terça-feira, 30 de novembro de 2010

Comunidade escolar hervalense pede Graça Souza



Confira abaixo a íntrega do documento em apoio à indicação de Maria da Graça Souza, atual Secretária de Educação de Jaguarão, para o cargo de Coordenadora Regional da Educação, bem como um breve comentário sobre tal manifesto de iniciativa do Diretório Municipal do PT apoiado por importantes trabalhadores e autoridades em educação do município:


Nós, professores, funcionários de escola, estudantes e pessoas ligadas à causa da educação, bem como dirigentes, autoridades e filiados ao Partido dos Trabalhadores de Herval, manifestamos, por iniciativa do Diretório Municipal do PT, nosso apoio total e irrestrito à indicação da educadora MARIA DA GRAÇA SOUZA para integrar o governo TARSO GENRO na condição de Coordenadora Regional de Educação, estando à frente da 5ª CRE, a partir de 1º de janeiro de 2011.
Assinamos tal documento, movidos pela certeza de que a nomeação de MARIA DA GRAÇA SOUZA para o mencionado cargo, virá atender muito mais do que o critério político-partidário, mas por entender que seu nome contempla a necessária capacidade administrativa, o conhecimento científico e o compromisso com a educação inclusiva, dialógica e humanizante.
Temos o direito e o dever de buscar o melhor para a educação da nossa região, por isso manifestamos com orgulho e alegria nosso desejo de ver MARIA DA GRAÇA SOUZA Coordenadora Regional de Educação.



OBS: o original deste documento, assinado por quase uma centena de pessoas ligadas ao PT e a comunidade escolar hervalense, foi entregue ao Coordenador Regional do Partido dos Trabalhadores, Sr. Cláudio Pereira, no dia 12 de novembro do corrente ano, de modo a reforçar a indicação de Graça Souza para o cargo de Coordenadora Regional da Educação.
Apenas como registro, cabe mencionar que entre as pessoas que assinaram tal documento, constam ex-diretores de escola, ex-Secretários Municipais de Educação e um escritor, o que dá a dimensão da importância e do enraizamento da companheira Graça junto às comunidades escolares da região, fruto do seu trabalho sério e competente.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Vereador Claudio livre de investigação


Em Sessão Ordinária realizada na noite de ontem (16/11), a Câmara Municipal de Vereadores decidiu, por 7 votos a 1, pela não criação de Comissão Processante com vistas à cassação do mandato do vereador Claudiomor Inhaia (PT).
A votação atendeu a uma representação do Ministério Público de Herval, que pedia a instauração de Comissão Processante da Câmara de Vereadores pela cassação do mandato do vereador petista pela prática de fato incompatível com a dignidade do legislativo e por falta de decoro na conduta pública. O fundamento principal para a representação foi a recente condenação criminal de Claudio pelo Tribunal de Justiça do Estado (TJ/RS), por prática de delito de trânsito.
Os vereadores contrários à abertura de Comissão Processante, destacaram o brilhante trabalho parlamentar do vereador petista e que tal condenação por delito de trânsito em nada denigre seu trabalho legislativo. Segundo o vereador João Batista Sais (PDT), se a cassação do mandato do vereador impedisse o mesmo de cometer novas infrações de trânsito ou ajudasse a diminuir as infrações desta natureza cometidas por cidadãos comuns a abertura desta comissão e a cassação do mandato do vereador seria uma obrigação deste Parlamento, como tal ato não serve nem para uma coisa nem para outra, meu voto é pela não abertura de Comissão Processante.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Momento poético



O amor nunca morre de morte natural. Añais Nin estava certa.

Morre porque o matamos ou o deixamos morrer.

Morre envenenado pela angústia. Morre enforcado pelo abraço. Morre esfaqueado pelas costas. Morre eletrocutado pela sinceridade. Morre atropelado pela grosseria. Morre sufocado pela desavença.

Mortes patéticas, cruéis, sem obituário e missa de sétimo dia.

Mortes sem sangramento. Lavadas. Com os ossos e as lembranças deslocados.

O amor não morre de velhice, em paz com a cama e com a fortuna dos dedos.

Morre com um beijo dado sem ênfase. Um dia morno. Uma indiferença. Uma conversa surda. Morre porque queremos que morra. Decidimos que ele está morto. Facilitamos seu estremecimento.

O amor não poderia morrer, ele não tem fim. Nós que criamos a despedida por não suportar sua longevidade. Por invejar que ele seja maior do que a nossa vida.

O fim do amor não será suicídio. O amor é sempre homicídio. A boca estará estranhamente carregada.

Repassei os olhos pelos meus namoros e casamentos. Permiti que o amor morresse. Eu o vi indo para o mar de noite e não socorri. Eu vi que ele poderia escorregar dos andares da memória e não apressei o corrimão. Não avisei o amor no primeiro sinal de fraqueza. No primeiro acidente. Aceitei que desmoronasse, não levantei as ruínas sobre o passado. Fui orgulhoso e não me arrependi. Meu orgulho não salvou ninguém. O orgulho não salva, o orgulho coleciona mortos.

No mínimo, merecia ser incriminado por omissão.

Mas talvez eu tenha matado meus amores. Seja um serial killer. Perigoso, silencioso, como todos os amantes, com aparência inofensiva de balconista. Fiz da dor uma alegria quando não restava alegria.

Mato; não confesso e repito os rituais. Escondo o corpo dela em meu próprio corpo. Durmo suando frio e disfarço que foi um pesadelo. Desfaço as pistas e suspeitas assim que termino o relacionamento. Queimo o que fui. E recomeço, com a certeza de que não houve testemunhas.
Mato porque não tolero o contraponto. A divergência. Mato porque ela conheceu meu lado escuro e estou envergonhado. Mato e mudo de personalidade, ao invés de conviver com minhas personalidades inacabadas e falhas.

Mato porque aguardava o elogio e recebia de volta a verdade.

O amor é perigoso para quem não resolveu seus problemas. O amor delata, o amor incomoda, o amor ofende, fala as coisas mais extraordinárias sem recuar. O amor é a boca suja. O amor repetirá na cozinha o que foi contado em segredo no quarto. O amor vai abrir o assoalho, o porão proibido, fazer faxina em sua casa. Colocar fora o que precisava, reintegrar ao armário o que temia rever.

O amor é sempre assassinado. Para confiarmos a nossa vida para outra pessoa, devemos saber o que fizemos antes com ela.

Fabricio Carpinejar

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Herval escolheu seguir avançando



A coligação Para o Brasil Seguir Mudando, representada pela candidata Dilma Rousseff, venceu a eleição presidencial em Herval com larga vantagem.
A candidata petista obteve 2.541 (60,94% dos votos válidos), enquanto o candidato tucano recebeu 1.629 votos (39,06% dos votos válidos).
Segundo Toninho, “a vitória retumbante de Dilma demonstra que as forças progressistas da nossa terra tiveram a grandeza de esquecer antigas diferenças para marcharem juntas no 2º. turno desta eleição, em torno do objetivo maior de manter e aperfeiçoar as conquistas inauguradas por Lula, bem como impedir o retrocesso e o ódio destilado pela candidatura de José Serra”.
Ainda de acordo com Toninho, “além de ser a primeira mulher presidente eleita do Brasil, a vitória de Dilma carrega outro símbolo muito importante: ela foi presa e torturada durante o período da Ditadura Militar, o que nos dá a convicção de que o seu governo será marcado pelo mais absoluto zelo à democracia, não apenas em seu aspecto constitucional, mas como valor inarredável para o desenvolvimento do país e da pessoa humana. Ela sentiu na pele os horrores do cárcere criado pelo autoritarismo de Estado, e sabe como poucos a importância da verdadeira liberdade, a liberdade que não despenha para a licenciosidade, completou”.