terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Autoridades mobilizadas pela prorrogação da validade dos exames do mormo



Na última quarta-feira, 6, o prefeito em exercício, Bebeto Perdomo e o secretário de planejamento, Toninho Veleda, cumpriram agenda de trabalho na Assembleia Legislativa.

O destino foi o gabinete do deputado estadual Zé Nunes (PT) e a pauta o pedido de apoio no pleito que pede a prorrogação da validade dos exames de mormo em todo o território do estado do Rio Grande do Sul.

De acordo com a conversa e o teor do documento entregue ao deputado petista, o CTG Minuano promove entre os dias 14 a 17 de janeiro, a 16.ª edição do Rodeio Internacional de Herval. Trata-se de um evento fantástico que, além de atrair milhares de visitantes, serve para simbolizar e promover a cultura local, fortemente calcada nos hábitos e valores do “gaúcho de a cavalo”.

No entanto, o advento do citado evento trás uma preocupação e uma despesa a mais para os tradicionalistas, em razão da necessidade da realização do exame do mormo.

Neste sentido, a partir de proposição aprovada pelo Legislativo Municipal, de iniciativa do vereador Rodrigo Cáceres Dutra, pede-se o apoio do deputado, no sentido de encaminhar à Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Irrigação do RS, o pleito de aumento do prazo de validade do exame do mormo para 180 (cento e oitenta) dias.

A Instrução Normativa nº 24, de 5 de abril de 2004, que trata do Controle e Erradicação do Mormo, estabelece que os exames com resultado negativo da prova de FC terão validade 60 (sessenta) dias para propriedades não monitoradas. Conforme argumenta o vereador proponente, “somos sabedores que para emissão da GTA (Guia de Trânsito Animal) para equinos, são necessários exames de Anemia Infecciosa Equina (AIE) e atestado negativo de influencia (gripe) equina, com validade de 180 dias para o trânsito no Estado, sendo que o exame de Mormo apresenta validade de apenas 60 (sessenta) dias no RS, diferentemente de outros estados da federação cuja validade dos exames é de 180 dias (SC e PR)”.

Desta forma, o presente pleito tem como escopo a uniformização dos critérios entre Estados, de forma que a validade do exame de Mormo também passe a valer pelo período de 180 (cento e oitenta) dias no nosso Estado, assim como pelo fato dos equinos ainda se constituírem numa das mais importantes ferramentas de trabalho no meio rural, não só no município de Herval, mas em todo o Pampa Gaúcho.

Ademais, pelo fato de existirem poucos laboratórios no país credenciados a fazer o exame do sangue coletado dos animais, o custo desse exame se torna alto e bastante oneroso para um grande número de proprietários.

Nenhum comentário: