segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Música para os meus ouvidos


Dias de lutas, dias de glória... E cada um deve ser responsável por suas lutas, derrotas e glórias.

Houve um tempo em que quis preencher os vazios de outrem ou carregar o mundo nas costas, hoje topo carregar apenas e tão somente meus próprios fardos e colho apenas os frutos que planto (bons ou ruins).

Estender a mão não deve significar carregar ninguém no colo e muito menos tentar trocar de lugar com quem quer que seja. Já fiz dessas e, além de não resolver os problemas ou mazelas alheios, acabei herdando ou respondendo por questões que não eram minhas.

Somar, dividir e compartilhar sempre, agora cada um com seu cada um e segundo suas obras, escolhas ou provações na humana existência.



Nenhum comentário: