segunda-feira, 3 de julho de 2017

Licença poética



Peço licença uma vez mais para entregar-lhes novas palavras simples e sutis, arrancadas do fundo do baú do meu ser e inspiradas na minha musa imaginária...


Meu mundo cabe nas tuas mãos, amada minha.

Podes girar a vontade.

Peço apenas que não me deixes de cabeça para baixo por muito tempo durante a rotação.


Pois existe o risco do meu olhar deixar escapar os melhores ângulos da tua beleza.

Nenhum comentário: