segunda-feira, 4 de julho de 2016

Ato político


Além da extrema violência e crueldade em relação aos corpos físicos das vítimas, uma das marcas registradas do nazi-facismo sempre foi repetir uma mentira mil vezes, até que ela parecesse verdade absoluta. Assim, a tortura alcançava também a mente e o psicológico das pessoas atingidas por essa milícia do mal que roubava a humanidade de tanta gente, atribuindo-lhes a autoria de coisas que nunca disseram, escreveram ou sequer pensaram.

Já faz algum tempo, nós pessoas de boa-vontade e defensores inarredáveis da democracia e da liberdade de fato e de direito, vimos anunciando e denunciando que algo semelhante - por óbvio, guardadas as devidas proporções -, vem ocorrendo no Brasil.

Como já aconteceu em outras quadras da história a velha, raivosa e truculenta direita vem usando métodos semelhantes aos nazi-facistas, na ideia de diabolizar todo e qualquer ato, instituição ou sujeito com cara e caráter democrático, popular e progressista.

Usam o combate à corrupção meramente como fachada e cortina de fumaça. Na vida real, apenas roubam escancaradamente sem serem submetidos ao mesmo tratamento vexatório e o rigor da lei ao qual expõe e condenam seus adversários, além de espalharem o ódio, a perseguição e o extermínio se não físico, mas moral de homens e mulheres cujo único mal ou crime que cometeram foi mostrar com ideias, gestos e ações que um Brasil mais igual, humano e ético é possível e necessário.

O grande Paulo Freire, mesmo depois de vários anos de sua partida desse mundo, segue sendo um dos alvos preferidos da injusta raiva dessas aves de rapina. Que imbecis medíocres e poucos esclarecidos achincalhem e distorçam o pensamento, a obra e o trabalho inestimável de Freire em favor da educação brasileira e mundial vá lá. Afinal, no atual momento do país o que mais vemos são marionetes e papagaios de pirata abrindo o bico. Já li ou ouvi muita gente que sequer leu a contra-capa de um dos muitos livros de Paulo Freire escrevendo ou falando não só absurdos, mas mentiras escancaradas a seu respeito e tudo o que ele representa, porém por serem tão medíocres e poucos esclarecidos, só resta dizer, "Pai, perdoa-os, eles não sabem o que fazem".

Agora quando a mentira e os impropérios ganham ares e contornos oficiais ou institucionais, o buraco é mais embaixo e, além do repúdio, merecem nossa retumbante indignação, protesto e exigência da devida reparação. Do contrário, se prevalecer a tese demoníaca e mentirosa dessa matilha, acabaremos escravos dessa cegueira coletiva e sem nenhuma saída desse beco sem saída que a sanha golpista acabou nos metendo.



Nita Freire protesta a respeito da alteração feita na biografia de Paulo Freire, o mais renomado educador brasileiro, a partir de computadores do Serpro, um órgão do governo federal, sobre seu suposto viés marxista; "Como V. Exa. sabe, enquanto intelectual e jurista, o meu marido jamais praticou nenhum ato e nunca escreveu nenhuma palavra dos quais se pudesse, em sã consciência, outorgar-lhe a pecha de doutrinador marxista e homem de princípios filosóficos e educacionais fracos e débeis, acusações contidas na nova biografia agora publicada pela Wikipedia", diz ela; Nita Freire também pede que o atual ministro da Educação, Mendonça Filho, aja para coibir a publicação de inverdades a partir de computadores do governo federal


Exmo. Sr. Presidente Interino do Brasil
Prof. Dr. Michel Temer

ASSUNTO: PAULO FREIRE: Wikipidia e SERPRO

Na qualidade de viúva, estudiosa e sucessora legal da obra do Educador PAULO FREIRE, quero, através dessa carta, estabelecer um diálogo cordial e franco com V.Exa., mesmo estando nós dois, em termos ideológicos, em posições diferentes, no sentido de esclarecer assunto que vem sendo divulgado pela imprensa nacional, de que partiu de dentro do governo através da rede do SERPRO, uma entidade pública, portanto sob a responsabilidade do Estado Brasileiro, a alteração no conteúdo da biografia de meu marido na enciclopédia livre Wikipedia, colocando-o como envolvido com um projeto de educação atrasado e fraco de caráter doutrinário marxista e manipulador.

Se não o tivesse conhecido na festividade de formatura de uma de suas filhas, creio que do curso de Psicologia/PUC-SP, ocorrida nos gramados do Clube Hípico de Santo Amaro, em São Paulo, quando sentados lado a lado na Mesa Diretora, ouvi de V.Exa. o enorme respeito e admiração que tinha pela obra e pela pessoa de Paulo Freire, não teria a ousadia de Vos escrever.

Como V. Exa. sabe, enquanto intelectual e jurista, o meu marido jamais praticou nenhum ato e nunca escreveu nenhuma palavra dos quais se pudesse, em sã consciência, outorgar-lhe a pecha de doutrinador marxista e homem de princípios filosóficos e educacionais fracos e débeis, acusações contidas na nova biografia agora publicada pela Wikipedia.

Para a construção de um país verdadeiramente democrático é da mais alta importância, que, órgãos do Estado ou que prestam serviços a ele, como o SERPRO, não estejam compactuando com interpretações de espíritos liberais inescrupulosos, que, intencionalmente maculam a honra de um homem que deu sua vida para que a educação, sobretudo a do Brasil, possibilitasse a libertação e a autonomia dos homens e das mulheres de nosso querido país. Nunca sob o bastão da intolerância, do fascismo ou do comunismo.

Acredito que o atual Ministro da Educação, natural do estado de Pernambuco, Mendonça Filho, como Paulo Freire o foi, teria o prazer (pessoalmente considero que o dever) de esclarecer e inibir que inverdades sejam ditas de seu conterrâneo, homem ético, probo e honrado, Patrono da Educação Brasileira. Acredito que o referido ministro se colocará e agirá, positivamente, a favor, no momento em que for instigado a isso por V. Exa., contra a manipulação da máquina do Estado a serviço do amesquinhamento de um dos mais importantes homens desta Nação.

É claro que Paulo Freire não é unanimidade, ninguém o é. Ele pode ser lido, analisado e contestado, isso faz parte da liberdade de expressão necessária e desejável à construção da cultura letrada de alto nível de qualquer país. Entretanto, o local dos contraditórios deve ser aberto, responsável, no seio da sociedade civil __ na rua, na universidade e nas escolas, através da mídia, nos sindicatos e fóruns etc __ e nunca dentro, exaltado por fato tendenciosamente ideológico-inverídico, acobertado pelo anonimato, por qualquer órgão da sociedade política.
É inconcebível que numa sociedade democrática se divulgue frases carregadas de ódio e de preconceito como: “Paulo Freire e o Assassinato do Conhecimento” __ absurda e ironicamente, no ano em que Paulo Freire está sendo considerado nos EEUU como o terceiro intelectual do mundo, de toda a história da humanidade, mais citado, portanto mais estudado nas universidade norte-americanas, que, a princípio são contra o marxismo.

Contando com Vossa compreensão e interferência para que se restabeleça a Justiça e a Verdade.

Cordialmente

São Paulo, 30 de junho de 2016.
ANA MARIA ARAÚJO FREIRE


Publicado originamente no site: http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/241874/A-carta-aberta-da-vi%C3%BAva-de-Paulo-Freire-a-Temer.htm


Nenhum comentário: