sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Licença poética



Peço licença uma vez mais para entregar-lhes novas palavras simples e sutis, arrancadas do fundo do baú do meu ser e inspiradas na minha musa imaginária...


Teu corpo tem gosto de mel e amor puro.
Procuro o calor do teu corpo em cada canto, em cada verso,
em cada rebolado, em cada rosto, em cada esquina.
Teu corpo perfeito que arrasta e adoça e alucina.

Nenhum comentário:

Ato político

Excelente reflexão do querido e competente Zelmute Marten. Nesses tempos que os ambientes e relações virtuais se tornaram o chão ou cé...