Sobre o Blog do Toninho

O Blog busca retratar coisas da vida interiorana e do meu interior, numa abordagem que mistura reflexão, notícias, riso, poesia, musicalidade, transcedentalidade e outras "cositas más". Tudo feito com produções próprias, mas também com a reprodução do pensar ou do sentir dos grandes gênios que o país e a humanidade pariram.

quarta-feira, 9 de julho de 2014

A melhor das Copas do Mundo é nossa!



Como era de se esperar, a turma do contra já começou a politizar a humilhação sofrida ontem pela seleção brasileira de futebol. Virou moda nesse país culpar o governo pelos problemas e, ao mesmo tempo, negar seus acertos. Ou pior, apostar na crítica pela crítica, atribuindo a certos governantes coisas que nunca disseram, pensaram ou fizeram. Ou então, desconsiderar completamente seus feitos para fazer a crítica. Tá tudo muito fácil: o cara sacaneia o amigo e joga a culpa no governo. A mulher passa a perna na colega e adivinha de quem é a culpa? Atitude típica de gente pequena e incapaz de enxergar um palmo além do próprio umbigo.

É a tal da meritocracia, se a criatura consegue estudar, mais acesso a um direito, melhores condições de vida, um emprego ou um salário melhor, o mérito é só dele e o governo não tem nada a ver com isso. Agora se acontece um problema lá na China ou o Brasil é humilhado num jogo de futebol, a culpa é de quem governa o país. É como algumas religiões que culpam o "diabo" por tudo de ruim e errado que ocorre no mundo, e atribuem os acertos ao esforço ou mérito próprio dos indivíduos. Santa hipocrisia e quanta miopia!

Enchem a boca e poluem as redes sociais com certezas que não conhecem; aplaudem de pé quem sempre lhes virou às costas quando estava no governo e insultam quem desenvolve políticas públicas que lhes abrem as portas para uma vida melhor; espalham verdades que nunca viveram e difundem a retidão de caráter que, não raro, só receitam para os outros. Ou como diria um grande pensador, "falam aos ouvidos, mas não ao coração".

Que fique bem claro: O Brasil perdeu dentro de campo porque mereceu perder. Ponto final! Os insatisfeitos ou contrariados que saibam aceitar a derrota e procurem explicações para esse vexame (se é que elas existem!) dentro das quatro linhas e das regras do jogo de futebol. Nada de jogar baixo e rasteiro e tentar transformar o fiasco de ontem em arma para detonar o governo ou para politizar um palco no qual a política partidária não entra nem apita nada.

Se estiverem estressados, vão pescar; se passam por problemas em casa, enfrente-os na esfera íntima ou particular; se querem emitir opiniões publicamente que elas sejam respeitosas e passem primeiro pelo crivo da verdade ou do bom senso. Nada de sair metralhando ou compartilhando coisas que não existem ou não se sustentam na vida real.

Contenham sua raiva, sensacionalismo e ímpeto de se deixar manipular por aqueles que sempre controlaram a opinião e, principalmente, pelos maiores e mais abrangentes veículos de comunicação em nosso continental país. A opinião é livre, mas a "opinionite" só não é inútil porque lança dúvidas sobre aquilo que é bom ou vem dando certo.

Queiram ou não, gostem ou não gostem, a Copa se revelou um tremendo e avassalador sucesso! Fora de campo a Copa foi e precisa continuar sendo um sucesso, motivo de alegria e atração de investimentos para o país, mesmo sem o Brasil na final. O Brasil perdeu dentro de campo, pois fora dele a organização do Mundial venceu de goleada.

Apesar de toda torcida contra, sob o comando de Dilma, nosso país mostrou como se faz e o povo brasileiro ensinou como se recebe e trata bem todos os povos, para desespero dos políticos raivosos e inescrupulosos e seus fiéis seguidores. E o melhor, teve Copa, educação, saúde, emprego, combate à corrupção e muito mais. Ao contrário do que latem os vira-latas e bem diferente do passado de atraso, derrotismo e sacanagens varridas para debaixo do tapetão tucano.

Que pena que dentro de campo não se possa dizer o mesmo. Vai ver faltou o espírito forte, arguto e generoso de Dilma no comando desse "timinho de moças assustadas”. Simplesmente decepcionante!

Nenhum comentário:

Música para os meus ouvidos

Viva Cazuza! Viva as canções que tocam as feridas e mostram que a vida é muito mais migalhas, máscaras ou arremedos de vida!