sexta-feira, 29 de julho de 2016

Licença poética



Peço licença uma vez mais para entregar-lhes novas palavras simples e sutis, arrancadas do fundo do baú do meu ser e inspiradas na minha musa imaginária...


Amor não enche barriga, mas inunda a alma de cor, furor, sentimento, sentido, emoção, poema.


De alma transbordando, fica mais fácil encher a barriga e a vida de tudo que vale a pena.

Nenhum comentário: