista o qual entende que o único jeito é vender o estado e que os servidores públicos e trabalhadores em geral são o problema, e não a solução para os problemas e força para vencer os desafios do Rio Grande.

Por isso, reproduzo um texto que escrevi há quatro anos. Que ele ajude a lembrar quem já fez pelo Herval e pode fazer muito mais agora com Rossetto.



Com Tarso Herval ganhou mais força para avançar


O RS é hoje o estado que mais cresce no Brasil e os números e as obras estão aí para provar o que digo. Produziu a maior safra agrícola da história. Possui um dos menores índices de desemprego do mundo. Atraiu novos investimentos e financiamentos para obras de infraestrutura e modernização da gestão. É campeão absoluto na conquista de financiamentos internacionais e de projetos de investimentos junto ao governo federal. É referência na implantação de um modelo de pedágios mais justo e menos oneroso para o bolso da população. É exemplo de combate à pobreza extrema e das desigualdades sociais e regionais. É mestre em democracia, com a criação de um sistema estadual de participação popular e social que orienta e ampara as decisões do governo. Vem recuperando a estrutura administrativa do estado, com a contratação de novos servidores por concurso público e concedendo aumentos salariais acima da inflação. Salvou a previdência do estado que estava falida. Bate recorde em investimentos em educação, saúde e no apoio aos produtores rurais e empreendedores urbanos.

Com Tarso o estado que estava parado, chorando pelos quatro cantos e de costas para o Brasil voltou a fazer obras importantes na parceria com o governo federal. Basta ter o mínimo de bom senso e olhar os caminhos e propósitos da disputa política recente no RS para perceber que os grandes problemas do estado não nasceram na gestão de Tarso, tanto que em 2010 a então situação e a RBS diziam que o estado era ingovernável, que havíamos chegado ao fundo do poço e não havia mais o que fazer, numa atitude que pregava o derrotismo como forma de seguir no poder, justificar as escolhas perversas do governo então em curso e matar a esperança da população gaúcha em dias melhores.

Tarso pode ter feito pouco (e eu acho que fez bastante) em relação ao que precisa ser feito, mas fez muito se comparado aos outros governos, pois agora pelo menos vencemos o pessimismo e a inércia e o estado voltou a andar. A crise do estado não nasceu com Tarso e ele é o governador que vem fazendo mais e melhor para superar essa crise. Agora que o RS encontrou o caminho não pode andar para trás e voltar a entregar o ouro para o bandido. Sim, porque a crise do RS não caiu do céu, ela é fruto de escolhas políticas feitas no passado que agora ficaram mais claras porque revelaram sua verdadeira face e produziram impacto na vida das pessoas.

A crise do estado começou com as privatizações criminosas de Brito e FHC; os PDVs; a renegociação da dívida acertada entre Britto e o governo tucano que compromete mais de 13% da receita líquida com o pagamento da dívida com a União, o que engessou o RS e tornou essa dívida impagável; a lei kandir que penaliza e retira recursos do nosso estado por ele ser um estado exportador; as isenções fiscais realizadas através do Fundopem (reformulado por Tarso), que era mais uma forma de sangrar o estado, transferindo volumes absurdos de recursos financeiros do povo gaúcho para os cofres de meia dúzia de mega empresas, sem ao menos exigir contrapartida com a geração de empregos. Tudo isso retirou receita e capacidade de competição do RS perante outros estados, gerando dívidas financeiras e sociais que somente agora, com o apoio do governo federal, está se começando a reverter e superar. É como se cortassem nosso salário pela metade e nos obrigassem a manter o mesmo padrão de consumo.

Portanto, o RS está no rumo certo e vem crescendo de forma parelha e solidária. Devolver as rédeas do estado para as mãos de mais um representante da RBS é dar um tiro no pé, perder o trem da história e retomar a velha política na qual muitos são os chamados e poucos os escolhidos para receber os investimentos do governo.

Herval é um exemplo do compromisso de Tarso em superar as desigualdades sociais e regionais. Nosso município nunca recebeu tantos investimentos de um governo estadual como nesses três anos e meio. Vejamos algumas iniciativas e investimentos para comprovar o que digo:

- pela primeira vez na história nosso hospital vem recebendo recursos diretamente dos cofres do estado, num investimento de mais de R$ 300 mil, dentro do programa criado por Tarso para salvar as instituições hospitalares de todo o estado que estavam na UTI;

- aquisição de 01 van, 02 ambulâncias e 03 veículos doblôs para a Secretaria Municipal de Saúde realizar o transporte de pacientes para atendimento especializado em outros municípios;

- implantação de Ensino Médio na escola Corintho Ávila Escobar, no Basílio, além de assegurar os recursos para a reforma do I.E.E. São João Batista e Corintho, como também a construção de uma escola no assentamento São Virgílio;

- mais de R$ 60 mil investidos através da Corsan, Corag e Consulta Popular para patrocinar o Carnaval e a Fejunahe;

- envio de um veículo, por meio do programa Dissemina, para a Secretaria Municipal de Agropecuária fortalecer o trabalho de melhoria genética do nosso gado leiteiro e de corte;

- retomada do programa troca-troca de sementes de milho e destinação de recursos para a compra de calcário, construção de açúdes e aquisição de equipamentos para a bacia leiteira (em fase de licitação pela prefeitura), num investimento de mais de R$ 150 mil;

- doação de 01 ônibus para o transporte escolar da rede municipal de ensino;

- mais de R$ 100 pequenos produtores do município beneficiados com a anistia das dívidas junto ao Banrisul;

- mais de R$ 200 famílias hervalenses contempladas com o RS Mais Igual, que oferece uma ajuda financeira para complementar o valor do Bolsa Família;

- destinação de recursos para instalação de uma cozinha e uma padaria comunitárias no CRAS, as quais estão prestes a ser inauguradas;

- destinação de maquinário na forma de rodízio com municípios vizinhos, para melhoria e recuperação de estradas vicinais em todo o município;

- melhoria dos serviços prestados pelos órgãos do governo do estado em Herval, a exemplo dos investimentos realizados na CEEE, Brigada Militar, Polícia Civil e Inspetoria Veterinária, esta última tendo atendidos alguns pedidos que datavam de muitos anos, como destinação de 1 veículo utilitário e reforma do prédio;

- Tarso foi o primeiro governador a cumprir agenda oficial em Herval depois de muitos anos sem recebermos a visita da autoridade maior do RS.


Tarso a gente conhece e pode acreditar. Por tudo o que foi feito e pelo tanto que virá, vamos adiante com Tarso e que o passado se conserve no passado!

Nenhum comentário:

Valorizar os diferentes é o que faz a diferença

Em muitos aspectos, sempre comparo a política ao futebol. Assim como no futebol, entendo que na política e na administração pública...