O Blog busca retratar coisas da vida interiorana e do meu interior, numa abordagem que mistura reflexão, notícias, riso, poesia, musicalidade, transcedentalidade e outras cositas más. Tudo feito com produções próprias, mas também com a reprodução do pensar ou do sentir dos grandes gênios que o país e a humanidade pariram.

domingo, 31 de maio de 2015

Momento poético





SUGESTÃO

Sede assim — qualquer coisa
serena, isenta, fiel.

Flor que se cumpre,
sem pergunta.

Onda que se esforça,
por exercício desinteressado.

Lua que envolve igualmente
os noivos abraçados
e os soldados já frios.

Também como este ar da noite:
sussurrante de silêncios,
cheio de nascimentos e pétalas.

Igual à pedra detida,
sustentando seu demorado destino.
E à nuvem, leve e bela,
vivendo de nunca chegar a ser.

À cigarra, queimando-se em música,
ao camelo que mastiga sua longa solidão,
ao pássaro que procura o fim do mundo,
ao boi que vai com inocência para a morte.

Sede assim qualquer coisa
serena, isenta, fiel.

Não como o resto dos homens.


Cecília Meireles, in 'Mar Absoluto'

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Secretaria do Meio Ambiente e Azonasul promovem audiência sobre resíduos sólidos



A Prefeitura de Herval, através da Secretaria de Planejamento, Projetos e Meio Ambiente, juntamente com a Associação dos Municípios da Zona Sul (Azonasul) promoveram no dia 26 de maio, audiência pública para apresentação do diagnóstico do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos. A atividade ocorreu na Câmara de Vereadores, sob a coordenação do grupo técnico regional, liderado pela Associação, que tem como missão formatar os projetos municipais.
Segundo a coordenadora do grupo, Natali Santos, Química Ambiental de Morro Redondo, a criação do Plano Municipal é uma das exigências da Política Nacional de Resíduos Sólidos, sancionada em 2010.  O objetivo é que o documento facilite o trabalho dos gestores municipais no futuro, pois deve servir de base para ações de curto, médio e longo prazos. A elaboração do plano, segundo ela, é um pré-requisito para que os municípios brasileiros possam acessar recursos federais destinados a empreendimentos e serviços relacionados à limpeza urbana e ao manejo de resíduos sólidos. “A audiência pública serve para apresentar a primeira parte do trabalho, que é de extrema relevância, uma vez que a população conhecerá as políticas adotadas atualmente para a gestão do lixo e poderá debater novas ações”, alertou.
Conforme o secretário de Herval, Toninho Veleda, desde o advento da lei que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos, o município buscou a parceria com a Azonasul para realizar o projeto, tendo em vista as limitações técnicas e de recursos em nível municipal para dar conta dessa tarefa.
De acordo com o engenheiro agrônomo Jorge da Rosa, que na oportunidade também representou a direção da Azonasul, o trabalho da comissão vem sendo realizado desde o ano passado e alguns avanços já foram sentidos. A expectativa, conforme argumentou, é de que se consiga cumprir os prazos e exigências legais e evitar problemas junto aos órgãos ambientais do governo federal e Ministério Público Federal.
SITUAÇÃO – Em função da obrigatoriedade do Plano, todas as prefeituras da Zona Sul estão empenhadas no levantamento de dados e na execução do trabalho.  Algumas realizam as tarefas individualmente, contando com os funcionários do quadro municipal. Porém o grupo da Azonasul é formado por dez cidades: Arroio do Padre; Cerrito; Chuí; Morro Redondo; Pedras Altas; Pedro Osório; Herval; Jaguarão; São Lourenço do Sul e Turuçu. Amaral Ferrador e Canguçu já conseguiram concluir seus planos municipais.

Texto: Nívea Bilhalva de Oliveira
Publicado originalmente no site da prefeitura: www.herval.rs.gov.br

Versos del alma gautia



Comunidades atingidas pela estiagem recebem caixas d´água e alimentos



Como forma de amenizar a falta de água que atinge a comunidade rural do município, a Defesa Civil do Estado, disponibilizou a secretaria de Agropecuária e Desenvolvimento de Herval, cem caixas de armazenamento de água. Também foi garantido pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) a liberação de cerca de mil cestas básicas de alimentos, sendo entregues as pessoas carentes das localidades mais atingidas pela estiagem.
De acordo com o secretário Fernando Silveira, as caixas foram distribuídas as comunidades do Bamburral, Querência I e II, XV de Novembro, Tamoyo, Terra do Sol, Fazenda Nova e Basílio, baseado no cadastro já existente na Secretaria de Assistência Social.
Conforme os dados do relatório feito pela prefeitura de Herval, além do prejuízo causado pela queda na produção de soja, milho e leite, cerca de 400 famílias do meio rural estão sem água para consumo humano e animal.
Para o secretário a doação de alimentos e as caixas d´água não vão resolver totalmente a crise pela qual as famílias estão passando, mas ameniza a situação de muitos agricultores.

Texto: Nívea Bilhalva de Oliveira
Publicado originalmente no site da prefeitura: www.herval.rs.gov.br

segunda-feira, 25 de maio de 2015

SDR recebe municípios para tratar do Água Para Todos



Atendendo pedido do deputado federal Dionilso Marcon (PT), prefeitos, vice-prefeitos, secretários e lideranças de cerca de 40 municípios gaúchos foram recebidos na última segunda-feira, 18, pelo Secretário de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR), Tarcísio Minetto, em Porto Alegre, para tratar da continuidade do Programa Água Para Todos.

O programa atenderá 117 comunidades, entre assentamentos, quilombolas, indígenas e pequenos agricultores gaúchos. O governo federal investiu 38 milhões no programa Água Para Todos, desse total, mais de 14 milhões já foram pagos, faltando o restante do repasse.

De acordo com o deputado Marcon, mais de 10 municípios da região Sul já decretaram situação de emergência devido às secas que assolam a região nos últimos meses, e por isso a importância da continuidade do projeto. “Nosso meio rural está sofrendo com falta de água, que é primordial no meio rural. Sem água as pessoas não conseguem sobreviver no campo,” afirmou o parlamentar.

Ainda segundo Marcon, os municípios gaúchos precisam de políticas públicas que venham de encontro às suas necessidades, pois os agricultores não têm recursos para construir poços artesianos.

Em Herval, o programa contempla os assentamentos Nova Herval, Santa Rita de Cássia (XV de Outubro) e Bamburral. De acordo com informações repassadas durante a reunião com o secretário Minetto, o município está entre aqueles no qual o investimento se encontra mais adiantado, uma vez que as obras já tiveram início nos assentamentos Nova Herval e XV de Outubro, sendo que neste último o andamento das obras atrasou, pois a empresa contratada pelo estado utilizou parte dos materiais que não constam nas especificações técnicas do projeto, o que obrigou a SDR a exigir a substituição desse material.

No assentamento Bamburral, as obras de instalação de redes de abastecimento de água não tiveram início, pois o poço artesiano perfurado deu improdutivo, ou seja, não produziu água. Situação que exige um novo trabalho de perfuração, o que precisa ser precedido da respectiva orientação e supervisão de um geólogo e dos trâmites burocráticos para tal finalidade.

Na oportunidade, o vice-prefeito Luiz Alberto Perdomo (Bebeto), além de cobrar a continuidade da execução desse importante projeto, reiterou o pedido já encaminhado no início desse ano, o qual pede que a SDR faça a boa gestão desse investimento e adote as medidas necessárias para qualificar os sistemas já existentes nos assentamentos, providenciando a instalação das redes de energia elétrica junto aos poços artesianos, a construção de rede de água entre o poço e o chafariz no assentamento Nova Herval, além da substituição das caixas d’água anteriormente instaladas nos assentamentos XV de Outrubro e Nova Herval.


Audiência no Ministério da Integração Nacional


Em função da reunião realizada em Porto Alegre e atendendo a solicitação das lideranças e autoridades dos municípios que estiveram na capital no início da semana, nesta quarta-feira, 20, o parlamentar reuniu-se com o secretário de Segurança Hídrica do Ministério da Integração Nacional, Osvaldo Garcia e o Secretário de Desenvolvimento Rural e Cooperativismo do RS, Tarcísio Minetto, para tratar da liberação do restante do valor previsto no convênio.

Na ocasião, Garcia garantiu a continuidade do programa, que, segundo ele, também dependerá de informações técnicas que devem ser enviadas pelo governo do Estado.


Texto: assessoria de imprensa do deputado marcon com complementos de Toninho Veleda
Publicação original no site: http://www.deputadomarcon.com.br/noticias/9-noticias/183-sdr-agua-para-todos

Pitada filosófica



Música para os meus ouvidos


Tem dias ou momentos que a solidão é nossa melhor companhia. Para mim, o direito de estar só de vez em quando é um direito tão sagrado que deveria estar inscrito e assegurado pela Constituição do País. 

Brincadeiras à parte, o fato é que música boa não tem dia, hora, lugar ou independe de companhia. E por falar em música boa, que tal ouvir o som "muito massa" e pra lá de bom do Lenine?



sábado, 23 de maio de 2015

Prefeituras se reunem com Funasa para discutir paralisação das obras de abastecimento de água



Atendendo pedido do deputado federal Dionilso Marcon (PT), o Superintendente da Funasa no RS, Gustavo de Mello, recebeu na última segunda-feira (18), representantes de várias prefeituras para discutir a paralisação, atraso e pendências nas obras de instalação de sistemas de abastecimento de água em diversos assentamentos rurais do estado. A prefeitura de Herval, que realiza obras dessa natureza nos assentamentos São Virgílio, Cerro Azul e Santa Rita III, estava representada na reunião pelo vice-prefeito Luiz Alberto Perdomo (Bebeto) e pelo secretário de planejamento e meio ambiente, Toninho Veleda. 

Na oportunidade, constatou-se que o principal motivo para a paralisação ou atraso das obras não é a demora dos pagamentos pela Funasa, como alegam as empresas contratadas, e sim os problemas de caixa ou administrativos das próprias empresas construtoras, tendo em vista que os contratos firmados por essas empresas com as prefeituras ou o governo do estado, responsáveis pela execução dos convênios, não vinculam o andamento das obras aos repasses das parcelas oriundos do governo federal. Ou seja, independentemente da disponibilidade dos recursos correspondentes aos convênios, as empresas assumiram o compromisso de realizar as obras contratadas dentro dos prazos estipulados. 

Segundo Gustavo de Mello, "diferentemente dos contratos de repasse que envolvem a participação de instituições financeiras, os convênios da Funasa oferecem um aporte de recursos anterior ao início das obras, que varia entre 40% e 50% do valor total dos convênios, o que deveria permitir às empresas contratadas um bom fôlego em termos de execução das obras pelas quais assumiram o compromisso e a responsabilidade de realizar. Acontece que existem poucas empresas no mercado habilitadas e capacitadas para a execução de obras de instalação de sistemas de abastecimento de água na zona rural, situação que leva uma mesma empresa a assumir várias obras ao mesmo tempo, muitas vezes sem ter a capacidade estrutural ou financeira para tal", argumentou. 

"Atualmente, praticamente apenas duas empresas venceram os processos licitatórios para realizar as obras de abastecimento de água vinculadas à Funasa do RS, o que significa um montante superior a R$ 20 milhões. Além disso, no caso da empresa J.R. Pereira (responsável pelas obras em Herval), o problema maior hoje é a própria empresa, uma vez que a mesma perdeu a possibilidade de obter as certidões negativas de débitos exigidas, situação que vem impedindo essa empresa de receber verbas públicas até a regularização da sua situação. Isto é, mesmo que os recursos estejam depositados, a J.R Pereira nesse momento não pode receber pagamentos pelas obras que executa, pois se encontra inadimplente com a receita federal e o INSS, conforme informações repassadas pelas próprias prefeituras", completou o Superintendente da Funasa. 

Na reunião, constatou-se também que Herval é o município que se encontra em melhor situação em relação as obras de abastecimento de água, uma vez que elas se encontram em fase final de execução, faltando apenas a colocação das bombas de água e a finalização do trabalho de instalação das redes, enquanto que nos outros municípios as obras estão bem mais atrasadas ou sequer tiveram início. 

Por sugestão do deputado Dionilso Marcon, ficou acertada uma nova reunião convocada pelo Cideja - consórcio que engloba os municípios de Candiota, Hulha Negra, Herval, Pedras Altas, Piratini, Aceguá e Pinheiro Machado -, a ser realizada na cidade de Bagé no próximo dia 8 de junho, oportunidade na qual se pretende reunir as prefeituras que firmaram contrato com a J.R. Pereira, representante da empresa e o comando da Funasa, na intenção de encontrar uma alternativa para a conclusão das obras iniciadas. 

De acordo com o vice-prefeito, Bebeto, "mesmo estando em melhores condições que os demais municípios, ainda estamos distantes de atingir o objetivo e o compromisso da administração de Herval, que é a conclusão e a entrega dessas obras às comunidades beneficiárias. Infelizmente, a solução desse impasse não depende apenas da boa-vontade e da ação da prefeitura. No entanto, não vamos jogar a toalha e iremos avaliar junto com o prefeito Ildo Sallaberry como proceder para chegarmos ao melhor e mais rápido desfecho para essa situação e poder concluir essa iniciativa tão aguardada e importante, num município que sofre nesse momento os efeitos de uma das mais violentas estiagens de sua história".

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Licença poética



Peço licença uma vez mais para entregar-lhes novas palavras simples e sutis, arrancadas do fundo do baú do meu ser e inspiradas em minha musa imaginária...


Em cada boca persigo o vermelho dos teus lábios e o azul do céu do teu pecado.

Em cada caminhar tateio teus passos e os pedaços do teu bom caminho.


Em cada gesto busco a delicadeza da tua pele e os botões que desabrocham de tua blusa.

Em cada sono sonho te encontrar e compartilhar os golpes e gostosuras e voltas que a vida dá.


Em cada canção escuto o som suave da tua voz e as batidas perfeitas que palpitam em teu peito.

Em cada verso tento acariciar tua alma e fisgar teu coração.


Em cada esquina procuro as curvas do teu corpo de mulher e teu riso de menina.

Em cada canto cato o encanto do teu ser e o fogo infindo do teu cio.


Em cada flor farejo teu perfume e o mel do amor que tens para dar.

Em cada luar enxergo tua luz e o brilho do teu olhar.


Em cada ar que respiro sorvo tua inspiração e a sabedoria dos pensamentos que deixas no ar.

Em cada amanhecer peço que a vida me coloque todos os dias na frequência da tua sintonia.


Viva a mudança!




terça-feira, 19 de maio de 2015

Pensar é preciso


Mesmo com atraso, compartilho um artigo inteligente, sucinto e explendido sobre o vigor de Lula e do lulismo e o começo da derrocada da turma dos sem noção ou fanáticos pelo poder que, a pretexto e na sede de atacar o atual governo, acabam jogando contra o país, fazendo de conta que as conquistas dos últimos anos não aconteceram, apostando todas as fichas na mentira deslavada de que o PT inventou e se alimenta da corrupção, insistindo na tese insana de que as dificuldades que o Brasil enfrenta atualmente na economia não tem nada a ver com a crise econômica que abala o mundo desde 2008, além de destruir os traços de civilidade que a boa política requer e precisa ter.   


Lula deu uma surra no Panelaço

A direita não deve ter ficado muito feliz na noite passada. Porque o fato é: Lula surrou o Panelaço. Aconteceu com o Panelaço o mesmo que ocorrera com o Protesto de 12 de abril: murchou, pifou, depois de uma primeira edição surpreendentemente bem sucedida.

O duplo fracasso – do Panelaço e do Protesto – trai uma verdade doída para os interessados na derrubada de Dilma: seu momento passou.

Passou primeiro porque é simplesmente uma estupidez querer cassar 54 milhões de votos sob pretextos cínicos, falsos e vis.

Segundo porque o governo Dilma e o PT retomaram a iniciativa. Ficou claro, por exemplo, que ao contrário do que a imprensa vinha tentando propagar os problemas econômicos do país não são exclusividade nacional. Fazem parte de um drama mundial.

Foi grande o esforço dos comentaristas das corporações de mídia em levar os inocentes a crer que o dólar alto era um fenômeno apenas do Brasil. Mentira. Houve também uma mobilização conservadora para retratar uma Petrobras aos pedaços.

Outra mentira. As ações da Petrobras não param de subir, e investimentos bilionários na empresa feitos pela China e pela Shell mostram que a mídia brasileira definitivamente não é levada a sério fora do seu quadrado de atuação.

E então chegamos a Lula, a grande estrela do programa do PT que foi ao ar ontem em rede nacional. Para desespero da oposição, Lula demonstrou que é o Lula de sempre. Não apenas exibe vigor físico como continua a dominar a arte de falar e convencer.

É um caso único de poder de retórica no universo político brasileiro. Lula reúne simplicidade e profundidade em seu discurso, e transmite sinceridade mesmo quando fala alguma bobagem.

Comparemos. Aécio fala com pedantismo, com ares de político da Velha República, um Tancredo com implante de cabelo e dentes artificialmente brancos. FHC é aquele professor que repete a mesma coisa há meio século, e que ninguém aguenta mais escutar. Alckmin é uma mistura de Frontal com Dormonid.

E Dilma pensa melhor que fala, muito melhor. Usa frases longas e repete expressões que acabam com qualquer estilo. (Acredito que etc etc, por exemplo). Dilma poderia – deveria – ter treinado a arte de falar em público, mas é preciso reconhecer que mesmo com todas as suas limitações neste terreno ela não teve maiores problemas em lidar com Serra e Aécio.

As circunstâncias precipitaram os debates sobre 2018, e Lula aparentemente leva muita vantagem sobre seus eventuais oponentes. A direita talvez se preocupe com o tom incisivo de Lula nos últimos tempos, mas não há razões para pânico.

Lula está mobilizando a militância do PT com seu discurso ligeiramente radicalizado, o mesmo grupo que provavelmente o levará ao Planalto em 2018. Depois, seu espírito conciliador, de sindicalista acostumado a negociar, prevalecerá.

Num país tão polarizado, tão dividido, tão cheio de ódio, um conciliador pode devolver o sentimento perdido de unidade. Até por isso Lula sobra, desde já, para 2018.


Paulo Nogueira é jornalista, diretor de Redação do site Diário do Centro do Mundo.
Publicado originalmente em: http://correiodobrasil.com.br/noticias/politica/lula-deu-uma-surra-no-panelaco/760628/

Momento poético



sexta-feira, 15 de maio de 2015

Representantes da prefeitura participam de encontro na escola Corintho


 
Atendendo convite da direção da escola estadual Corintho Ávila Escobar, situada na Vila Basílio, na última quarta-feira, 13, o secretário de planejamento e meio ambiente, Toninho Veleda, participou de encontro com alunos e professores de três turmas da referida instituição de ensino.

Segundo Jorge Mattos, professor de uma das turmas, como o currículo escolar determina que os alunos precisam conhecer melhor o entorno da escola e também a realidade social, econômica, política e administrativa em termos locais e global, cada turma de alunos vem desenvolvendo uma pesquisa que envolve a busca de dados e informações sobre a localidade do Basílio, sobre o Brasil e sobre questões e projetos relativos a administração pública de Herval e Piratini, município que também mantém alunos nessa escola. 


Após escutar um breve relato dos alunos acerca de cada tema pesquisado, o secretário Toninho falou sobre as relações federativas entre União, Estados e Municípios e os canais, procedimentos administrativos e obrigações legais e fiscais que as administrações municipais precisam cumprir para se habilitar a captar investimentos, na forma de transferências voluntárias, junto aos governos federal e estadual.

Ele também argumentou que diferentemente do passado, no qual nosso município perdeu milhões em investimentos federais, desde o início do governo do prefeito Ildo Sallaberry, Herval não apresenta nenhuma pendência que impeça a prefeitura de acessar projetos ou receber recursos de convênios ou contratos de repasses oriundos da União ou do governo estadual. Em seguida, o secretário apresentou a relação dos investimentos realizados no município a partir de 2009, com origem em repasses de verbas federais e estaduais, que já somam mais de R$ 7 milhões, contando apenas os investimentos concluídos e sem considerar as contrapartidas financeiras, as obras previstas ou em andamento.

Na sequência, os professores e alunos apresentaram questionamentos que foram além do tema proposto e acabaram abrangendo dúvidas ou esclarecimentos de assuntos relacionados a demandas da escola e da Vila Basílio.
Na ocasião, o secretário Toninho estava acompanhado da coordenadora de projetos da prefeitura, Cristiane D’ Ávila e do assessor para políticas de cidadania cultural e artística, Chico dos Santos, que também apresentou suas considerações e respondeu perguntas sobre as ações da administração nas áreas da cultura, arte, turismo, esporte e lazer.
Por fim, os representantes da administração municipal elogiaram a iniciativa, agradeceram a oportunidade do encontro e avaliaram a reunião como proveitosa, no sentido de escutar os anseios e colaborar na ampliação do conhecimento desses estudantes sobre questões relacionadas à esfera pública.

Nem só de pão viverá o homem



Rir é o melhor remédio



sexta-feira, 8 de maio de 2015

Nutrição e qualidade do leite são debatidas em seminário



O CTG Minuano de Herval, nesta quinta-feira (07), foi sede do quarto Seminário da Bacia Leiteira, evento promovido pela administração municipal, através da Secretaria de Agropecuária e Desenvolvimento, em parceria com a Emater e Farsul.
Em seu pronunciamento, o prefeito Ildo Sallaberry ressaltou: “Sabemos que o leite é a grande saída para os produtores de Herval e é através dos seminários que poderemos estudar maneiras de amenizar os problemas enfrentados na produção”.
Já o secretário Fernando Silveira, organizador do evento, disse que a realização do Seminário do Leite é para os produtores aproveitarem a data e ainda utilizar as técnicas ensinadas ainda neste inverno.
Nas palestras, ministradas pelos médicos veterinários da Emater, Mara Helena Saalfeld e Hector Diaz, foi debatida a qualidade do leite, abordando fatores que afetam na produção e a associação da alimentação das vacas à base de pasto, para ter um produto com qualidade. “Temos que obter o leite de forma higiênica, com qualidade, muitas vezes não importando a quantidade”, falou Maria Helena, que é mestre em reprodução animal e doutora em biotecnologia. O palestrante chamou a atenção dos participantes para a produção de leite a partir de vacas alimentadas a base de pasto, com uma nutrição voltada para reprodução, independente da raça dos animais.
Após as palestras e almoço, as atividades prosseguiram em tarde de campo, na propriedade de Nésio Assis Vitória, localizada nos Cerros de Herval.
Texto e fotos: jornalista Nívea Bilhalva de Oliveira

Ato político


Para muitos esquerda e direita deixaram de existir há muito tempo. Para mim, esquerda e direita continuam a existir e seguirão vivas por muito tempo, quiçá, por todo o tempo que existir homens e mulheres sobre a terra.
O que contesto e não engulo é o conceito clássico de esquerda e direita, aquele que defende ou propugna pela esquerda a estatização completa e pela direita o domínio absoluto e indiscutível do "deus" mercado. Penso que existe vida, saídas e muito mais coisas entre tais conceitos arcaicos e cristalizados do que a vã filosofia ou pensamento político possam imaginar!
O mundo mudou e está em permanente mudança, para o bem ou para o mal. Desta forma, o conceito e o conflito entre esquerda e direita precisa ser visto no contexto e na configuração atual, e não meramente repetindo jargões ou invocando velhas fórmulas do passado que não nos servem mais ou nunca serviram. Até porque a política, o desenrolar da dinâmica econômica e da organização da vida social não podem nem nunca puderam ser reduzidos a um grito de ordem ou a mera aritmética ou geometria. 
Esquerda e direita existem e precisam ser vistos e entendidos no tempo, no espaço atual, além de considerar as peculiaridades da esfera local, num mundo globalidado, sim senhor, mas que segue rico e ávido da vida produzida localmente, inclusive no aspecto político e ideológico.
O escrito de Emir Sader, por óbvio, não se limita a nenhuma fronteira geográfica, possui um caráter ou alcance universal em relação ao tema que aborda. No entanto, como ele cita os desafios da esquerda frente ao poder ainda hegemônico do neoliberalismo (que em termos políticos nada mais é que a radicalização ou a chegada ao paraíso desde sempre sonhado pela direita), considero importante a ressalva de que sim, esquerda e direita existem, porém especialmente quem assume posições de esquerda precisa ter claro o que isso significa em termos históricos e quais são as bandeiras da esquerda hoje, num mundo polarizado entre riqueza e miséria, belicistas e pacificas, consumidores e humanistas, especulação financeira e a produção de riquezas pelo trabalho... 

“E quando, finalmente, a esquerda chegou ao governo, tinha perdido a batalha das ideias.”A afirmação de Perry Anderson sintetiza o maior desafio para os que queremos superar e substituir o neoliberalismo em todas suas dimensões.

Significa que o neoliberalismo fracassou como proposta econômica, o que abre a possibilidade para que a esquerda apareça como alternativa de governo. Quando chega ao governo, tem que enfrentar toda a herança maldita do neoliberalismo: recesso, enfraquecimento do Estado, desindustrialização, fragmentação social, entre outras coisas.
Mas, além disso, tem que enfrentar o elemento de maior força do neoliberalismo, a nível de cada pais, mas também a nível internacional: sua força ideológica, a força do “modo de vida norte-americano”, que impõe sua hegemonia de forma quase inquestionada em escala global.
O estilo de consumo shopping center se globalizou de maneira aparentemente avassaladora. É uma espécie de ponta de lança do neoliberalismo, materializando seu principio geral, de que tudo é mercadoria, tudo tem preço, tudo se vende, tudo se compra. Por isso o shopping center é o exemplo mais claro do que se convencionou chamar de “não lugares”.
O shopping costuma não ter nem janela, nem relógio. Entrar em um desses espaços é se desvincular das condições de vida nas cidades como efetivamente existem, para se articular com a rede de consumo globalizada, mediante as marcas e seu estilo de consumo. Com o conjunto de “vantagens” que traz o shopping center -  proteção do mal tempo, do roubo, com lugar para estacionar, com grande quantidade de cinemas, de lugares para comer, além da diversidade de marcas, todas globalizadas – representa um instrumento poderoso de formas de vida, de sociabilidade, construídas em torno do consumo e dos consumidores.
O shopping center é a utopia neoliberal e expressa, da forma mais acabada – junto com a publicidade, as marcas, a televisão e o cinema norte-americanos, entre outros instrumentos – a hegemonia do modo de vida norteamericano. Lugar que ocupa praticamente sem questionamentos, salvo resistências do islamismo ou dos evangélicos.
A luta antineoliberal conseguiu impor consensos no plano econômico contra a centralidade do mercado, a favor da prioridade das políticas sociais, por exemplo. Mas não gerou ainda valores, formas de sociabilidade, alternativas ao neoliberalismo e a seu mundo de valores mercantilizados. É certo que há mecanismos monstruosos de promoção dos valores neoliberais, mas também é certo que não temos valores alternativos – solidários, humanistas – que apareçam como alternativas.
As políticas sociais dos governos pós-neoliberais têm um caráter solidário e humanista, mas não fomos capazes de traduzi-las em formas de sociabilidade, em valores, alternativos ao egoísmo consumista do neoliberalismo.
Não se pode simplesmente incorporar propostas anti-consumistas, em sociedade em que o acesso ao consumo é uma conquista para a grande maioria da população. Acesso que traz, junto, as vantagens do consumo e, por extensão, promove o mundo do consumo – incluído o shopping center – como um objetivo de vida. Assim, não se trata de uma batalha simples. Mas é indispensável para a construção de um mundo solidário e humanista.
Sem a critica do egoísmo consumista dominante, da falta de solidariedade – especialmente com os mais frágeis -, não conseguiremos avançar contra a forte hegemonia ideológica do neoliberalismo e ganhar a decisiva batalha das ideias, decisiva nos enfrentamentos centrais do mundo de hoje.

quarta-feira, 6 de maio de 2015

Música para os meus ouvidos


Música boa - não importa a voz ou ritmo -, tem um valor enorme, sempre toca meus ouvidos e pede passagem em meu coração...



Licença poética



Peço licença outra vez para entregar-lhes novas palavras simples e sutis, arrancadas do fundo do baú do meu ser e inspiradas em minha musa imaginária...

Olho a lua e penso em ti, meu pão-de-ló.
Miro o mar, amor meu, e lembro-me dos nossos melhores momentos, da tua sede de amar, da calma do teu olhar.
Observo o céu, amada, e recordo teu corpo nu e aceso, cheio de luz
e de amor para dar.

Teu riso rima com rio e inunda meus dias de poesia.
Teu jeito desperta meus desejos mais loucos.
Teu corpo de violão invade e aumenta a batida do meu coração.

Provar teu beijo é meu maior desejo.
A vontade de te ver é tanta que dá nó na garganta.
O ímpeto de tocar tua pele morena é maior que ganhar
na mega sena.

Te quero em meus braços para cobrir de beijos, abraços e amassos.

Te quero em minha cama para despertar teu calor, arrancar
muitos gemidos e provocar múltiplos orgasmos.

Te quero em minha vida para saborear sóis, geadas ou o que vier,
de alma leve e mãos dadas e corações entrelaçados.

segunda-feira, 4 de maio de 2015

A prefeitura realiza e os hervalenses se realizam



Num momento em que o governo federal promove ajustes na economia e o governo do estado, com a desculpa da crise, praticamente fechou o RS para balanço, a administração municipal realiza o maior volume de obras e investimentos em infraestrutura já executados, ao mesmo tempo, na história de Herval. Desta forma, além da importância dessas obras em si, o cenário ruim em nível estadual e nacional contribui para valorizar ainda mais as iniciativas e revelar o acerto na condução da máquina pública no âmbito local. Além disso, os investimentos realizados, em curso ou prestes a iniciar, não acontecem apenas com verbas oriundas de repasses, uma vez que a prefeitura aporta contrapartidas financeiras pesadas ou executa obras exclusivamente com recursos próprios.

Recentemente foi concluído o calçamento da rua Silva Tavares, num investimento de cerca de R$ 160 mil, com recursos próprios. Há poucos dias, concluiu-se também a obra de pavimentação da rua Dr. Ferreira, sendo que um trecho da mencionada rua foi calçado com recurso de cerca de R$ 260 mil proveniente do governo federal, a partir de emenda parlamentar do deputado Afonso Hamm (PP); e outro trecho foi calçado com recursos próprios, num investimento superior a R$ 60 mil. No início do ano, a prefeitura ainda investiu cerca de R$ 100 mil na construção de sistema de drenagem e rede coletora de esgoto na Av. João Dias da Silva, que dá acesso ao Parque Aquático, cartão postal da nossa cidade.

Ademais, não faltam obras em execução. Está em andamento o calçamento de ruas no bairro Caixa D’ água, num investimento de cerca de R$ 400 mil, com origem em repasse do Ministério das Cidades (mais uma emenda do deputado Afonso Hamm). Está em andamento também a pavimentação da Av. João Dias da Silva, obra que conta com o repasse do governo federal de R$ 292.500,00 por meio do Ministério do Turismo, mais a contrapartida do município de R$ 94.347,86 (sem contar o investimento citado acima na drenagem dessa avenida). Mais uma obra em andamento é a construção de 39 unidades habitacionais do Programa Minha Casa, Minha Vida, num investimento de mais de R$ 1 milhão que, além do repasse de verba federal, conta com a contrapartida importante da prefeitura relativa ao custo dos terrenos e dos serviços de infraestrutura do loteamento e do apoio à empresa responsável pela construção na execução das obras.

Em breve, ainda deverá ter início a pavimentação asfáltica de várias ruas que hoje contam com calçamento de pedras irregulares, motivo de muito queixume, transtornos e prejuízos para quem transita por esses locais. Logo, logo, portanto, teremos a primeira obra de pavimentação asfáltica da história da nossa cidade, que deverá contar com um repasse de R$ 394.200,00, oriundo do Ministério das Cidades, a partir de emenda parlamentar do deputado Fernando Marroni (PT) e uma super contrapartida da administração municipal, praticamente igual ao valor do repasse, devendo fechar em cerca de R$ 365 mil.

A prefeitura ainda teve uma proposta selecionada no PAC Pavimentação 3.ª Etapa, que prevê o financiamento de R$ 1 milhão para investimento em obras de calçamento de ruas nos bairros mais carentes de infraestutura da nossa cidade, e aguarda pela definição no âmbito do governo federal para a assinatura do contrato. Mais uma boa notícia é a emenda de R$ 250 mil, anunciada semana passada pelo deputado Marcon (PT), que será destinada para o calçamento ano que vem de um trecho da rua 13 de Maio, próximo a saída em direção ao assentamento São Virgílio.

Neste momento, a prefeitura realiza e os hervalenses têm motivos de sobra para se sentir realizados. Sob o comando do prefeito Ildo Sallaberry, Herval avança e faz obras num ritmo e profusão nunca antes vistos por aqui. Obras que demonstram a competência do atual governo e dão orgulho aos hervalenses que querem o melhor para nossa terra. Muito mais que isso: representam um enorme salto em termos de saúde preventiva, no embelezamento da cidade, na ampliação da qualidade de vida e no aumento da autoestima da nossa gente, como também na melhoria das condições de mobilidade nos quatro cantos da Sentinela da Fronteira. A mudança não para e não pode parar!

Rir é melhor remédio



sexta-feira, 1 de maio de 2015

Projeto de Regionalização da Saúde contempla Herval com ambulância



No início desta semana, o município de Herval recebeu uma ambulância Amarok, ano e modelo 2014, adquirida com recursos oriundos da Consulta Popular do ano passado.
 
De acordo com o secretário da Saúde Carlos Dioner Perez Azambuja, o projeto foi habilitado pela pasta de Herval junto a Secretaria Estadual de Saúde, a qual contemplou o município a partir do projeto de Regionalização da Saúde. “A aquisição desta ambulância supre uma carência importante da saúde de Herval, vindo qualificar o atendimento de urgência e emergência no interior do município, visto se tratar de um veículo apropriado para andar nas estradas não pavimentadas”, argumenta o secretário.
 
Com esta nova aquisição, a Secretaria de Saúde de Herval passa a contar com três ambulâncias, sendo duas modelos furgão, apropriadas para ambientes urbanos e uma modelo com tração nas quatro rodas, para estradas sem pavimentação. Ainda faz parte de sua frota, três veículos Fiat Doblô, com capacidade para seis pessoas cada, utilizada para transporte de pacientes em consultas eletivas, um Corsa Classic 1.0, com capacidade para quatro pessoas e duas Vans, uma de 13 lugares e outra de 15 lugares, para transporte de pacientes para consultas eletivas.
 
Texto e foto: Nívea Bilhalva de Oliveira
Publicado originalmente no site da prefeitura: www.herval.rs.gov.br
 

Seguidores