O Blog busca retratar coisas da vida interiorana e do meu interior, numa abordagem que mistura reflexão, notícias, riso, poesia, musicalidade, transcedentalidade e outras cositas más. Tudo feito com produções próprias, mas também com a reprodução do pensar ou do sentir dos grandes gênios que o país e a humanidade pariram.

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Bravo, bravíssimo!!!

Momento poético



A realidade refuta
(Larissa Marques)


a realidade refuta
e redunda na ilusão
sim, aquela grata ,que nos fere
e nos cala
tal chibata em tronco de perdição

talvez eu fique presa
pelo serpentear e o repique
de tua voz de gargalo
tentando convencer-me
a despir-me de luta

e quem sabe por algum minuto
ou vários, permita-me ser surda
ou solta, sem castigos ou mentiras
só ou contigo em insanidade
entregue à leviandade, cobiça da carne

por hora, sinto-me bem por não ter cedido
aos devaneios de uma vida rapariga
escondo-me ainda nesses risos falsos
em torturas desmedidas
sob meia dúzia de saias floridas

ledo engano essas verdades absolutas
como se não houvesse antônimos
nesse cárcere interno, no inferno íntimo
que ata-me ao teu terno de risca-de-giz
e ao teu chapéu de aba curta

convenci-me da relatividade de tudo
sem as certezas ou dúvidas que nos cercam
quem não vive assim,
não sabe do absurdo
que cega o santo e inspira o vagabundo

eis que nesta hora incerta, sã
por tudo que pude ter e perdi
que valho-me da falta de fé e da descrença
dou-me algumas gotas de mortal veneno
pois a esperança é que me mata.

Herval recebe ônibus escolar



Chegou a Herval na manhã desta terça-feira, 28, um ônibus escolar do Programa Caminhos da Escola. O veículo com capacidade para transportar 44 alunos da zona rural será utilizado no transporte de estudantes da Escola Estadual Corintho Ávila Escobar, da localidade Basílio.
O ônibus foi adquirido em julho, no valor de R$ 198 mil, com recursos do FNDE. Na primeira quinzena de janeiro estará chegando outro veículo com capacidade para 59 alunos, para fazer o transporte dos estudantes da rede municipal de ensino, na zona rural.

notícia publicada pelo jornal A Fronteira: http://jornalafronteira.blogspot.com/

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Rir é o melhor remédio

Um pouco de Carpinejar




Reproduzo aqui uma crônica sensacional do sensacional Fabrício Carpinejar:


CAINDO NA PEQUENA ÁREA

Assim como atacante simula um pênalti, o casal cava brigas.

Grande parte das discussões de relacionamento não acontece por uma justificativa clara e evidente, é pressa, desejo de resultados imediatos.

O divórcio tem motivo, a briga não. É aleatória, e invade inclusive os momentos felizes. O atacante poderia fazer gol e comemorar com a torcida, mas preferiu se jogar na área e contar com a cumplicidade do juiz. A esposa poderia beijá-lo, mas decidiu teimar com a aproximação de uma colega de trabalho e tecer perguntas constrangedoras.

Não existe briga legítima. Todas são forçadas, artificiais e teatrais. É um ranço à toa, uma provocação passageira, uma vontade de incomodar que escapou do controle. Há o equívoco de se pensar em criticar algo e logo mudar de assunto, ferir e esconder a arma, como se a palavra não fosse bumerangue e não viesse de volta, com muito mais força, cortar nossa cabeça. Planejamos a briga, o que não prevemos são as consequências. Entrar numa discussão é fácil, o orgulho não nos deixa sair.

A mulher tem algumas cartadas implacáveis para puxar seu parceiro ao ringue. Mesmo quando ele não quer e programou assistir seu futebol tranquilamente.

Eu já sofri com o blefe. Fui um zagueiro que não atingiu a centroavante e ela simulou agressão.

Estava quieto, pensativo, aguardando a rodada do Brasileiro, e minha namorada começa a antecipar a lista de tarefas da semana. Eu respondo educadamente, não entro em detalhes. Nada nos magoou durante o dia. Ela repete um ponto, replica de novo. Não que eu não tenha respondido, é que a resposta não a agradou. Tento reagir diferente, com outras palavras. Tudo sob controle, vocábulos neutros, os times entraram em campo.

Na hora do apito, como não encontrou qualquer argumento para discutir, ela vem com a tese de que a minha voz está diferente. Que voz de homem não fica diferente assistindo sua equipe?

Eu me ferrei, ninguém se salva dessa abordagem. Em vão, busco dissuadi-la da ideia, não reparo que é uma ideia fixa, indicando uma obsessão incontornável.

— Não, minha voz está a mesma.

— Não me engana, sei que aconteceu alguma coisa, o que foi?

— Nada, estou ótimo, te amo.

Apliquei o “te amo” para espantar as desavenças, um “te amo” preventivo. Faltou experiência no ramo, sempre que mencionamos um “te amo” solto do assunto é que virá guerra, é visto como um ato falho ou um sentimento de culpa.

— Eu conheço, sua voz está diferente.

— Não está, não está…

— Está sim! Está sim!

Ela aparecia com o velho papo de que me conhecia melhor do que eu, o que é irritante. Meu timbre permanecia igual, até que não aguento mais a insistência e passo a gritar.

— Que merda…

— Viu?

— Viu o quê?

— Está brabo, acertei, sua voz estava diferente. Vai agora me dizer a verdade?

Não me pergunte qual foi o placar do jogo.



Crônica publicada no site Vida Breve

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Licença poética...



Peço licença outra vez para entregar-lhes algumas palavras simples e sutis arrancadas do fundo do baú do meu ser e também inspiradas na minha musa imaginária:

Duvides da minha força para enfrentar minhas sombras, medos e manias, mas nunca tenhas dúvida do meu amor por ti.
Se um dia eu partir, será com o coração partido...
Às vezes posso parecer sobra, fragmento, bagaço. Ledo engano!
Sou por inteiro, e como todo ser vivente neste mundo, tentando ser mais gente; embora sempre há de me faltar um pedaço.
Se é que entendes!
Se é que me entendes!

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Feliz Natal!!!


Que este natal represente o renascimento do Cristo dentro de cada um de nós, renovando as nossas esperanças na vida e em nós mesmos.
FELIZ NATAL!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Rir é o melhor remédio



Tento ser o mais sério e solidário que posso com as dores, deslizes ou devaneios alheios, o que não me livra de ser incompreendido ou julgado de forma incorreta ou desonesta.
Também por isso, uma das coisas que aprendi nesta minha passagem por este “mundão de meu Deus”, é que devo sempre rir das minhas próprias dores, deslizes e devaneios.
Assim, as tormentas e tormentos da vida, se não deixam de existir, ao menos se tornam mais leves e breves em meus dias.
Pensando nisso, inauguro no meu blog o espaço RIR É O MELHOR REMÉDIO, como uma forma de descontrair das tribulações das horas e como um convite ao riso...


"Um casal esta na cama, prestes a dormir. O marido começa a acariciar a mulher. Ela volta para ele e diz: - Sinto muito, querido, mas amanhã eu tenho uma consulta no ginecologista e quero estar limpinha. O marido, rejeitado, vira para o lado. Alguns minutos depois ele vira de novo e volta a acariciar a mulher, dizendo: - Você tem consulta no dentista também?"

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Momento poético



A esposa
(Vinícius de Moraes)

Às vezes, nessas noites frias e enevoadas
Onde o silêncio nasce dos ruídos monótonos e mansos
Essa estranha visão de mulher calma
Surgindo do vazio dos meus olhos parados
Vem espiar minha imobilidade.

E ela fica horas longas, horas silenciosas
Somente movendo os olhos serenos no meu rosto
Atenta, à espera do sono que virá e me levará com ele.
Nada diz, nada pensa, apenas olha - e o seu olhar é como a luz
De uma estrela velada pela bruma.
Nada diz. Olha apenas as minhas pálpebras que descem
Mas que não vencem o olhar perdido longe.
Nada pensa. Virá e agasalhará minhas mãos frias
Se sentir frias suas mãos.

Quando a porta ranger e a cabecinha de criança
Aparecer curiosa e a voz clara chamá-la num reclamo
Ela apontará para mim pondo o dedo nos lábios
Sorrindo de um sorriso misterioso
E se irá num passo leve
Após o beijo leve e roçagante...

Eu só verei a porta que se vai fechando brandamente...
Ela terá ido, a esposa amiga, a esposa que eu nunca terei.

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Câmara Municipal elege nova Mesa Diretora



Em votação transcorrida no último dia 14/12, a Câmara Municipal elegeu a Mesa Diretora para o exercício legislativo 2011.
A eleição contou com a inscrição de apenas uma chapa para a disputa da direção da Casa Legislativa hervalense, o que não impediu o protesto dos vereadores da bancada do PDT, Bebeto, João Batista Sais e Jackson Xavier, os quais se retiram do plenário no momento da votação. Além desta manifestação de protesto, a eleição ainda registrou um voto em branco.
Confira a nova composição da Mesa Diretora da Câmara Municipal:

PRESIDENTE: Claudiomor Inhaia (PT)
VICE-PRESIDENTE: Paulo César Martins Carvalho (PMDB)
1º. SECRETÁRIA: Solange Tavares (PMDB)
2º. SECRETÁRIO: Elio Soares (PDT)

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Aviso aos navegantes...



Para todos aqueles que em 2010 me passaram correntes dizendo que, se reenviasse, ia ficar rico ou milionário, informo que NÃO FUNCIONOU! PELO MENOS ATÉ ESTA DATA!!!!!
Em 2011 por favor mandem dinheiro, presentes ou vales de cerveja.
Obrigado.

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Marroni permanece na Câmara dos Deputados




A presidente eleita, Dilma Rousseff, anunciou oficialmente na quarta-feira (dia 8) a deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) como secretária nacional de Direitos Humanos. Com isso o deputado federal Fernando Marroni permanece na Câmara dos Deputados na próxima legislatura.

Com 87,1 mil votos obtidos na última eleição, Marroni era o primeiro suplente do PT gaúcho à Câmara dos Deputados. “Fico muito feliz pela deputada Rosário assumir uma missão tão importante como essa no governo da presidente Dilma, pois é uma mulher que tem uma história de lutas na defesa dos direitos civis e, por outro lado, não há como negar que me sinto imensamente satisfeito por poder continuar a representar minha região no Congresso Nacional e ajudá-la a se desenvolver ainda mais”, declarou o deputado que retornou à Brasília depois de participar da COP-16, no México.

Marroni fez questão de salientar que assumirá o novo mandato com o mesmo entusiasmo que possui atualmente. “Os quase 90 mil votos obtidos em outubro dão plena e inquestionável legitimidade a este mandato, por isso irei trabalhar com o mesmo afinco dos dois últimos anos”, disse.

Retirado do site: http://www.fernandomarroni.com.br

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Patricinha fascista


por Juremir Machado - Extraído do Jornal "Correio do Povo"

A estupidez está sempre ao alcance de todos. Mayara Petruso, patricinha paulista, estudante de Direito, saiu do anonimato para fama, via Twitter, graças a um coice na inteligência nacional. Indignada com a vitória de Dilma Rousseff, a moça disparou este petardo: "Nordestino não é gente, faça um favor a São Paulo, mate um nordestino afogado. Tinham que separar o Nordeste e os bolsas-vadio do Brasil (...) Construindo câmaras de gás no Nordeste, matando geral". No Facebook, a burrinha racista se atolou um pouco mais: "Afunda, Brasil. Deem direito de voto pros nordestinos e afundem o país de quem trabalha pra sustentar vagabundos que fazem filhos pra ganhar bolsa 171". Mayara já perdeu o emprego no escritório onde trabalhava e sofrerá ação judicial protocolada pela OAB.

Alguns jovens universitários paulistas têm revelado um grau superior de idiotice. Depois da turminha que hostilizou uma guria por causa da sua minissaia, apareceu o bando do "rodeio das gordas", propondo tratar meninas obesas como animais. E agora entra em cena a tal Mayara. O escândalo maior é imaginar que isso representa uma opinião média difundida na Internet. Como será que a mulinha Mayara explica a vitória de Dilma em Minas Gerais? Achar que as ajudas sociais são incentivos à vagabundagem é típico de uma elite primitiva ou de uma classe média ignorante. Qualquer país civilizado, a começar por França, Alemanha, Inglaterra e, evidentemente, países escandinavos, oferece mais ajudas sociais que o Brasil. Não adianta ir à Europa só para comprar bolsas Vuitton. É preciso espiar o cotidiano.

Quem não recebeu e-mails dizendo que Dilma não podia ser candidata por ter nascido na Bulgária? Quantos analistas têm por aí sugerindo que os nordestinos são subeleitores que votaram com o estômago? Quando um empresário escolhe um candidato seduzido pela possibilidade de redução de impostos, o que é legítimo, não se trata de voto por interesse? Não é voto com o bolso? Quando ruralistas votam num candidato na esperança de conseguir mais incentivos, o que é comum, não é voto interesseiro? Mayara não deixa de ser o produto de uma estratégia perigosa, a divisão ideológica entre bem e mal. Foi essa perspectiva, cara ao vice Índio da Costa, que José Serra adotou. A revista Veja e o jornal Estado de S. Paulo deram aval a essa idiotice retrógrada. Uau!

O PSDB, que nasceu pretendendo ser moderno e racional, podia mais. Veja, que se acha mais moderna do que os modernos, acabou por produzir leitores Mayara. Isso não tem a ver com partidarismo como imaginam os mais simplórios ou ideológicos. Eu jamais terei partido. Meu único capital é a independência selvagem. Sou a favor do voto de castidade partidária para jornalistas. Tudo pela liberdade de dizer que quem acha o Bolsa-Família um incentivo à vadiagem pensa como Mayara. Esse foi o principal erro tucano na campanha eleitoral: ter guinado à direta para tentar seduzir as Mayaras, que arrastaram um intelectual progressista como Serra para o reacionarismo rasteiro do Estadão e da Veja. Mayaras, nunca mais!

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Momento poético


Escrever, Humildade, Técnica

Essa incapacidade de atingir, de entender, é que faz com que eu, por instinto de... de quê? procure um modo de falar que me leve mais depressa ao entendimento. Esse modo, esse "estilo" (!), já foi chamado de várias coisas, mas não do que realmente e apenas é: uma procura humilde. Nunca tive um só problema de expressão, meu problema é muito mais grave: é o de concepção. Quando falo em "humildade" refiro-me à humildade no sentido cristão (como ideal a poder ser alcançado ou não); refiro-me à humildade que vem da plena consciência de se ser realmente incapaz. E refiro-me à humildade como técnica. Virgem Maria, até eu mesma me assustei com minha falta de pudor; mas é que não é. Humildade com técnica é o seguinte: só se aproximando com humildade da coisa é que ela não escapa totalmente. Descobri este tipo de humildade, o que não deixa de ser uma forma engraçada de orgulho. Orgulho não é pecado, pelo menos não grave: orgulho é coisa infantil em que se cai como se cai em gulodice. Só que orgulho tem a enorme desvantagem de ser um erro grave, com todo o atraso que erro dá à vida, faz perder muito tempo.

Clarice Lispector (do livro "A Descoberta do Mundo")

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Lei prevê punição ao assédio moral



Foi aprovado pelo Legislativo Municipal, no último dia 23/11, o projeto de lei de iniciativa da bancada petista que “dispõe sobre a aplicação de penalidades à prática de “assédio moral” nas dependências da administração Pública Municipal Direta e Indireta por servidores ou funcionários públicos municipais efetivos ou nomeados para cargos em comissão ou de confiança”.
Conforme argumenta o autor da proposta, “o assédio moral é um problema de difícil diagnóstico e punição, pelo fato de ocorrer com ações covardemente clandestinas e dissimuladas, e por não haver instrumentos claros que coíbam estas ações; com isso, ocasiona a complacente aceitação dos ofendidos, que por receio de perder o emprego, submetem-se a esta forma antidemocrática e desumana de tratamento”.
“Para que as relações de trabalho nos equipamentos da administração pública municipal sejam melhoradas é que apresento a presente propositura, visando assegurar o cumprimento do princípio constitucional da eficiência (CRF artigo 37), bem como o respeito e a valorização do servidor e suas iniciativas”, acrescentou Claudio.
O vereador petista ainda salientou que, “enfrentarmos o assédio moral, com Lei que coíba definitivamente este entrave no serviço público municipal, é a saída lógica e nobre de nossa parte. Pois, ignorá-lo seria endossar ações que podem levar nossos cidadãos-servidores ou cidadãos-funcionários a problemas de saúde, familiar e social, devido a fatores emocionais, prejudicando o bom andamento dos serviços públicos. A Declaração Universal dos Direitos Humanos, a Convenção 111 da Organização Internacional do Trabalho, o Direito Civil, o Direito Penal e o Direito Constitucional são alguns dos vários instrumentos legais que nos elucidam que não estamos sendo utópicos em aprovarmos esta Lei”, finalizou.

Legislativo inaugura Plenário Elio Soares



Foi realizada nesta sexta-feira, 26, a inauguração do novo plenário da Câmara Municipal de Vereadores. Junto à inauguração foi feita uma homenagem ao presidente da Casa e vereador que dá nome ao Plenário Élio Soares. A cerimônia contou com a presença do prefeito municipal, Ildo Sallaberry, dos ex-prefeitos Élio Ferreira e Marco Aurélio da Silva e da ex-vereadora pelo PMDB Zoila Lemos.
O nome do Plenário foi escolhido através da Lei 847/2010, de autoria do vereador João Bosco Sais de Paiva (PMDB). “Tenho a grata satisfação de fazer esta humilde homenagem em vida ao vereador Élio Soares e sou suspeito, pois era eleitor do vereador Élio, mas tenho muito orgulho pelas vezes em que votei nele, pois tenho certeza de que ele se manteve na vida pública porque tem uma caminhada, uma história de honestidade”, ressaltou o proponente da homenagem.
Para Élio Soares, que por mais de trinta anos ocupou uma cadeira no legislativo, a emoção de ser agraciado com o nome do plenário foi grande. “Fico muito emocionado porque não esperava. Sou o primeiro homenageado vivo do município”, declarou.


por Daiane Madruga - jornal A Fronteira

Seguidores