terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Licença poética



Peço licença uma vez mais para entregar-lhes novas palavras simples e sutis, arrancadas do fundo do baú do meu ser e inspiradas na minha musa imaginária...


Vamos ser amigos? Vamos ser ficantes? Vamos ser amantes? Vamos ser meros usuários ou traficantes de sentimentos falsos?


Meu desejo é que sejamos um do outro e livres para viver e volver sempre, porque amor nunca amarra nem deixa solto.


Busco-te bruscamente e sonho te encontrar para entregar muito mais que um mundo de palavras, mas um mundo de leveza, amor, afago, fogo, paz, paladar, sentimentos palpáveis e nus.

Nenhum comentário: