Sobre o Blog do Toninho

O Blog busca retratar coisas da vida interiorana e do meu interior, numa abordagem que mistura reflexão, notícias, riso, poesia, musicalidade, transcedentalidade e outras "cositas más". Tudo feito com produções próprias, mas também com a reprodução do pensar ou do sentir dos grandes gênios que o país e a humanidade pariram.

terça-feira, 21 de maio de 2019

Fiel da balança



Não é de hoje o Partido dos Trabalhadores tem cumprido o papel de fiel da balança diante do cenário político local. Ou seja, se por um lado a sigla ainda não desenvolveu musculatura suficiente para se tornar um dos polos da disputa pelo poder no âmbito do município; por outro, os números dos últimos pleitos mostram que a posição do PT tem sido ou pode ser decisiva para o resultado das eleições. Alguém duvida? Então, vamos aos números.

Em 2008, uma frente ampla de partidos encabeçada por Ildo Sallaberry (PP), venceu a corrida eleitoral somando 2.248 votos, tendo como segundo colocado Roque Oliveira do PT, com 427, já que o candidato do PDT, Marco Aurélio Camarão, teve sua candidatura cassada naquela ocasião em razão de crime eleitoral cometido na campanha eleitoral, ficando oficialmente com sua votação zerada. Contudo, em sendo contabilizados os votos dados à chapa pedetista e, somando-se esses aos votos dados à candidatura do PT, Sallaberry teria ficado atrás nessa disputa.

Em 2012, contando com o apoio e os votos do Partido dos Trabalhadores na coalizão de partidos vitoriosa em mais um pleito, Ildo Sallaberry foi reeleito contabilizando 2.670 votos, contra 1.885 de Jackson Xavier, candidato do PDT e das forças oposicionistas. Ou seja, um acréscimo de 422 votos na comparação com a corrida eleitoral anterior, o que praticamente equivale à votação do PT que concorreu com candidatura própria nas eleições de 2008.

Na eleição seguinte, 2016, em termos de coalizão de partidos as forças políticas praticamente seguiram as mesmas em ambos os lados, com a chapa vitoriosa encabeçada por Rubem Wilhelnsen alcançando 2.473, contra zero votos do candidato adversário (novamente Jackson Xavier), cujo registro depois de ter sido julgado pela Justiça Eleitoral após a votação, teve sua candidatura indeferida e os respectivos votos que recebeu considerados incomputáveis. O fato é que, com base nos números dos dois pleitos anteriores, mais uma vez os votos do Partido dos Trabalhadores se revelaram decisivos para o resultado ou ao menos para a diferença de votos registrada entre a chapa vencedora e a candidatura derrotada nas urnas.

Ademais, o PT também tem se mostrado o fiel da balança na composição do Legislativo. Em 2004, o grupo político vencedor elegeu 5 vereadores, contra 3 da coalizão partidária derrotada e um representante do PT. Em 2008, Ildo foi eleito contando com 4 vereadores em sua base de apoio, contra 4 da oposição, além de um representante do PT. Em 2012, o PT não elegeu representante e a composição da Câmara de Vereadores ficou 5 contra 4, favorável ao governo. No último pleito de 2016, o PT voltou a eleger um vereador, sendo que os demais partidos da base governista elegeram 4 representantes e a oposição (leia-se PDT) outros 4.

Portanto, além do fato de ter se revelado nos últimos anos como um ator importante no cenário político-administrativo local, contando com quadros destacados, com um acúmulo respeitável de trabalho e de formulações não apenas no Executivo, mas também no Legislativo, os números demonstram que o Partido dos Trabalhadores também vem sendo decisivo e se configura como verdadeiro fiel da balança eleitoral em Herval. Os números não mentem, porém o jogo político é algo muito dinâmico, com muitas idas e vindas, e o futuro sempre a Deus pertence.

Nenhum comentário:

Música para os meus ouvidos

"Sou feliz e agradeço por tudo que Deus me deu!"