sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Licença poética




Peço licença uma vez mais para entregar-lhes novas palavras simples e sutis, arrancadas do fundo do baú do meu ser e inspiradas na minha musa imaginária...


Meu corpo não tem trancas ou cadeado para prevenir teus ataques.
Sequestra-me e mostra onde mora o perigo ou se esconde o pecado.

Nenhum comentário: