sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Cenas da vida inventada




Campanha do Agasalho supera 1,4 milhão de donativos em 2013



Com mais de 1,4 milhão de peças arrecadas, a Campanha do Agasalho 2013 foi encerrada oficialmente nesta segunda-feira (23), no Palácio Piratini. Uma cerimônia marcou a conclusão da campanha com apresentação do balanço e entrega de medalhas para pessoas que, de alguma foram, contribuíram para o sucesso da edição.

"É um ato que reconhece a capacidade de solidariedade diante de situações adversas", enfatizou o governador Tarso Genro. O chefe do Executivo agradeceu, também, o apoio do Grupo de Apoio Emergência Social, instituído recentemente e formado por integrantes da Casa Miltiar e treinados para situações de emergência." É um agrupamento que está sempre à disposição, 24 horas por dia se necessário, para dar atenção e suporte", explicou Tarso Genro.

"A campanha foi positiva no sentido de que os números falam por si, pois superamos todos os números anteriores", ressaltou o chefe da Casa Militar, Oscar Luis Moiano. "A demanda foi ampliada, pois tivemos um inverno rigoroso e as enchentes do mês de agosto, mas nós conseguimos também aumentar a arrecadação e atender essa demanda", completou.

Em vigência de maio a setembro deste ano, a Campanha do Agasalho 2013 contabilizou 1,4 milhão de peças, número maior que o arrecadado na edição anterior (1,1 milhão de itens). Os donativos foram destinados a 197 municípios, 158 entidades e 40 aldeias indígenas. Entre os objetos arrecadados estão roupas, alimentos não perecíveis, colchões, itens de limpeza e roupas de cama e higiene. 

Apesar do encerramento, a Defesa Civil do Estado continuará arrecadando donativos. A Central de Doação funciona de segunda à sexta, das 8h30 às 12h e das 13h às 18h, no térreo do Centro Administrativo Fernando Ferrari (Avenida Borges de Medeiros, 1501). Mais informações pelo telefone (51) 3288.6781. 

Texto: Anna Magagnin 
Foto: Caco Argemi/Palácio Piratini
Edição: Redação Secom (51) 3210.4305


Secretária Tânia recebe Medalha da Defesa Civil


A 1ª Dama do município e Secretária de Assistência Social, Tânia Sallaberry, foi condecorada com a medalha da Defesa Civil, destaque da zona sul, durante a cerimônia de encerramento da Campanha do Agasalho 2013, realizada segunda-feira (23) no Palácio Piratini, em Porto Alegre, com a presença do governador Tarso Genro.

Segundo a homenageada, "me sinto muito honrada, feliz e grata com tal comenda, uma vez que ela representa o reconhecimento, no nível estadual, do meu trabalho em prol da superação da miséria extrema e do conforto a pessoas que precisam do amparo do poder público, no qual conto com o apoio imprescindível da minha equipe e das demais Secretarias da administração municipal. Portanto, trata-se de uma conquista não apenas minha, mas do município de Herval, do trabalho em equipe e do espírito solidário", comentou. 

Rir é o melhor remédio




quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Município de Herval é beneficiado com o RS Mais Igual e anistia a dívidas de agricultores


O município de Herval recebeu a comitiva liderada pelo governador Tarso Genro e Secretários, durante mais um dia de Interiorização do Governo do Estado, nesta quarta-feira (18). Entre as atividades, um dos destaques foi o Dia da Inclusão do RS Mais Igual, com benefício direto para 218 famílias. Na Região Sul, mais de 7 mil famílias já foram atendidas com a complementação de renda do Estado. Também foram disponibilizados R$ 1,5 milhão do programa Mais Alimento, beneficiando 300 famílias.

A ação de anistia do Mais Alimento, autorizada pelo governador Tarso, quita a dívida de agricultores e avalistas e, com ela, esses produtores podem voltar a acessar créditos para investimento na agricultura familiar. O programa funciona em três eixos: transferência de renda, acesso aos serviços públicos e geração de oportunidades, como explicou o coordenador do RS Mais Igual, o secretário da Casa Civil, Carlos Pestana.

"Hoje estamos aqui para anunciar um direito, que é a renda mínima. Esse direito é o primeiro passo, mas é ele que vai garantir o direito à alimentação e a uma vida melhor, com mais oportunidades", destacou. "Temos certeza de que em pouco tempo, com esse benefício e com a qualificação profissional, as famílias terão autonomia e não dependerão mais do Estado", disse Pestana.

Durante o ato, a beneficiária Maria Ivone Perreira recebeu, de forma simbólica, o cartão do RS Mais Igual das mãos do governador Tarso Genro, e falou sobre o que representa a complementação de renda. "Tenho orgulho de fazer parte do Bolsa Família, porque com esse dinheiro é mais fácil comprar material escolar, comida, roupas e calçados para os meus filhos", afirmou.

O chefe do Executivo, Tarso Genro, lembrou que surgiram muitas críticas quando o ex-presidente Lula lançou o Bolsa Família. "As pessoas mais ricas da sociedade, que não sabem o que é passar necessidade, não compreendiam que, às vezes, num pequeno aporte de recursos está a diferença entre o comer e o não comer, entre sobreviver com a mínima dignidade para procurar uma escola, um trabalho", citou.

Tarso falou, ainda, sobre a importância dos programas sociais, como o RS Mais Igual. "A luta e a promoção da igualdade é o que faz a diferença, não é o mero desenvolvimento, pois ele pode tornar os ricos mais ricos e os pobres estagnados. O desenvolvimento tem que ser debaixo para cima e acompanhado de políticas sociais, que gerem renda, trabalho e qualificação técnica. E esse é o significado do nosso Governo", ressaltou.

Em sua manifestação, o prefeito de Herval, Ildo Sallaberry, destacou a forma como o Governo conduz as relações com as prefeituras e o significado dos programas sociais. "As pessoas que passaram necessidade sabem o significado dos programas sociais. "Eu acredito muito no Bolsa Família e no RS Mais Igual, pois eles dão uma base para que a pessoa possa seguir em frente", citou. Ildo ainda falou da parceria da prefeitura com a gestão estadual que vem assegurando diversos investimentos em todas as áreas, além de destacar a importância da visita do Governador, uma vez que havia muitos anos que o município não recebia a visita de um Chefe do Executivo Estadual.

Por fim, Sallaberry argumentou que mesmo sendo um dia de agradecimentos, não podia perder a oportunidade para fazer alguns pedidos a Tarso, sendo eles o recapeamento da RS que liga Herval a Arroio Grande, o fornecimento de óleo diesel para a recuperação de estradas atingidas pelas últimas chuvas e o apoio político do Governador, visando a aprovação de projetos de pavimentação de ruas que se encontram em análise no Ministério das Cidades, em Brasília.

Finalizando a atividade em Herval, foi feita a divulgação da destinação dos recursos do Programa Inclusão Produtiva, executado pela Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR) por meio da Emater. Dentro do programa, são executadas atividades de mobilização e seleção de famílias, diagnóstico da unidade produtiva familiar, elaboração de projeto produtivo e acompanhamento técnico da produção para autoconsumo e venda do excedente, visando ao bem-estar das famílias. No município de Herval, até o momento, R$ 80 mil foram investidos, beneficiando 100 famílias.

Para o secretário da SDR, Ivar Pavan, o dia em Herval foi marcado pela ação do Governo de fazer com que mais pessoas tenham acesso às políticas do Estado e, principalmente, por formalizar os compromissos assumidos com a anistia do Mais Alimento, assumida no início da gestão.

"Tínhamos a meta de auxiliar mais de 2 mil agricultores familiares e estamos cumprindo. Em 2012, R$ 63 milhões foram anistiados e, a poucos dias, anistiamos mais R$ 17 milhões. Aqui em Herval, são 100 famílias beneficiadas, com um investimento que ultrapassa R$ 1,5 milhão", afirmou Pavan.

Texto: Andrea Sommer e Joice Proença, com pequeno acréscimo de Toninho Veleda
Foto: Caco Argemi/Palácio Piratini
Edição: Redação Secom (51) 3210.4305


Ato político


Emir Sader, sempre sábio, astuto e cristalino quando o assunto é as relações públicas, sociais e políticas...

A América Latina não podia dar certo

A América Latina não podia dar certo. Foi criada pelos colonizadores para não dar certo, para ser eternamente subalterna ao mundo “civilizado”. Para entregar-lhe suas matérias-primas e sua força de trabalho superexplorada e honrar seus senhores europeus. A América Latina foi colonizada para ser colônia e se sentir colonizada, para se subordinar às metrópoles e ao Império.
Mais ainda quando as alternativas pareciam desaparecer, só restaria à América Latina imitar, de forma mecânica, o modelo único consagrado pelo centro do capitalismo. E assim foi por um tempo. A América Latina foi o continente com mais governos neoliberais e em suas modalidades mais radicais.
Uma devastadora onda, que liquidou, entre outros, o Estado social chileno, a autossuficiência energética da Argentina, além de deixar o continente como uma região intrancendente no plano internacional, de baixo perfil, subordinada às potências do centro do sistema, intensificando ainda mais a desigualdade e a miséria entre nós.
De repente, o fracasso dos governos neoliberais gerou a eleição de uma série de governos que se elegeram com o compromisso de superar esse modelo e de construir sociedades mais justas, menos desiguais, soberanas no plano internacional.
Foi assim como a região se tornou a única no mundo com governos antineoliberais, que, além disso, passaram a construir processos de integração regional autônomos em relação aos EUA. Mesmo quando surgiu a profunda e prolongada crise econômica – que acabou de cumprir cinco anos de duração – nos países do centro do capitalismo, esses países não deixaram de expandir suas economias e, sobretudo, de combater a miséria e a desigualdade. 
Entre seus adversários – na direita e na ultra esquerda –, inicialmente esse fenômeno gerou desconcerto. Não era possível que, com a recessão mundial – que sempre havia arrastrado todos os nossos países à estagnação e ao retrocesso –, países como a Argentina, o Brasil, a Bolívia, o Uruguai, o Equador, a Venezuela resistissem à crise.
Depois de ter denunciado esses governos como propagadores de ilusões, tiveram que aceitar que nossa situação é distinta à dos países do centro do sistema e da daqueles, na região, cujos governos mantem orientações neoliberais. Já’ não podiam dizer que as situações favoráveis dos nossos países se deviam a um marco internacional favorável, porque esse marco tinha mudado radicalmente com a crise.
Havia os que fechavam os olhos aos grandes avanços sociais de países do continente mais desigual do mundo, querendo desqualificar as orientações desses governos, que consideram modelos exportadores baseados na devastação dos recursos naturais. Como resultado, todos os que propugnam essas posições foram rejeitados pelos povos desses países, que os reduziram a forças sem nenhum apoio popular, sem nenhuma expressão política. 
As aves de rapina seguiam esperando indícios de problemas, que pudessem – mesmo depois de uma década de sucesso das políticas pós-neoliberais desses governos – comprovar suas funestas previsões. Formou-se uma coalizão internacional entre forças de direita e de ultra esquerda para atacar os governos progressistas da América Latina, porque o sucesso de líderes como Hugo Chávez, Lula, Dilma, Nestor e Cristina Kirchner, Evo Morales, Rafael Correa, Pepe Mujica, entre outros, tornava insustentáveis suas posições.
Bastava surgir problemas em alguns desses países, qualquer que fosse sua origem – mesmo as pressões recessivas continuadas vindas do centro do sistema – para que se renovassem os artigos na imprensa ou as previsões de opositores sem nenhum apoio popular, dizendo que finalmente se esgotava o modelo alternativo de crescimento com distribuição de renda desses governos.
Porque é insustentável para eles que Carlos Andrés Peres, Ação Democrática e Coppei fracassassem, e Hugo Chávez desse certo. Que FHC tivesse fracassado e Lula desse certo. Que seus queridos Carlos Menem e Fernando de la Rua tivessem fracassado espetacularmente, enquanto Nestor e Cristina tenham dado certo. Que Sanchez de Losada tivesse sido expulso do governo pelo povo e Evo Morales dê certo. Que os governos de direita no Uruguai tenham fracassado e os da Frente Ampla tenham sucesso. Que o mesmo aconteça com o sucesso de Rafael Correa e o fracasso dos governos de direita que o antecederam.
Já não são governo efêmeros, todos já conseguiram reeleger-se e/ou elegeram seus sucessores e continuam tendo possibilidades de seguir governando ou de eleger seus sucessores, promovendo uma segunda década pós-neoliberal na América Latina.
No entanto, segundo o receituário neoliberal e o da ultra esquerda, esses governos não podiam dar certo. Tinham que fracassar para comprovar a realidade do “pensamento único” e do Consenso de Washington. Ou a realidade dos dogmas extraídos dos livros diretamente para a realidade, de que governos populares de ampla aliança política não podiam se consolidar e obter grande e renovado apoio popular, transformando de maneira democrática a realidade. Porque seriam dirigidos por líderes que teriam “traído” a confiança popular, em condições que, na realidade, os povos os escolheram e reafirmaram como seus líderes.
Esta situação se consolidou de tal forma que as oposições em cada país não encontram espaço – nem lideranças, nem plataformas alternativas. Ou calam sobre o que fariam, caso triunfassem, ou confessam que voltariam às fracassadas formulas neoliberais – menos Estado, duro ajuste fiscal, privatizações, política externa de retorno à subordinação aos EUA.
Porque os governos pós-neoliberais se tornaram hegemônicos em cada um dos países que governam. Daí sua legitimidade e sua capacidade de enfrentamento dos problemas que têm pela frente, assim como sua capacidade de renovação para dar continuidade a seus programas de prioridade das políticas sociais, dos processos de integração regional e do papel do Estado como indutor do crescimento econômico e garantia dos direitos sociais de todos. Negando a todos que acreditavam que a América Latina não podia dar certo.


terça-feira, 24 de setembro de 2013

Pitada filosófica




Nem só de pão viverá o homem




Momento poético


(Pablo Neruda)


É assim que te quero, amor,
assim, amor, é que eu gosto de ti,
tal como te vestes
e como arranjas
os cabelos e como
a tua boca sorri,
ágil como a água
da fonte sobre as pedras puras,
é assim que te quero, amada,
Ao pão não peço que me ensine,
mas antes que não me falte
em cada dia que passa.
Da luz nada sei, nem donde
vem nem para onde vai,
apenas quero que a luz alumie,
e também não peço à noite explicações,
espero-a e envolve-me,
e assim tu pão e luz
e sombra és.
Chegastes à minha vida
com o que trazias,
feita
de luz e pão e sombra, eu te esperava,
e é assim que preciso de ti,
assim que te amo,
e os que amanhã quiserem ouvir
o que não lhes direi, que o leiam aqui
e retrocedam hoje porque é cedo
para tais argumentos.
Amanhã dar-lhes-emos apenas
uma folha da árvore do nosso amor, uma folha
que há de cair sobre a terra
como se a tivessem produzido os nosso lábios,
como um beijo caído
das nossas alturas invencíveis
para mostrar o fogo e a ternura
de um amor verdadeiro.

domingo, 22 de setembro de 2013

Seis municípios da Região Sul recebem viaturas de programa de inseminação artificial de bovinos



O governador Tarso Genro entregou nesta quarta-feira (18) seis viaturas do Programa Estadual de Incremento da Qualidade Genética da Pecuária de Carne e de Leite (Dissemina) para as cidades de Pedro Osório, Cerrito, Herval, Piratini, Jaguarão e Canguçu, durante a Interiorização que percorre os municípios da Região Sul.

"Antes, a Metade Sul era tida como esquecida, como problema. Por meio de um programa como este, se cria uma coesão social, beneficiando principalmente os produtores rurais mais pobres. A colaboração do RS no cenário nacional e global hoje dependem dessa região", afirmou Tarso no último compromisso segundo dia de Interiorização.

Na contramão da Europa, disse o governador, que em função da crise tem achatado salários, demitidos funcionários públicos e privados, aqui no Estado e no país se contratam funcionários, há concursos públicos, se dá aumento real aos salários dos trabalhadores e se chega, com as políticas públicas, na população mais empobrecida. 

"E o programa Dissemina tem esse papel. Nós precisávamos pensar uma estratégia que atingisse os pequenos produtores, que levasse até eles tecnologias para aumentar renda e produção", disse, lembrando que a ideia surgiu durante uma Expointer em que ele perguntou ao secretário da Agricultura, Luiz Fernando Mainardi, por que as melhores genéticas vinham dos maiores produtores.

Os veículos utilitários do modelo Fiat Doblo são equipados com um botijão de nitrogênio e um kit de material para a inseminação. O programa, que já tem 212 prefeituras inscritas, é coordenado pela Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária (Fepagro).

Segundo Maianardi, que nesta semana já esteve em oito municípios entregando veículos da primeira etapa do programa, há estimativa de que dos 120 mil produtores de leite do RS pelo menos 40 mil deles não trabalhem com inseminação artificial. "Por isso, assumimos o compromisso, em parceria com a União e com as prefeituras, de chegar nas propriedades e mudar a consciência dos produtores, fazer com que entendam a importância da tecnologia na melhoria de seus rebanhos e da sua carne e do seu leite".

Com a reativação, pela Fepagro, da Central Riograndense de Inseminação Artificial, desmantelada nos últimos 10 anos, pretende-se coletar o sêmen e distribuí-lo, gratuitamente, aos municípios inscritos no Dissemina. Os técnicos das prefeituras estão sendo treinados pela Fepagro e têm responsabilidade de estar junto aos produtores e assentados. "São eles que vão fazer o programa funcionar na prática. Além da melhoria genética dos rebanhos, a inseminação, que não é um processo simples, vai contribuir com a melhoria da gestão das propriedades", afirmou Mainardi.

Na primeira etapa serão 30 municípios que recebem os veículos, num investimento de R$ 1,5 milhão. A previsão é de que, até o final de 2014, mais de 200 cidades contem com o programa, no qual será investido mais de R$ 10 milhões, recursos do Estado e do Governo Federal. 


Texto: Aline Heberlê e Daniel Cóssio
Foto: Caco Argemi/Palácio Piratini 
Edição: Redação Secom (51) 3210.4305


Viva a mudança!




segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Governador Tarso visita Herval com a Caravana da Inclusão do RS Mais Igual


A prefeitura Municipal de Herval, através do prefeito Ildo Sallaberry, tem a honra de convidar para a Caravana da Inclusão do RS Mais Igual, a realizar-se no município, com a presença do Exmo. Governador do Estado, Tarso Genro e Secretários da Administração Estadual, conforme segue:

DATA: 18/09/2013 (Quarta-feira)
HORA: 14h
LOCAL: Sede do CRAS (Rua Luiz Osório D'Ávila, 240)

Na oportunidade, serão oferecidos diversos serviços voltados à afirmação da cidadania e resgate da autoestima.


Sua presença é fundamental!

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Música para os meus ouvidos


Um amigo, hervalense de alma, coração e melodia, acostumado a vibrar em outra frequência em termos musicais e avesso a todo lixo que toca aqui e por aí, está de malas prontas para prestigiar mais uma apresentação de Humberto Gessinger que irá ocorrer em breve em Pelotas...

Confesso que chego sentir uma inveja boa e um orgulho imenso em saber que não estou só na mania de não engolir os lec lec lec da vida!!! Afinal, não é todo dia que pinta um momento como esse nem todo mundo que tem o ouvido afinado e a mente aberta para o talento intergalático do gaúcho e gremista de todos os pagos, Humberto.

Pra quem curte esse que considero o filósofo e papa da boa música do nosso continental país, deixo aqui uma palhinha, aproveitando a dica do amigo fã incondicional de Humberto e do rock que embala o corpo e tira a alma pra pensar...




Autorretrato


Yo, nos meus bons tempos de "gauchinho de setembro"

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Azonasul reúne prefeitos na capital


O alinhamento de posições de lideranças da região frente à pauta municipalista visando maior visibilidade e resposta aos pleitos está levando uma verdadeira caravana de prefeitos a Porto Alegre, nesta quarta-feira (11) para agenda de reuniões e audiências. A atividade, promovida pela Associação dos Municípios da Zona Sul (Azonasul), ocorre a partir das 14horas, na sede da Federação das Associações de Municípios do RS (Famurs) e poderá encerrar no Palácio Piratini, em audiência com o governado Tarso Genro.

Adianta o presidente da Azoansul, César Roberto Brito, prefeito de Pedro Osório, que durante a primeira reunião os prefeitos aguardam a participação dos deputados da região e devem encaminhar uma série de reivindicações nas áreas de saúde, educação e infraestrutura pertinentes às gestões públicas municipais. Também está confirmada a presença do presidente da Federação, Valdir Andres, que ouvirá dos chefes do Executivo da Azonasul avaliações favoráveis ao programa Mais Médicos, contrapondo o posicionamento da Famurs declarada em recente entrevista coletiva.

Já para a audiência com Tarso Genro, os prefeitos estão levando expediente solicitando apoio para a criação de novas políticas que minimizem os problemas de diminuição de receitas e formas de compensações para gastos com manutenção de estruturas. “Queremos sustentação do governo estadual para sensibilizar o Governo Federal, o Congresso Nacional e o Poder Judiciário para, dentro da área de abrangência de cada uma destas instâncias, buscar a solução dessas questões, tranquilizando, desta forma, os Gestores Públicos Municipais”, disse.

RESÍDUOS – Ontem (10), na sede da Azonasul, em Pelotas, os prefeitos e gestores de Meio Ambiente discutiram as possibilidades para a criação de estrutura regional destinada à gestão de resíduos sólidos. A proposta, apresentada pelo prefeito de Candiota, Luiz Carlos Folador, merecerá desdobramentos e avaliações sobre adesões de prefeituras e formato de operações.

FONTE: assessoria de imprensa da Azonasul

Rir é o melhor remédio




sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Prefeitura realiza Campeonato Citadino de Futsal


A Administração municipal, através da Secretaria de Cultura, Turismo, Desporto e Lazer, deu início esta semana na organização do Campeonato Citadino 2013. A previsão é de que o Campeonato seja realizado no mês de outubro, com as categorias Master, Livre, Feminino e infanto-juvenil. Interessados devem procurar a sede da Secretaria que atualmente está instalada no Ginásio de Esportes.

Segundo o prefeito Ildo Sallaberry, “a necessidade de adequar o Ginásio Municipal às normas de proteção e combate a incêndios nos obrigou a paralisar suas atividades num primeiro momento e, num segundo momento, restringir a presença de público até 100 pessoas. No entanto, as novas adequações no Ginásio feitas até aqui nos permitem realizar atividades com um público de até 350 pessoas, e nada melhor que brindar essa conquista com uma competição de futsal consagrada e tão aguardada por todos”, defendeu.

Ainda de acordo com Sallaberry, em nenhum momento faltou nem faltará empenho da administração para que o Ginásio volte a funcionar plena e normalmente. A questão, disse, é que a tragédia de Santa Maria, além de muitas vítimas, deixou muitas lições e aumentou o rigor na fiscalização em todos os prédios públicos e privados, especialmente aqueles que concentram grande quantidade de pessoas. Queremos o Ginásio funcionando, mas dentro das normas que garantam a segurança do público e desportistas, para que um momento de alegria não se transforme na dor de uma tragédia.

"O município vizinho de São Lourenço do Sul, por exemplo, não pode realizar um de seus Eventos mais tradicionais no início do ano que é o Reponte da canção nativa, devido à necessidade de adequar o espaço onde o mesmo se realiza as normas de proteção e combate a incêndio (PPCI), sendo que a maioria dos lourencianos, ao invés de criticar, ficou ao lado da administração, porque a população que já passou por uma tragédia sabe que com a vida das pessoas não se brinca", comparou Ildo.


Abertura da semana da pátria foi realizada na segunda-feira em Herval


Organizada pela Secretaria Municipal de Educação, aconteceu na tarde desta segunda-feira (02), a Hora Cívica que marcou a abertura oficial da Semana da Pátria de 2013 no município.

A solenidade foi realizada na Praça e teve a presença de alunos da Escola Padre Libório, Instituto São João Batista, do Polo de Educação Infantil, autoridades municipais, bem como da comunidade em geral.


A chegada do fogo simbólico, trazido por um grupo de alunos acompanhados da Brigada Militar, foi o ponto alto do evento. Após o ato de acendimento do Fogo Simbólico da Pátria a comunidade pode prestigiar a apresentação da Banda Marcial do Instituto São João Batista e da Banda Mirim da Escola Padre Libório.

A programação da Semana da Pátria no municipal culmina no dia 07 de setembro com o desfile temático das escolas do município, das crianças atendidas pelo Programa Primeira Infância Melhor  e do Instituto Estadual São João Batista, a partir da 13h 30, na Praça Marques do Herval.

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Roteiro de palestras do Deputado Por Um Dia tem etapa em Herval


Na próxima quarta-feira (4), no município de Herval, ocorre a última etapa das palestras preparatórias à 42ª edição do projeto Deputado Por Um Dia (DPD), no Instituto Estadual São João Batista, a partir das 9h45. No total, cinco escolas são selecionadas para a Sessão Plenária do Estudante, que será realizada no dia 11 de novembro, no Plenário 20 de Setembro da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul (ALRS). A iniciativa é do Parlamento gaúcho, realizada por meio da Escola Legislativo Deputado Romildo Bolzan, presidida pelo deputado Mano Changes (PP).

A vice-diretora do Instituto Estadual São João Batista, Ângela Carvalho Pereira da Motta, classifica como maravilhosa a oportunidade dos alunos integrarem o projeto Deputado Por Um Dia, já que em cada edição apenas cinco escolas do Rio Grande do Sul podem participar. “Será um aprendizado sobre como funciona a Assembleia Legislativa e como fazer projetos. A iniciativa estimula os estudantes a descobrirem temas importantes para defenderem”, pondera Ângela. E acrescenta: “É um dos raros espaços para o jovem se expressar”.

As palestras serão realizadas pela diretora da  Escola do Legislativo, Gislaine Monza, e pela coordenadora da Divisão de Pesquisa e Extensão da Escola do Legislativo, Vanessa Albertinence Lopez.


Cronograma

As palestras anteriores ocorrem em São Borja, na EMEF Vicente Goulart (21/8); em Três de Maio (7/08), na escola Germano Dockhorn; no município de São Marcos (13/08), na Escola João Pollo, e em Tapes, na Escola Gaston Augusto Santos César (15/08).


O projeto Deputado Por um Dia

O Deputado Por Um Dia é um projeto voltado à formação de cidadania. Ele promove a aproximação entre o Legislativo e jovens estudantes, a partir da 7ª série do ensino fundamental de escolas públicas e privadas do Estado, com o objetivo de proporcionar conhecimento e experiência prática sobre a atividade parlamentar. Além de escolas, podem participar instituições e entidades da sociedade civil organizada que trabalhem com projetos de integração social para adolescentes.

Para a Sessão do Estudante são sorteadas cinco escolas/instituições/entidades. Cada uma delas é representada por onze alunos, totalizando 55 deputados-estudantes. Durante os preparativos, uma equipe da Escola do Legislativo vai até os colégios para falar com alunos e professores.

Cada escola sorteada elabora um projeto de lei que é discutido, apreciado e votado na Sessão Plenária do Estudante. Neste dia, as atividades na Assembleia iniciam-se às 8h30, com uma programação envolvendo temas de interesse ligados à cidadania. No final da manhã, os alunos líderes-deputados participam de uma reunião para organizar a Ordem do Dia. E, a partir das 14h, eles ocupam as cadeiras dos parlamentares, no Plenário, para apreciação e votação das proposições.

As escolas já contempladas no sorteio podem voltar a se inscrever para o projeto Deputado Por Um Dia, de maneira a ter nova chance de participação caso sejam sorteadas.


FONTE: Claudia Maria Paulitsch
Jornalista - MTE 9095
Coordenadora da Divisão de Publicações
Escola do Legislativo Romildo Bolzan