O Blog busca retratar coisas da vida interiorana e do meu interior, numa abordagem que mistura reflexão, notícias, riso, poesia, musicalidade, transcedentalidade e outras cositas más. Tudo feito com produções próprias, mas também com a reprodução do pensar ou do sentir dos grandes gênios que o país e a humanidade pariram.

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Obras de recapeamento asfáltico não param...


As obras de recapeamento asfáltico iniciadas no último dia 26 não param de avançar e ontem (28) já haviam chegado à rua Barão de Aceguá.

A equipe da administração municipal vem pegando junto com a empresa contratada (Encopav), de modo a garantir o sucesso desse empreendimento, realizando trabalhos de trocas de meio fio, instalação de redes de esgoto, além de outras ações preparatórias para a colocação do asfalto.

Os gestores e técnicos da prefeitura, em especial o prefeito Ildo Sallaberry, também vem acompanhando tudo bem de perto, no sentido de oferecer o apoio necessário e assegurar que tudo caminhe a contento.

Os moradores das ruas beneficiadas e a comunidade em geral também vem acompanhando tudo bem de pertinho, e não tem poupado elogios, cumprimentos e agradecimentos a essa iniciativa da prefeitura. Até mesmo alguns adversários políticos estão reconhecendo a importância dessa obra e admitindo que a mesma não seria possível sem o empenho, a organização administrativa e o investimento financeiro pesado da administração local.

















quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Autorretrato


"Yo" depois de alguns dias de malhação.

Música para os meus ouvidos


Uma das canções mais lindas que há no mundo. Um convite à vida, não essa que se perde nas curvas, esquinas ou desvios desse mundo imundo. Um hino ao amor, aquele de verdade, não esse que nasce e morre nas coisas inconstantes do corpo ou da carne.

Existe muita porcaria rodando por aí como se música fosse. Existe muita ilusão vivida ou perdida bem debaixo do nosso nariz, que não leva a nada nem a lugar nenhum. Mas também existe muita coisa boa para ouvir e motivos de sobra para viver o melhor desse "mundão de meu Deus" e ir tocando em frente...




terça-feira, 27 de outubro de 2015

Enfim, o asfalto...



Quem trabalha sempre alcança. Foram várias etapas, idas e vindas, muitas tratativas e negociações, muita descrença da "turma do contra" e dos críticos de plantão, muitos ajustes, etc... Mas depois de tudo isso, começou na data de hoje, 26, uma obra inédita e muito aguardada por todos os hervalenses, num investimento de quase R$ 800 mil, sendo R$ 400 mil oriundo de repasse do Ministério das Cidades (a partir de emenda do deputado Fernando Marroni (PT) e contrapartida pesada da administração municipal de cerca de R$ 370 mil.

Serão pavimentadas a maioria das ruas da cidade que hoje contam com calçamento de pedras irregulares, fonte interminável de dores de cabeça, prejuízos e reclamações contantes da população. Assim, receberão asfaltamento as ruas XV de Novembro, Borges de Medeiros, Barão do Aceguá, Guerreiro Vitória e, possivelmente, um trecho da rua Homero de Macedo.

Obrigado ao nosso comandante prefeito Ildo Sallaberry. Obrigado ao arquiteto Marcio Poersch e equipe da secretaria de Planejamento que nunca cansa de correr atrás do avanço para o nosso município. Obrigado ao pessoal de Obras e ao secretário Jean Pierre Pereira Acosta, gente que não tem ruim quando se trata de proporcionar o bom e o melhor para a nossa terra. Obrigado ao deputado Fernando Marroni e ao governo Dilma Rousseff, grandes parceiros e que mantém as portas sempre abertas quando a pauta e o pleito é fazer Herval avançar cada vez mais.

Licença poética



Peço licença uma vez mais para entregar-lhes novas palavras simples e sutis, arrancadas do fundo do baú do meu ser e inspiradas na minha musa imaginária...


Vida louca, vento leve,
Beijo longo, abraço breve.
Sol que racha, chuva que lava,
Frio que maltrata, cerração que levanta.

Tudo passa, só o que fica é essa sede de ti,
essa vontade de te ver, pegar em meus braços,
viajar por cada pedaço do teu corpo sem pressa 
e sem notar o tempo passar.

Pitada filosófica



segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Meu reino por um crioulo





Momento poético



Para viver de verdade, pensando e repensando a existência, para que ela valha a pena, é preciso ser amado; e amar; e amar-se. Ter esperança; qualquer esperança.

Questionar o que nos é imposto, sem rebeldias insensatas mas sem demasiada sensatez. Saborear o bom, mas aqui e ali enfrentar o ruim. Suportar sem se submeter, aceitar sem se humilhar, entregar-se sem renunciar a si mesmo e à possível dignidade.

Sonhar, porque se desistimos disso apaga-se a última claridade e nada mais valerá a pena. Escapar, na liberdade do pensamento, desse espírito de manada que trabalha obstinadamente para nos enquadrar, seja lá no que for.

E que o mínimo que a gente faça seja, a cada momento, o melhor que afinal se conseguiu fazer.



quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Música para os meus ouvidos


Uma das melhores vozes e um dos maiores compositores da música brasileira é do Rio Grande do Sul.

Uma das melhores coisas da vida é recomeçar e reencontrar o melhor de nós mesmos, depois de andar um tempo perdido em passos em falso, desconcertantes ou pouco edificantes.

Viva a vida! Viva a boa música!



Ato político


Sirvo-me uma vez mais da sensatez de Henrique Fontana, um líder político honrado, qualificado e acima de qualquer suspeita.


A estranha justiça de Hélio Bicudo e Miguel Reale Júnior,
por Henrique Fontana

Esta semana, o ex-promotor Hélio Bicudo e o jurista Miguel Reale Júnior entregaram na Câmara dos Deputados mais um pedido de impeachment da presidenta Dilma Rousseff. Já é o terceiro remendo ao original, diga-se. Nele pedem o impedimento de uma presidenta sob a qual não pesa nenhuma acusação de crime cometido, ou mesmo denúncia de corrupção. O remendo atual, aos insustentáveis pedidos anteriores, esta apoiado na suposta reincidência do governo na prática das pedaladas ficais no ano de 2015. Vejam: de um ano fiscal que sequer terminou, sobre contas do governo que ainda não foram analisadas por técnicos e ministros do Tribunal de Contas da União, e muito menos votadas pelo Congresso Nacional, a quem cabe a última palavra. O ex-promotor e o jurista inauguram assim uma nova modalidade no Direito brasileiro: a “presunção de crime futuro”, que mais parece uma versão nacional, torta, do famoso filme “Minority Report”.

Nesta estranha justiça, apresentaram seu pedido de interrupção do mandato presidencial ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha. Justamente sobre o qual recaem diversas denúncias de corrupção e robustas provas da existência de contas no exterior abastecidas com dinheiro provindo de propinas e corrupção que remontam a década de 1990, conforme denúncia do Ministério Público Federal acolhida pelo Supremo Tribunal Federal. Mas sobre isto silenciam.

Parece ainda que não merece nenhuma linha de indignação por parte de Bicudo e Reale as denúncias de mau uso da máquina pública por Aécio Neves e seus mais de cem voos diretos Minas-Rio, o Trensalão do PSDB paulista, o Mensalão tucano de Minas Gerais, a operação Zelotes, ou as contas secretas no HSBC na Suíça.

Movidos pela intolerância política, ou cegos pelo ódio crescente expresso por certas camadas da sociedade e parte da grande mídia, a quem pretendem representar, o certo é que esta miopia ética embaça a visão do todo e foca apenas na parte. A que lhes interessa, fique claro. A indignação seletiva esconde uma reação, quase alérgica, a tudo que represente esquerda, movimentos sociais, distribuição de renda, políticas públicas de inclusão social.

Instrumentaliza-se convenientemente o tema da corrupção, que deve ser combatida diuturnamente, para apear do poder a presidenta da República e tornar proscrito apenas um partido, criminalizando seus militantes e simpatizantes indistintamente.

