sexta-feira, 11 de março de 2016

Licença poética



Peço licença outra vez para entregar-lhes novas palavras simples e sutis, arrancadas do fundo do baú do meu ser e inspiradas na minha musa imaginária...


Acordei com uma vontade enorme de brincar de esconder.
Então, me esconde dentro do teu coração e conta até mil.
Melhor, conta até não poder mais.
Assim, não te perco mais de vista e encosto e grudo em ti
até nosso mundo se encontrar completamente.

Teu amor tempera meu corpo, acalenta o coração e
amorna minha alma.

Teu amor fez meu ser ansioso acalmar, acordar para o melhor
da vida e aprender a dar corda no amor, verdadeiro amor.

Nenhum comentário: