O Blog busca retratar coisas da vida interiorana e do meu interior, numa abordagem que mistura reflexão, notícias, riso, poesia, musicalidade, transcedentalidade e outras cositas más. Tudo feito com produções próprias, mas também com a reprodução do pensar ou do sentir dos grandes gênios que o país e a humanidade pariram.

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

MP aponta cargos irregulares no Legislativo





No último dia 18/01, o plenário da Câmara Municipal serviu de palco para a audiência dos vereadores e servidores do Legislativo com a representante do Ministério Público (MP), Dra. Cláudia Pegoraro.
A reunião transcorrida em pleno feriado municipal teve como objetivo debater e esclarecer as incorreções e ilegalidades apontadas pelo MP em relação ao provimento de alguns cargos da Casa Legislativa hervalense, cujos atos se referem ao exercício legislativo anterior.
Segundo a Promotoria de Justiça, os cargos de motorista e assessor legislativo devem ser ocupados por servidores efetivos, e não por detentores de cargos em comissão, conforme estabelece a estrutura atual de cargos e funções da Câmara. A promotora Cláudia Pegoraro também aponta como irregular o fato do Poder Legislativo não possuir assessoria jurídica. Por fim, a Promotoria ainda apontou o ato extremamente grave e ilegal praticado ao final de 2010, pelo qual uma servidora foi nomeada para um cargo efetivo sem ter sido submetida a concurso público.
Como forma de sanar os problemas apontados, a Dra. Cláudia propõe seja firmado um Termo de Ajustamento de Conduta – TAC, prevendo que a Câmara promova as devidas alterações na lei que estabelece seus cargos e funções e a posterior realização de concurso público para o provimento dessas vagas, a ser realizado até o final de agosto do corrente ano.
O vereador Claudiomor Inhaia, presidente da Câmara Municipal, manifestou o seu compromisso de resolver os problemas apontados, adequando todos os cargos do legislativo às normas legais. Ele também declarou a sua disposição de assinar TAC com o Ministério Público, desde que a direção da Casa possa contar com o apoio da maioria dos vereadores para aprovar as mudanças necessárias na legislação e ainda tenha condições financeiras para arcar com a realização do concurso, bem como suportar as despesas geradas com a manutenção desse pessoal no quadro de efetivos.

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Momento poético




EU TE AMO
Chico Buarque


Ah, se já perdemos a noção da hora
Se juntos já jogamos tudo fora
Me conta agora como hei de partir

Se, ao te conhecer, dei pra sonhar, fiz tantos desvarios
Rompi com o mundo, queimei meus navios
Me diz pra onde é que inda posso ir


Se nós, nas travessuras das noites eternas
Já confundimos tanto as nossas pernas
Diz com que pernas eu devo seguir


Se entornaste a nossa sorte pelo chão
Se na bagunça do teu coração
Meu sangue errou de veia e se perdeu


Como, se na desordem do armário embutido
Meu paletó enlaça o teu vestido
E o meu sapato inda pisa no teu


Como, se nos amamos feito dois pagãos
Teus seios inda estão nas minhas mãos
Me explica com que cara eu vou sair


Não, acho que estás só fazendo de conta
Te dei meus olhos pra tomares conta
Agora conta como hei de partir

Rir é o melhor remédio

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Breve esclarecimento e uma dica



Quem acompanha o blog do Toninho há mais tempo, deve ter notado uma certa, digamos, mudança de foco deste blogueiro.
De início, o blog surgiu com o intento de debater e noticiar assuntos da esfera pública hervalense.
Neste último período, no entanto, tenho me utilizado deste espaço prioritariamente para discorrer ou apresentar escritos voltados à esfera íntima. Não minha, apenas, mas também sobre a intimidade de todos nós que embarcamos nesta “divina comédia humana”, para usar as palavras do grande Belchior.
Qual a razão para isto? De um lado, porque nada é eterno, como também diria Belchior; de outro, porque Herval conta atualmente com pelos menos dois veículos informativos na net, com notícias fresquinhas sobre a “terrinha”; feitos por gente muito mais competente do que eu em matéria jornalística. Então, porque chover no molhado?
Dito isto, deixo a dica a quem busca saber das “últimas” do Herval para que acesse as seguintes páginas:

Jornal A Fronteira: http://jornalafronteira.blogspot.com/
Jornal O Herval: http://www.oherval.com.br/

No mais, gracias pela companhia, aquele abraço e um 2011 daqueles!!!

Herval decreta Situação de Emergência



A prefeitura municipal de Herval decretou Situação de Emergência nesta segunda-feira, 03, em razão da estiagem que afeta o município há mais de 90 dias. De acordo com o prefeito municipal, Ildo Sallaberry, os prejuízos maiores estão na área rural, onde ocorre escassez de água nas fontes naturais e nos açudes que abastecem o consumo das famílias e dos animais, prejudicando a pecuária e a produção agrícola.
A falta de chuva no município já causou danos nas culturas de subsistência, além dos prejuízos nas lavouras de milho, soja e feijão. Na pecuária a produção mais afetada foi a da bacia leiteira e a criação de bovinos de corte. O Decreto tem vigência de 90 dias podendo se estender por mais seis meses.

(notícia publicada pelo Jornal A Fronteira (http://jornalafronteira.blogspot.com/)

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Licença poética...




Peço licença uma vez mais para entregar-lhes algumas palavras simples e sutis arrancadas do fundo do baú do meu ser e inspiradas na minha musa imaginária:


Teu amor me fere mais do que a solidão ou a indiferença.
Como pode ser essa contradição? Amar não deveria ser sinônimo de soma, calma, confiança, afinação?

Mas não! Busco teu mel, tua luz, tua indulgência e ao invés disso, acabo por me defrontar com o patrulhamento implacável do meu ser despedaçado e completamente entrelaçado em ti, feito de um modo que nem mesmo Deus é capaz de praticar com a mais desgarrada de suas ovelhas!

Mas não! Apesar da imensidão do nosso amor, sempre esta faca afiada enfiada em meu peito; sempre este tapa na minha alma lanhada; sempre este tribunal instaurado para me julgar e condenar – sem o menor direito de defesa ou apelação – pelas marcas de um passado que de tão longínquo e apagado, só se sabe que é meu por algumas poucas e inevitáveis pegadas!

Por que fuçar em miragens ou em coisas já mortas, se podemos desfrutar do mundo de amor que temos pela frente e aqui dentro?

Como hei de caminhar para o mar de amor que nos espera, se teu ímpeto de fera me fere e prende a feridas e espinhos já transformados em flor pelo meu amor a vida e a mim mesmo?

Encontrei-te quando procurava um novo tempo de riso, refazimento e paz interior.

Esta, aliás, é a grande fortuna que persigo neste mundo de provas, dores e tribulações...

Então, apenas me ame, sem fuzilamentos ou fantasmas. E amar é mais que uma dor.
Amar é um misto de caminhada de mãos dadas por entre pedras e outros percalços, afagos e desafios pedagógicos.
Amar é também plantar sempre a semente do verdadeiro amor (aquele que sabe somar) para que germine gente melhor em nós!

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Rir é o melhor remédio

Um pouco do brilhantismo de Marcos Rolim


Neste raiar de um novo ano, compartilho com vocês a crônica brilhante do sempre brilhante Marcos Rolim:


Presidente Janus
Marcos Rolim


Lula encerra seu governo com 87% de aprovação o quê, segundo o instituto Sensus, assinala recorde mundial. Nem Mandela obteve tal resultado. O fenômeno demanda uma análise criteriosa que, infelizmente, não será encontrada na maioria dos jornais. A propósito, os pesquisadores do futuro que tentarem compreender o que foram os dois mandatos de Lula a partir do que foi publicado pela mídia estarão diante de um mistério: como o presidente mais popular da história e o governo mais bem avaliado mereceram tão frequentemente o desprezo, a ironia e as críticas mais duras da imprensa? Ou, dito de outra forma, por que a mídia viu um governo e a ampla maioria da população viu outro?

A matéria é difícil e só autoriza hipóteses. Penso que a primeira diz respeito ao contraste com os governos anteriores. O presidente Fernando Henrique tem o mérito da estabilidade econômica – coisa que o PT, na época, não entendeu – mas, fora esta conquista, o que deixou como herança? FHC sempre foi paparicado pela mídia, mas a verdade é que ele endividou o Brasil de forma irresponsável, alienou patrimônio público em processo de “privataria”, mergulhou o ensino superior em sua mais grave crise e não realizou os investimentos mais importantes. Naquele tempo, as oposições exigiam do governo um salário mínimo de 100 dólares – sem sucesso, assinale-se-, o que diz o suficiente sobre os “compromissos sociais” da direita brasileira. Quando comparamos as conquistas do período Lula com os 8 anos de FHC, então, o contraste é tão grande que Lula se transforma em um gigante. E, antes de FHC, tivemos Itamar Franco, Collor e Sarney e, antes deles, a ditadura. Vamos combinar que o Brasil teve muita sorte de ter sobrevivido.

Seria preciso compreender, também, o alcance das políticas sociais de Lula. A mídia sempre tratou o “Bolsa Família”, por exemplo, com descaso considerando-o uma estratégia “eleitoral” destinada a criar dependência e preguiça. Enquanto os analistas se encantavam com seus preconceitos, entretanto, meio milhão de jovens pobres ingressava nas universidades e 15 milhões de brasileiros saíam da miséria; o que em um país excludente como o nosso assinala mudança radical. Não por acaso os aeroportos estão lotados, as lojas vendem como nunca e há carros em excesso. Os antigos pobres freqüentam espaços antes exclusivos e não falta quem se incomode, claro. A mídia, como regra, ficou com os incomodados.

O principal déficit do período Lula é a ausência de reformas institucionais. Neste ponto, nada andou. O PT, ao invés de reformar o modelo político, foi reformado por ele e o lulismo revelou, como na figura mitológica bifronte de Janus, sua face conservadora. As alianças com os setores fisiológicos do Congresso e a convivência, cada vez mais cordial, com a corrupção são os símbolos de um passado que se mantém presente no lulismo. As duas cabeças de Janus representavam os términos e os começos, o passado e o futuro. Por isso, Janus abria as portas para o ano novo. Que os deuses auxiliem a presidente Dilma, então, a dar término ao término, inaugurando um novo começo ao cruzar a porta aberta por Lula.

Seguidores