Na perspectiva de Bicudo e Reale, o respeito ao devido processo legal, à democracia e a legitimidade conquistada nas urnas não representam nenhum impeditivo aos seus ímpetos, e a ilegitimidade do atual presidente da Câmara acusado de corrupção como condutor da insensata marcha do impeachment é apenas um detalhe. Na ânsia de retirar do poder a presidenta Dilma, o ex-promotor e o jurista promovem uma estranha noção de justiça – enviesada – que se levada a termo produziria na verdade uma vingança política para a parte litigante conservadora inconformada com o resultado das urnas de 2014.


Rir é o melhor remédio



quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Licença poética



Peço licença uma vez mais para entregar-lhes novas palavras simples e sutis, arrancadas do fundo do baú do meu ser e inspiradas na minha musa imaginária...


Há um rio interminável que me arrasta para ti.
Um rio calmo, quente e arrebatador.
Um rio limpo, de águas cristalinas e margens mansas.
Um rio de correnteza leve que leva todos os males.
Um rio fundo, transbordante e com uma ponte de amor no meio.

Cenas da vida inventada





terça-feira, 20 de outubro de 2015

Prefeito vai a Câmara demonstrar o cenário administrativo



Na última sessão da Câmara de Vereadores, o prefeito de Herval, Ildo Sallaberry, ocupou o espaço inicial da reunião para expor a atual situação de sua gestão administrativa.
Ao dar início à explanação, o prefeito solidarizou-se às pessoas atingidas pelas cheias dos últimos dias, agradecendo o apoio dos funcionários da Secretaria de Obras, que não mediram esforços, mesmo no final de semana e feriado, arrumando locais onde não havia trafegabilidade, possibilitando assim o fluxo de veículos.
Fazendo um levantamento geral das secretarias, Sallaberry iniciou pela Saúde, que é uma das principais pastas em qualquer administração pública, informando que a mesma está em pleno funcionamento, capacitada com profissionais competentes e veículos novos, situação esta bem diferente de quando assumiu a Prefeitura. “Hoje nós conseguimos respirar e estamos tratando muito bem a questão da saúde, que vem em uma melhora contínua”, explica o prefeito.
Quanto às obras na cidade, realizadas com recursos próprios, foi exposto à infraestrutura em calçamentos, esgotos e trabalho de drenagem. Sallaberry citou rua por rua que recebeu calçamento, ainda levando como novidade o recapeamento asfáltico e calçadas das ruas Borges de Medeiros, XV de Novembro, Guerreiro Vitória e Barão do Aceguá, obra no valor de R$ 760 mil, sendo R$ 360 mil por parte da Prefeitura. “Tivemos um grande avanço nesta área, mas pedimos desculpa aos moradores do bairro Caixa D’água pelo transtorno causado pelas obras, mas a chuva não nos permitiu ainda a conclusão”.
Ainda referindo-se as obras, a Secretaria de Planejamento e Meio Ambiente foi uma pasta que cresceu significativamente, tendo hoje dois engenheiros, um técnico em edificações, um arquiteto, um agente administrativo e um biólogo. “Todas as obras passam por este setor, que hoje está bastante organizado, com funcionários altamente competentes, sérios e desempenhando um bom trabalho, argumentou Sallaberry”.
“Precisávamos de uma local para guardar nossa história, ter um espaço adequado para abrigar um museu”, argumenta Ildo, dizendo que adquiriu um prédio antigo da cidade que hoje está reformando e transformando o mesmo em uma grande obra, da qual apresentou todas as planilhas de cálculos com os gastos no investimento. “Foi criada uma comissão para estudar, acompanhar a obra e encomendar o projeto, mas estamos conseguindo fazer, com dinheiro, planejamento, gestão e seriedade, pois queremos um Herval melhor”, diz Sallaberry.
Nas demais secretarias o prefeito também comentou a situação, informando que todas elas estão em pleno funcionamento, realizando satisfatoriamente a gestão. “Estamos sofrendo pela diminuição do FPM e ICMS, recursos estes, vindos cada vez em menor proporção aos municípios, mas estamos sabendo segurar o fluxo de caixa e por isso realizando obras.”

TEXTO: Nívea Bilhalva de Oliveira
Publicado originalmente no site da prefeitura: www.herval.rs.gov.br

Pitada filosófica



sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Mesmo com mau tempo Semana da Cultura bate recorde de público



A terceira edição da Semana da Cultura de Herval “Corrente Cultural. Vai Pegar Você”, que aconteceu de 05 a 11 de outubro, no CTG Minuano, em Herval, superou a expectativa dos organizadores do evento.
“Foi melhor que esperávamos, apesar do mau tempo”, comentou Chico dos Santos, Assessor para Políticas de Cidadania, Cultural e Artística e idealizador da Semana da Cultura. “Este já é um evento que se consolidou no município, devido a sua diversidade cultural, que vai do rap ao tradicionalismo, atingindo todos os estilos e gostos”, conclui Chico.
O público presente foi maior que nas outras edições, assim como os shows e apresentações incluíram na programação mais artistas da terra. Os alunos do interior do município também participaram das atividades, sendo levado até as escolas um ônibus adaptado para projeção de filmes.
O ponto alto do evento foi a homenagem as pessoas do município que trabalham voluntariamente em prol da comunidade, sendo entregue troféus aos mesmos.
Na sexta-feira, dia 09, quando foi aberto o Dia da Criança Feliz, com brinquedos, distribuição de pipoca e algodão doce, seguido de apresentações, o espaço do CTG Minuano ficou pequeno para receber todas as crianças, levando os organizadores a pensarem para o próximo evento a disponibilidade de um local maior.
A Semana da Cultura tem apoio financeiro do Centro de Referência de Assistência Social – CRAS e Secretaria da Saúde, através de recursos vinculados para este tipo de evento. Além do apoio também das Secretarias de Planejamento e Meio Ambiente, Cultura, Turismo, Desporto e Lazer, Educação e Projeto Ctrl – A.
Integrou a programação, todos em sua primeira edição, Mostra de Curtas, Mateada Sociocultural, Semana do Idoso, Dia da Criança Feliz, Escolha do Garoto e Garota Ctrl – A, Mais Bela Negra e Mais Bela Estudante e ainda atividade do Outubro Rosa.
Confira os vencedores dos concursos: Mais Bela Negra: Nariele Ramos Dioscar. Mais Bela Estudante Simpatia: Luana Pacheco da Costa. Mais Bela Estudante Destaque: Maria Carolina da Silveira Machado. Garota Ctrl-A: Maiara Martinez de Oliveira. Brotinho Ctrl-A: Maryen Medeiros Gonçalves. Garoto Ctrl-A: Thainan Camargo. Mais Bela Estudante: Mariangela Costa Pinto. Mais Bela Estudante Simpatia: Paola Geovana Molina Valdez e Mais Bela Estudante Destaque: Samara Costa Rodrigues.
TEXTO: Nívea Bilhalva
Publicado originalmente no site da prefeitura: www.herval.rs.gov.br

Versos del alma gautia


"Eu nunca gostei da palavra em cima do muro
Nem nunca julguei as migalhas dos meus absurdos
Ainda vou dar uma guinada nas coisas que não suporto
E vou tomar mate compadre por casa
Com a alma e o pinho no colo".




terça-feira, 13 de outubro de 2015

Licença poética



Peço licença uma vez mais para entregar-lhes novas palavras simples e sutis, arrancadas do fundo do baú do meu ser...


Depois de tantos desencontros, fugas, engodos, desenganos, farsas, carinhos sustados, truques forçados ou manjados de sedução, verdades que enganam, decepções, turbilhões, turbinas desligadas, palavras vazias, turbulências, amarguras, ilusões perdidas, trapaças...


Depois de tanto me afogar em afagos fingidos ou tacanhos; amores amargos, estranhos, secretos ou roubados; monólogos ou solidão a dois; pessoas escondidas num fundo falso; sentimentos sem sentido ou só pela metade; perdas de tempo e do compasso...


Quero só paz, olho no olho, mãos dadas, mel, pôr tudo para fora, seres explícitos, imagens que retratem a vida real ou como ela é de fato.


Quero calmaria, mar calmo e amar loucamente, entrelaçamento, desejo que não acaba com o orgasmo, amor que more em mim, morar num amor que conduza ao melhor que posso ser.


Quero, enfim, que minha alma aflita finalmente encontre onde pousar, dar asas ao coração, repousar, fazer ninho num amor intenso, imenso e sem fim.

Pitada filosófica


Herval se destaca pela gestão fiscal com apoio da Solução PRONIM



A Prefeitura de Herval vem se reinventando na questão fiscal nos últimos anos. A mudança partiu de uma reestruturação dos gastos e planejamento de novos investimentos aliado ao controle contábil da Prefeitura. Tudo isso com apoio da solução PRONIM, que ofereceu as ferramentas que os gestores necessitavam para resolver os problemas contábeis da Prefeitura.
As reestruturações vêm de anos atrás, quando o setor de contabilidade passou por uma reformulação e mudança de perspectiva. A partir de planos contábeis de prevenção, a contabilidade da Prefeitura de Herval passou a detectar as crises financeiras possíveis e contê-las antes de nascerem. Esta forma de trabalhar rendeu bons resultados para a cidade que hoje dispõe de um orçamento que permite fazer mais obras de infraestrutura mobilidade urbana.
Fabrício Falconi, Contador responsável pela Gestão Fiscal da Prefeitura de Herval, revela que este trabalho só teve sucesso graças às ferramentas que o PRONIM oferece. “Este é um sistema muito completo que oferece ferramentas e informações para pensarmos e desenvolvermos o nosso trabalho”- explica Falconi.
Falconi ressalta ainda a importância do alinhamento das pessoas, sistemas e processos. “O PRONIM é uma ferramenta que exige uma capacitação do servidor. Por isso, alinhamos os nossos profissionais a um sistema que nos supriu de informações e desenvolvemos processos capazes de nos dar os melhores resultados”- afirma Fabrício. Ele relata também que, com a disposição de informações completas e processos ágeis, a solução PRONIM concedeu mais tempo para o governo planejar o orçamento e os investimentos de cada área.
O Prefeito de Herval, Ildo Sallaberry, explica que a Prefeitura trabalha com a metodologia de fluxo de caixa e depende muito de dividendos externos, como boa parte dos municípios pequenos. Por isso, o planejamento deve ser antecipado e ter controle cuidadoso dos gastos. Para isso é importante ter uma equipe capacitada e bem suprida de informações.  Como resultado de uma boa Gestão Fiscal, Herval, em 2012, ficou em 6º lugar no ranking nacional do IRFS (Índice de Responsabilidade Fiscal, Social e de Gestão dos Municípios Brasileiros) divulgado pela CNM (Confederação Nacional de Municípios).

Do site da Governança Brasil Sul, jornalista Victor Carloto

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Momento poético



SIMULTANEIDADE

- Eu amo o mundo! Eu detesto o mundo! Eu creio em Deus! Deus é um absurdo! Eu vou me matar! Eu quero viver!
- Você é louco?
- Não, sou poeta.




(Mario Quintana)

Rir é o melhor remédio



Semana da Cultura é aberta em solenidade festiva



A cerimônia de abertura da 3.ª Semana da Cultura de Herval, que será realizada de 5 à 11 de outubro, foi aberta no CTG Minuano com a presença de autoridades, comunidade e artistas expondo seus trabalhos.
Este ano a Semana da Cultura de Herval traz como tema: Corrente Cultural. Vai pegar você. O objetivo do evento é incentivar a cultura na comunidade, promover a qualidade de vida e inclusão através da arte.
A realização do mesmo é a cargo da Prefeitura Municipal de Herval, através das Secretarias de Assistência Social; Cultura, Turismo, Desporto e Lazer; Educação; Planejamento e Meio Ambiente e Saúde, da Assessoria para Políticas de Cidadania, Cultural e Artística e Projeto Ctrl – A, sob responsabilidade de Chico dos Santos.
A coordenação da Semana da Cultura de Herval está a cargo da Casa das Oficinas, projeto este que visa à inclusão social, artística e cultural, através de oficinas permanentes ministradas por profissionais habilitados e reconhecidos.
Apoiam o evento as seguintes instituições: Erva Mate Portão; Instituto Estadual de Educação São João Batista; Escola Municipal Padre Libório Poersch;  Polo de Educação Infantil Kelvin Vieira Sakai; Escola Municipal Carolina Anália Morais Sais; Escola Municipal Ernesto Che Guevara; Escola Estadual Corintho Ávila Escobar; Escola Municipal Luiz Lima de Faria; Escola Municipal Manoel Lima; ONG Anjos e Querubins; Lumilan Noda; Loira Eventos e APAE.

TEXTO: Nívea Bilhalva de Oliveira
Publicado originalmente no site da prefeitura: www.herval.rs.gov.br

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Música para os meus ouvidos


Como canta Baleiro: “É mais fácil cultuar os mortos que os vivos/Mais fácil viver de sombras que de sóis/Mais fácil mimeografar o passado que imprimir o futuro (...) mesmo que não venha o trem não posso parar”.

A vida é muito mais que um punhado ou amontoado de ilusões e o erro alheio nunca me serviu de escudo, motivo ou justificativa para os meus próprios erros. Aliás, o maior erro, de fato, é abrir as portas, dar corda ou asas para pessoas erradas. Ou pelo menos erradas para ficarem em nossas vidas um tempo além do necessário.



Altas conexões



terça-feira, 6 de outubro de 2015

Licença poética



Peço licença uma vez mais para entregar-lhes novas palavras simples e sutis, arrancadas do fundo do baú do meu ser...


Quero viver cada vez mais e melhor,

amar sem tramas, sem limites, sem medidas, sem muros, sem máscaras, sem pudores, sem grilos, sem grilhões, sem sombras, sem sustos, sem decepções.

Quero molhar até os imos da alma,

mergulhar nas águas do mar, navegar novos e verdadeiros amores, inundar o riso e os rios interiores, afogar os medos e feridas, sentir sede e depois saciar.


Quero voar ao mais alto de mim,


criar asas, partir em revoada, plainar em pleno vôo, aterrissar no céu, soltar o ar preso nos pulmões, saltar de pára-quedas e beijar o solo até meu corpo levitar.

Cenas da vida inventada


"A vida imita o vídeo" e nunca falta quem esvazie seu sentido humano para manter a máscara ou sustentar verdades inventadas, o que só revela sua verdadeira face. Humano é carne, mas antes de tudo não ter medo de encarar sua cara no espelho, não valorizar tão somente o imediato, sempre ir além da matéria e não sucumbir diante de tudo que mata a vida, a verdadeira.



segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Ato político


Henrique Fontana sempre acerta o alvo e, nesse caso, mostra a máscara ou os tentáculos que se escondem por trás do "boneco"...


O boneco e a intolerância, por Henrique Fontana


Se o boneco inflável da oposição nada tem por dentro, por fora simboliza bem o discurso do ódio, da condenação prévia, do preconceito, da criminalização da esquerda, da intolerância. Em um editorial, dedicado ao boneco, a Folha de São Paulo chega afirmar que “mesmo que nada esteja provado contra Lula, o boneco vestido de presidiário sintetiza a ojeriza que seu partido desperta”.
Estranha que a mesma ojeriza não se destine também a outros partidos e empresas igualmente citadas em investigações. Nem mesmo apareçam nos cartazes de manifestações organizadas pelos responsáveis do boneco, bem como, pouco se fale ou critique escândalos de corrupção, como o Trensalão tucano de São Paulo, o mensalão do PSDB mineiro, a Zelotes, ou as contas secretas no HSBC na suíça.
Na indignação seletiva de alguns, interessa que apenas um partido, um governo, uma liderança, uma corrente política, sejam apontados e condenados publicamente. Para além da correta condenação dos que são comprovadamente culpados de corrupção, determinados segmentos da sociedade tentam se utilizar deste tema para promover a criminalização, o julgamento sumário e a condenação de grupamentos humanos por sua posição ideológica, que bem poderia ser por raça, etnia, sexualidade ou credo. O que nos faz lembrar o período sombrio da ditadura brasileira e um dos piores momentos da história da humanidade: o nazismo e o fascismo do século XX.
Em meio à onda de intolerância, alimentada por alguns segmentos políticos e parte da grande mídia, assistimos a escalada do ódio em episódios supostamente isolados, como agressões a ministros e membros do governo nas ruas e em restaurantes, blog de ex-candidato do PSDB ameaçando de morte a Presidenta, e até pedidos de intervenção militar.
Na esteira desta insanidade, avança a pauta conservadora na Câmara, com terceirização das atividades fins, redução da maioridade penal, financiamento empresarial para partidos. Se os responsáveis pelo boneco guardassem qualquer coerência deveriam primeiro confeccionar os bonecos de tantos de seus dirigentes partidários que, diferente do ex-presidente Lula, estão denunciados pelo Ministério Público Federal.
Uma das nossas grandes conquistas é o Estado Democrático de Direito, a garantia de julgamentos justos, não de tribunais de exceção. Infelizmente, aqui está se criando uma nova modalidade de justiça e sentença. Transforma-se em presidiário alguém que não cometeu nenhum crime, não foi sequer denunciado, julgado e muito menos condenado. O maior crime de Lula, para estes, é ter contrariado interesses até então dominantes. Em algumas destas manifestações, ao que parece, Lula é culpado de ter priorizado enfrentar a extrema pobreza em que viviam milhões de brasileiros, e ter promovido o maior processo de distribuição de renda, ainda insuficiente. Um crime imperdoável.
Os principais meios de comunicação do país, assim como dirigentes da oposição, tem responsabilidade em estabelecer limites, e não permitir que a crítica, legitima e necessária, rompa as fronteiras da democracia, levando o Brasil a um ambiente de golpismo e convulsão social.

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Autorretrato


Quando aprendemos a enxergar por trás das máscaras, tudo fica mais claro. Claro, imundo, mundano, insano, desalentador. Será que a humanidade ainda tem cura? Será que não sou só mais um morto entre tantos outros?

Momento poético




“Paulo tinha fama de mentiroso. Um dia chegou em casa dizendo que vira no campo dois dragões da independência cuspindo fogo e lendo fotonovelas. A mãe botou-o de castigo, mas na semana seguinte ele veio contando que caíra no pátio da escola um pedaço de lua. Desta vez Paulo não só ficou sem sobremesa, como foi proibido de jogar futebol durante quinze dias.
Quando o menino voltou falando que todas as borboletas da Terra passaram pela chácara de Siá Elpídia e queriam formar um tapete voador para transportá-lo ao sétimo céu, a mãe decidiu levá-lo ao médico. Após o exame, o Dr. Epaminondas abanou a cabeça:
– Não há nada a fazer, Dona Colo. Este menino é mesmo um caso de poesia.”

(Fonte: ANDRADE, Carlos Drummond de. A incapacidade de ser verdadeiro. Em: Poesia e prosa. Rio de janeiro: Nova Aguilar, 1988.)

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Rir é o melhor remédio



Debaixo do sol tudo tem seu tempo



“Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.
Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou;
Tempo de matar, e tempo de curar; tempo de derrubar, e tempo de edificar;
Tempo de chorar, e tempo de rir; tempo de prantear, e tempo de dançar;
Tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar, e tempo de afastar-se de abraçar;
Tempo de buscar, e tempo de perder; tempo de guardar, e tempo de lançar fora;
Tempo de rasgar, e tempo de coser; tempo de estar calado, e tempo de falar;
Tempo de amar, e tempo de odiar; tempo de guerra, e tempo de paz”.

(Eclesiastes 3:1-8)

Seguidores