O Blog busca retratar coisas da vida interiorana e do meu interior, numa abordagem que mistura reflexão, notícias, riso, poesia, musicalidade, transcedentalidade e outras cositas más. Tudo feito com produções próprias, mas também com a reprodução do pensar ou do sentir dos grandes gênios que o país e a humanidade pariram.

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Quero seguir mudando. Quero Dilma comandando a nossa nação.



A cabeça que reflete e o coração que ama também se envolvem e apaixonam pelos casos e coisas que dizem respeito aos destinos do nosso imenso Brasil.
Por esse motivo, apresento-lhes a mulher eleita como minha candidata à Presidência da República e alguns dos meus motivos para esta escolha...


Temos o governo Lula antes e o governo Lula depois da Dilma na Casa Civil.
Com Dilma, o governo Lula ficou mais solto e diminuiu sensivelmente a distância que separa a intenção e a prática em favor da democracia e do desenvolvimento econômico com justiça social.
Com Dilma presidente, seguiremos navegando pelo mar de progresso aberto por Lula e ganharemos, por inteiro, o coração e a mente dessa magnífica mulher-comandante.
Dilma é muito mais que uma mera sombra do Lula: ela tem brilho e a sua própria luz!
Dilma é a nossa certeza de continuar avançando na concretização do sonho de um país cada vez mais forte, mais humano, mais feliz.
A Dilma do Lula, do “Luz Para Todos”, do “PAC”, do “Minha casa, Minha vida”, será a Dilma de todos os brasileiros e brasileiras!

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Mais uma alternativa para a compra de medicamentos



A Câmara Municipal aprovou na noite de ontem (27/7) projeto de lei de iniciativa da bancada do Partido dos Trabalhadores, que “autoriza a compra de medicamentos e correlatos diretamente do Registro Nacional de Preços do Ministério da Saúde, conforme dispositivos da Lei Federal 10.191, de 14 de fevereiro de 2001”.
O objetivo é estabelecer um novo dispositivo legal, o qual poderá facilitar e agilizar a aquisição de medicamentos e correlatos pelo Poder Executivo, sem excluir nem criar qualquer óbice para que as mencionadas aquisições ocorram na forma e nas modalidades atualmente utilizadas.
O registro de preços é uma licitação na modalidade de Concorrência, onde os participantes apresentam os seus preços para registro. Aquele que atender às condições solicitadas no edital e possuir o menor preço, será o vencedor. Os demais participantes que concordarem em baixar os seus preços, poderão registrá-los no mesmo valor do vencedor, desde que o primeiro colocado não cote a totalidade do item.
Um processo de compra de medicamentos no setor público é complexo e envolve um conjunto de exigências legais e administrativas que devem ser cumpridas, algo que nem sempre era respeitado no passado recente da administração municipal. Por outro lado, esta situação pode ser agravada quando não há prioridade na garantia do medicamento à população ou dificuldades de tomada de decisão, demandando um tempo muito maior que o necessário ou levando à tomada de decisão sob pressão pela falta do medicamento – aumentando as chances de não “comprar bem”.
Portanto, não basta demonstrar vontade política de assegurar este direito à população, mas agir administrativamente à revelia da lei. O caminho que confunde seriedade administrativa com burocratismo também não é correto. O certo é quando a vontade política esta acompanhada e respaldada pela observância das normas legais que regulamentam a aquisição e a consequente dispensação de medicamentos aos usuários do Sistema Único de Saúde, sem perder-se ou prender-se nos extremismos burocráticos. E alternativas existem.

terça-feira, 27 de julho de 2010

Laços do professor Osmar



Trago à luz pública algumas palavras mui íntimas do “sor” Osmar, escritas num tempo indefinido e endereçadas a pessoa incerta e não sabida...


Deu saudades. Pra dizer bem a verdade foi assim: era fim de tarde e eu solito tomava um mate e alcançava outro para ti. Não sei se foi bem assim, o fato é que eu sou continente e não me banham águas vetustas prenhes de sal. Não saem nem chegam barcos em mim. Naus, talvez, com as desventuras continentinas dos navios de Garibaldi encalhados na pampa. Os cerros que me cercam são monstruosos barcos cobertos de limo que vigiam. Mas são tão mansos tão parados e não possuem o destino grandioso do mar, que é português feito do sal das lágrimas das mães noivas irmãs dos marujos de antanho. É o mesmo mar cheiroso que te embala nos dias de tristeza e alegria. Tão diferente da pampa, tão cheio de mistérios.
Por isso e por outros motivos é bom receber tuas cartas. Elas são como os barquinhos de papel que eu em criança enviei para um destino incerto singrando as águas barrentas da chuva. É como se estes barcos de papel voltassem de uma infância que vivi há tanto tempo que nem sei se foi minha. Foram miúdos os dias de alegria de minha meninice. Misturando trabalho e brinquedo, medo de “bixo” e medo de gente. E o passar dos dias e das noites sempre confirmando as gentes ferindo mais que os “bixos”. No entanto, houve sempre na mão das pedras, o afago; na mão dos calos, o carinho; ainda que miudinho. Mas nunca cicatrizou bem a ferida. E não é certo dizer assim, pois pode parecer que eu, sempre bom, estive sempre exposto ao gesto dos maus. Não é assim. Ocorre que a vida é ferida aberta. A saudade, testemunha ocular que confirma.
Os barcos que voltam da infância, entrando por baixo da porta são, a um só tempo, cura e ardência. Claro que já não reconheço sua forma, suas cores, afinal, mudaram tanto. E apesar da mudança carregam a expectativa de um sonho meu. Desbotado, longínquo. Creio, em verdade, que é apenas uma esperança.
Não sei por que caminhos, lembrei de uns versos do poeta irlandês WILLIAM BUTLER YEATS, que divido contigo:

“TIVESSE EU AS ROUPAS BORDADAS DO PARAÍSO
TECIDAS COM LUZ DOURADA E PRATEADA
O AZUL E O ESCURO E OS NEGROS PANOS DA NOITE
E A LUZ E AS METADES-LUZES
EU ESPALHARIA ESSAS ROUPAS SOB OS TEUS PÉS:
MAS, SENDO POBRE, TENHO APENAS OS MEUS SONHOS
EU TENHO ESPALHADO OS MEUS SONHOS SOB OS TEUS PÉS
POR ISSO, PISE SUAVEMENTE; AFINAL,
VOCÊ ESTÁ ANDANDO SOBRE OS MEUS SONHOS”.

Eu, meu bem-querer, sou tão miserável que não lembro nem reconheço os sonhos que tive. Resta-me, apenas, colocar-me a teus pés para que tu pises, sem cuidado, com força, com energia sobre minha carne flácida. E há neste gesto frasal uma ignomínia, por isso, não te encante, desconfie. “Tudo tem, em todo o tempo, o oposto em si.” Tenho vulto tenho rumo tenho odores e sabores de gente, mas sou “bixo”. Um “bixo” mundano que tem sentido a vida na periferia do corpo, nas almofadas da carne, no sobrenome dos ossos. Um sentimentalismo de máquinas de engrenagens de grotescos mecanismos que não se coaduna com ser gente. Mas não quero que tu te ausentes de mim.

Messe no Grêmio...


Não, não estou sugerindo que o Grêmio de Foot-Ball Porto Alegrense esteja encaminhando a contratação do excepcional Lionel Messe. Este é um sonho gigantesco que não caberia na realidade do Imortal Tricolor!

De acordo com o dicionário, messe significa seara; ceifa; colheita.
Pois o meu Grêmio vem se tornando campeão na colheita de derrotas e insucessos!
Pois o Grêmio de tantas glórias semeia, semeia e semeia e não colhe mais nada além de uma sequência interminável de maus resultados, deixando a sua imensa torcida plantada a espera de dias e títulos melhores, que insistem em passar longe do Monumental Olímpico!
Que a tão propalada arena tricolor nos traga os ares da vitória novamente e um mundo de conquistas. Até lá, a pé seguiremos na nossa sina de dedicar o melhor da nossa torcida para este time atualmente tão atordoado. Haja coração e paciência!

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Licença poética...



Peço licença para entregar-lhes mais algumas palavras simples e sutis, arrancadas do fundo do baú do meu ser...


O tempo passa e não me mandas nenhum sinal de vida ou de fumaça. Isso me mata!

*******************************************************************************

Tua falta é humor fustigado de fel.
Tua falta é como faca afiada cravada em meu peito.
Tua falta é um triste desfecho que arde e queima
como o sol escaldante do deserto.

*******************************************************************************

Eu aqui me derretendo todo por ti...
E tu? Sei lá!
Passeando sem mim e sem rumo por estas ruas geladas e descalças
jurando me amar, sem sequer um aceno para demonstrar o tal amor.

*******************************************************************************

Estava entranhado no escuro da minha alma fria quando aparecestes...
Teu brilho espargiu tuas formas por sobre a minha pele escamosa!
O calor do teu corpo incendiou e deformou ainda mais o meu ser!

*******************************************************************************

O que parecia um sonho insólito logo virou pesadelo.
O que parecia nova fase na vida minguante, na outra noite passaria a ser ansiedade e açoite.
O que parecia sol e porto insanamente seguro, no dia seguinte já era chuva passageira e sombra insidiosa da loucura.
O que parecia calor interminável, com o passar de poucas horas se faria frio e preso por um fio.
O que parecia amor, num piscar de olhos se transformaria em mornidão e desespera e dor.

Encontros com a palavra



A amiga Matilde Cavada teve a brilhante iniciativa de reunir um grupo de pessoas da nossa sociedade civil em torno de uma entidade, a fim de oferecer às crianças, adolescentes e jovens hervalenses o contato com novos saberes e sabores em prol do desenvolvimento das suas habilidades. As coisas (juridicamente falando) ainda não estão totalmente acabadas, mas já começaram a andar.
A idéia (não me acostumo com a idéia de que ideia perdeu o acento) é oferecer permanentemente à piazada cursos e oficinas de conhecimento, arte e cultura, tais como: informática, teatro, danças, artesanato, culinária, incentivo à leitura, etc, etc e etc.
Sinto-me muito honrado em fazer parte desta turma e poder trocar e repartir com quem se interessar possa um pouco do meu precário talento no campo da leitura e da escrita.
Neste sentido, convido a gurizada, na faixa etária dos 13,14 até os 17, 18 anos de idade a tomarem parte na oficina de “incentivo à leitura” (que eu prefiro chamar de ENCONTROS COM A PALAVRA) sob a minha responsabilidade.
O primeiro encontro já tem data, hora e local previstos:

DATA: 04/08/2010 (quarta-feira)
HORA: 18h30
LOCAL: rua Coronel Sampaio, 102 (casa da Matilde)

Interessados em obter maiores informações, favor entrar em contato com a Matilde, pessoalmente ou pelo celular 84077239.

sábado, 24 de julho de 2010

Tô com Tarso!



A cabeça que reflete e o coração que ama também se envolvem e apaixonam pelos casos e coisas que dizem respeito aos destinos do nosso amado Rio Grande.
Por esse motivo, apresento-lhes o homem eleito como meu candidato a Governador do Estado e alguns dos meus motivos para esta escolha...


Tarso é cidadão do mundo que conhece profundamente o nosso Estado e as saídas para o estado de inércia no qual fomos colocados desde o pampa ao mar, da serra ao planalto médio.
Tarso tem talento e traquejo na vida pública: já foi deputado, duas vezes prefeito de Porto Alegre, um dos ministros mais influentes e iluminados do governo Lula.
Tarso é homem do diálogo, que sabe somar forças e diminuir conflitos em prol da participação e da prosperidade de todos.
Tarso é homem de ação, que sabe semear a messe de uma terra de progresso, paz, pão, lar, mel e poesia.
Tarso governador é o caminho melhor e mais seguro para tirar o Rio Grande do Sul da rota do atraso e da truculência!
Tarso governador é chama que reacende a auto-estima e a energia criativa do povo gaúcho!
Tarso governador é um novo sol de sabedoria e solidariedade a iluminar o chão do nosso sul!!!

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Momento poético



Salmo do Homem Sozinho

Hindemburgo Dobal Teixeira (H. Dobal)


Assim de dia
como de noite
cristão sozinho
no reino da multidão
leva seu nome sua fome
sua paixão sua vida
e a não sabida hora da morte.

O homem entre muitos
leva sozinho
sua sólida vida
de pedra e de cal.

Leva na pedra do coração
seu deus de sombra desmoronado.
Leva seu orgulho
o homem sozinho.
Corpo fechado
alma perdida
se deita sozinho
sem medo de assombração.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Conto com a luz do teu olhar...



Amigas e amigos que costumam me honrar com suas visitas ao meu blog: escrevo essas mal traçadas linhas para convidá-las e convidá-los a se tornarem SEGUIDORES deste cantinho no “mundão virtual” que costumo regar com minhas parcas e porcas palavras...
Sô meio xucro nessas coisas de viagens virtuais, mas logo ali embaixo na página tem um caminho sinalizado por alguns muito estimados “seguidores” meus. Se te interessares pelo convite, peço que faças uma tentativa. Certamente irás encontrar a estrada que desemboca nesta parte de mim.
E para que não fiques com a pulga atrás da orelha, digo-te que não estou concorrendo a mais nada, além de uns belos e breves raios do teu olhar que me lê.
Obrigado por vocês existirem e um grande beijo em seus corações!

O ardor da palavra


Num mundo de tantas e tamanhas hipocrisias, sempre é bom prestar atenção naquilo que nos sai da boca. Num mundo em que se erguem tantas cercas entre as pessoas, nunca é demais tomar cuidado com os nossos escritos. Às vezes querendo agradar, machucamos. Noutras expressamos algo e acabamos interpretados de uma forma completamente diferente da original.
Mesmo assim, não aceito me privar do direito de expressar meu pendor pela boniteza das coisas do mundo e das pessoas, quando me apercebo da boniteza que nelas há. Do mesmo modo, não me furto de apontar as feiúras deste mundo, feito de gente.
Querer bem uma pessoa. Confessar-lhe o nosso apreço com todas as forças do nosso espírito fraco, não significa ou não deveria significar querê-la para nós; como, aliás, somos levados a pensar neste mundo onde propriedade e poder costumam ser colocados no lugar mais alto do altar e no qual, nós mesmos, acabamos transformados em coisas para a posse de outrem.
Exatamente por isso, são poucas as relações ditas amorosas que conseguem escapar da lógica do mercado, segundo a qual somos convidados a POSSUIR e não a COMPARTILHAR, o que contribui para aumentar este imenso latifúndio improdutivo de amor que vivemos nos dias correntes.
Sentir-se atraído pelas virtudes de alguém e ter a ousadia de confessar-lhe isso com todas as letras, não significa necessariamente alimentar o desejo de envolver-se com ela num mar de aventuras amorosas e sensuais (embora se deva reconhecer que a carne é fraca!). Significa isto sim, que nem tudo está perdido neste mundo. Que nós viemos a ele para recriá-lo, embelezá-lo, para derrubar as cercas que nos impedem de ser mais gente, mais humanos.
As coisas boas e bonitas nunca foram tão necessárias como agora, nestes tempos contemporaneamente feios, em que somos convidados a nos mecanizarmos, a agirmos com frieza, a nos fecharmos completamente diante da dor e o amor dos outros.
Trago comigo sentimentos e pensamentos bons e ruins, e para o bem ou mal não abro mão de extravasá-los, do meu jeito caladão, é claro. Sou gente e as trocas que faço com as outras pessoas ajudam-me a não esquecer desse imenso nada que somos – um nada que dói, como diria Fernando Pessoa. E a palavra, falada ou condensada, é uma das estradas principais que nos leva e liga às outras e outros. Percorramos esta estrada juntos e por inteiro, então. E que ela seja longa, ardente e bela!

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Licença poética...



Peço licença para entregar-lhes algumas palavras simples e sutis arrancadas do fundo do baú do meu ser...


Se não fosse esse mar que nos separa, forçaria a porta da tua alma entreaberta.

**********************************************************************

Quem me dera ser poeta para escrever-te coisas belas e discretas.

**********************************************************************

Não apuremos o passo, andemos com calma. Andemos com calma que o coração é brasa acesa e ferida aberta.

**********************************************************************

Amor meu, este teu amor tem o dom de me tornar criança e acender o meu ardor.

**********************************************************************

Se eles podem ir à lua, eu posso ir amar-te.

**********************************************************************

Lá fora o céu estrelado. E eu aqui coberto e iluminado pelo brilho do teu corpo incandescente!

Informar é o melhor remédio



Em sessão ordinária realizada ontem (20/7), a Câmara Municipal aprovou proposição apresentada pela bancada do PT, sugerindo ao Poder Executivo a elaboração de material informativo impresso para distribuição aos usuários da Farmácia Básica Municipal; com orientações sobre as atribuições do referido estabelecimento público, como também os procedimentos necessários para a obtenção de medicamentos e insumos estratégicos junto à mencionada Farmácia.
Leia a seguir a íntegra da justificativa da propositura:

A presente proposição visa assegurar o direito à informação, preceituado pela Constituição Federal, pela Lei Orgânica do município de Herval, assim como pela Lei Orgânica de Saúde, composta pelas leis 8080/90 e 8142/90.
No nosso entendimento, tão importante quanto à oferta de medicamentos e insumos estratégicos é a oferta permanente, pelo poder público, de informações aos usuários da Farmácia Básica Municipal sobre as ações, normas e rotinas de funcionamento da mesma.
A ação informativa do Poder Executivo, ao oferecer orientações e esclarecimentos corretos à população, tende a contribuir também para que a dispensação de medicamentos na esfera pública em nosso município possa deixar de ser encarada por alguns setores da sociedade apenas como objeto de disputa política apaixonada e demagógica; passando a ser tratada do modo que deve e merece: um direito essencial da nossa população. Nada mais que isso.
Não temos a intenção de provocar polêmicas estéreis nem de incorrer em nenhum julgamento de mérito. No entanto, lamentamos profundamente que alguns agentes públicos venham fugindo do seu dever de bem informar à população, convertendo-se em veículo de desinformação da opinião pública. Um fato não apenas lamentável, mas que tem o poder de prestar um grande desserviço no tocante à formação de uma cidadania ativa e consciente em relação ao SUS e seus direitos.
O SUS é um sistema de saúde, regionalizado e hierarquizado, que integra o conjunto das ações de saúde da União, Estados, Distrito Federal e Municípios, onde cada parte cumpre funções e competências específicas, porém articuladas entre si, o que caracteriza os níveis de gestão do SUS nas três esferas governamentais.
Isto significa que todos têm direito à saúde. Isto significa também que nem todas as ações, insumos e serviços públicos de saúde podem ser alcançados no próprio município. Por isso, é fundamental que a população saiba com clareza o quê e como poderá obter diretamente na Farmácia Básica Municipal, e também os mecanismos e componentes da assistência farmacêutica estratégica e especializada, cuja oferta compete à gestão estadual da Saúde ou ao Ministério da Saúde.

terça-feira, 20 de julho de 2010

Brigaduuuuuuuuu!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!



Compartilho com vocês a minha alegria, só pra me exibir...
Fui aprovado em 1º lugar no vestibular da UAB/Herval para o curso de Licenciatura em Pedagogia.
Aproveito a oportunidade para agradecer a todos e todas que me deram força nesta caminhada, em especial a turma da Secretaria de Saúde: Nilson, Jane, Evinha, Dani, Kelen, Ana Jovelina, Graça, Sônia, Cléia, Tutuca, Daniel Xavier e muitos (as) outros (as)...
Agradeço ainda às minhas colegas na Câmara de Vereadores; aos amigos Farid, Chiquinho, Gládis Soares e ao mano Daniel.
Por fim, quero dedicar esta conquista ao mestre Osmar, que sempre me cobrou e empurrou na direção da retomada dos meus estudos.
Brigaduuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Rio Grande Do Sul Do Brasil Do Mundo



Na foto acima temos Tarso Genro ao lado do nosso amigo Topogigio, em Seminário realizado em Porto Alegre, no ano de 2008.
Tarso que beneficiou diretamente Herval com o PRONASCI e o Pólo da UAB, dentro do Programa Universidade Aberta do Brasil, criado durante sua gestão no Ministério da Educação.

Aproveito o ensejo para convidá-los e convidá-las a visitarem a página TARSO13 com todas as informações sobre a campanha 2010 da UNIDADE POPULAR PELO RIO GRANDE - PT, PSB, PCdoB e PR - acesse pelo endereço: www.tarso13.com.br

Momento poético



Eis-me aqui com mais um Momento Poético. Desta vez, precedido de um breve e sutil comentário: o mundo seria escuro e frio, sem a luz e o calor da poesia. Especialmente a poesia inspirada na beleza da mulher e nas humanas paixões. Mas saboreemos Quintana, meu fiel conselheiro e confidente...



CANÇÃO DO AMOR IMPREVISTO
Mario Quintana


Eu sou um homem fechado.
O mundo me tornou egoísta e mau.
E a minha poesia é um vício triste, desesperado e solitário
Que eu faço tudo por abafar.

Mas tu apareceste com a tua boca fresca de madrugada,
Com o teu passo leve,
Com esses teus cabelos...

E o homem taciturno ficou imóvel, sem compreender nada, numa alegria atônita...

A súbita, a dolorosa alegria de um espantalho inútil
Aonde viessem pousar os passarinhos.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Lições do professor Osmar



Há alguns meses, o amigo professor Chiquinho “incumbiu-me” da gratificante tarefa de garimpar alguns escritos do “sor Osmar Hences” para publicá-los num livro. Muito mais que homenagear o saudoso mestre, a intenção é sorver suas belas palavras e manter vivas suas magníficas lições.
Minha idéia (ideia agora se escreve sem acento) é juntar as lições do mestre com alguns dos seus muitos laços. Isto é, juntamente com os textos do Osmar o intuito é publicar os escritos sobre ele produzidos por pessoas influenciadas pelo seu pensamento e/ou tocadas pela sua infindável ternura. Penso que o livro poderia intitular-se Osmar (e) ternamente: laços e lições de um grande mestre...
Já andei conversando com algumas dessas pessoas, mas assim como eu, ninguém ainda se “coçou” para me entregar tal texto.
Minha intenção é honrar este compromisso muito caro para mim, mas por “n” razões ainda não pude me debruçar sobre este projeto. Mas logo, logo, estarei trabalhando a todo vapor para tirar este projeto do papel, ou melhor, para colocá-lo nele. Enquanto isso, compartilho com vocês algumas palavras escritas pelo “sor” em 2005:



(...) os meus motivos, que são poucos, mas que estão num fundo de campo onde se cultiva os princípios, as convicções. São frutos caros. Regados e colhidos por nós mesmos para o consumo interno. Não podem ir ao mercado. Colocá-los à venda, não seria apenas o fim dos partidos, mas dos homens e das mulheres. Se o esforço em manter estes frutos longe da mão (in) visível do mercado é defender uma causa impossível, bom, eu defendo uma causa impossível. Sei, mirando a solidão em que me encontro, que não há possibilidade de vitória. O mercado é forte e a fila dos que diante dele tombam não acabará em mim. Se esta postura se inscreve entre as posturas críticas, revolucionárias ou idealistas não serei eu a dizer.
No campo das pretensões éticas creio que nunca foi exagero querê-la em toda sua plenitude, em toda sua extensão. Sinto que não consigo percorrê-la, não por que me falte pernas ou vontade, mas por que, embora o espírito almeje, o corpo às vezes fracassa. Acho que os tempos em que vivemos, de palavras protegidas por habeas corpus, confirmam minha desconfiança de que não seria de todo mau desejar a ética em toda sua profundidade e extensão, com todas as forças de nosso espírito fraco. Claro, estou advertido de que sempre haverá, transgressões éticas, no entanto, estes desvios ou digressões da ética, não podem, por ser inevitável, transformar-se num modo ético de ser. (Osmar Hences)

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Projeto institui política ‘Antibullyng’



A Câmara Municipal aprovou ontem (13/7), projeto de lei de autoria da bancada do PT que “dispõe sobre o desenvolvimento de política “Antibullyng” por instituições de ensino e de Educação infantil, públicas ou privadas, com ou sem fins lucrativos”.
Bullying deriva de "bully" (valentão, brigão) e denota um tipo especial de violência muito comum nas interações entre pares, especialmente entre crianças e adolescentes nas escolas, que consiste na imposição de violência física ou psicológica, de forma repetida, sem motivação aparente, em relações de desequilíbrio de poder.
A iniciativa objetiva comprometer o Poder Público Municipal a desenvolver, por meio de uma legislação específica, uma política de prevenção ao “bullying”; oferecer aos professores, alunos e pais a oportunidade de debater o tema, além de prevenir a violência, a intolerância, o preconceito e todas as repercussões de sofrimento e humilhação decorrentes.
Para entrar em vigor, a matéria ainda precisa ser sancionada pelo chefe do Poder Executivo.

Herval recebe mais uma patrola


O município de Herval recebeu na tarde desta sexta-feira, 9, mais uma motoniveladora (patrola). Depois de cerca de quarenta anos sem receber maquinários novos, esta já é a segunda patrola adquirida pela Prefeitura este ano, além de uma retroescavadeira, uma van e um carro para o Centro de saúde e um caminhão caçamba comprados no final do ano passado.

A patrola no valor de R$ 488 mil foi adquirida através de pregão eletrônico realizado em abril, com recursos da Prefeitura e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), para execução de ações de apoio ao desenvolvimento do setor agropecuário. “Encontramos um parque de máquinas sucateado e estamos comprando equipamentos para manter os 1,3 mil quilômetros de estradas do nosso município”, declarou o prefeito municipal, Ildo Sallaberry. O novo equipamento será utilizado na recuperação de estradas vicinais atingidas pelos fortes temporais que assolaram o município no final de 2009.
(fonte: assessoria de imprensa prefeitura)

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Momento poético



Canção do Silêncio
Vasco Velleda

Lavra amigo de silêncios
As terras de dentro antes de falar.
Não te esqueças que o sentido
Quando comovido não sabe escutar
Deixa que as aves que voam
Por dentro dos olhos queiram repousar
Então remoe a semente que a palavra é gente
Pode te magoar!
Não te disfarces em prantos
Lamuriando os tantos dias de sofrer
Lembra que o arado corta e faz plantas mortas
Pro trigo nascer...
E assim, como nasce o trigo
Nasce meu amigo o joio disfarçado
E o silêncio é a joeira pra que da canseira
Nasça o pão sagrado
Pois como lhe disse amigo
No meio do trigo há joio misturado!
A moenda da semente
É aquilo que a gente precisa aprender
Ruminando cada sombra que a palavra rouba
Ao falar sem ver.
São malditas as palavras
Essas que são ditas sem perceber
As silenciosas magias, dessas poesias,
Nosso próprio ser...

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Proposição em homenagem ao verde



Ainda nesta terça-feira, a Câmara Municipal aprovou proposição de autoria da bancada do PT que “sugere ao chefe do Poder Executivo sejam colocadas placas informativas, contendo os nomes – científicos e populares – das árvores e plantas encontradas na Praça Marquês do Herval”.
O objetivo é prestar uma singela homenagem a todos os que amam a vida e a natureza. A iniciativa também procura contribuir para a preservação não apenas das espécies que embelezam e dão mais vida à praça de nossa cidade, mas também para o resgate e a conservação da memória coletiva sobre essas espécies.

Vereador Claudio pede providências


Em sessão ordinária realizada na noite de ontem (6/7), o Legislativo Municipal aprovou proposição do vereador Claudio Inhaia, “solicitando que seja designado um servidor da administração para prestar serviços de vigilância junto aos equipamentos de comunicação situados no local popularmente denominado como torre”.
A iniciativa objetiva coibir os constantes furtos e atos de vandalismo praticados no mencionado local, o que além de prejuízos materiais, vem acarretando inúmeros transtornos à população, frequentemente impedida de acompanhar a programação de tv aberta, em decorrência dessas ações criminosas em relação ao patrimônio ou interesse público.

terça-feira, 6 de julho de 2010

Um sul de progresso e solidariedade




Parafraseando Marcos Rolim, “como acredito que todas as pessoas que exercem alguma influência – ainda que seja, como eu, sobre duas dúzias de amigos – deveriam abrir seu voto, digo que já escolhi meus representantes no parlamento”: FERNANDO MARRONI para deputado federal e MIRIAM MARRONI para deputada estadual.

Fernando e Miriam: homem e mulher infatigáveis na corrida por novos horizontes de esperanças e realizações para o sul do Rio Grande do Sul.

Fernando e Miriam: duas mentes permanentemente abertas aos novos caminhos que despontam diante de nós e aportam na concretização do velho sonho de uma vida melhor para todos.

Fernando e Miriam: dois corações generosos, sempre empenhados em somar forças e semear conquistas pelos rincões que abraçam.

Fernando e Miriam: companheiros e caminho da caminhada em busca da garantia dos direitos humanos e do desenvolvimento econômico com justiça social.

Fernando e Miriam: atores políticos que desfilam há longa data pelo palco de labuta e alegria da terra hervalense e representam a certeza de que teremos voz e vez na cena administrativa regional, estadual e nacional.

Fernando e Miriam: dois astros de primeira grandeza a brilhar nos céus do nosso sul.

Juntos iluminam a vida pública e fazem chover estrelas dos olhos da gente...

Eu já escolhi e te convido a seguir comigo no rumo certo da estrada, em direção a um sul de progresso e solidariedade para todos nós. E como diria o poeta: vamos de mãos dadas.

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Do mais fundo de mim mesmo



Estive afastado de tudo e de todos. Durante algum tempo entranhei-me numa viagem longa e profunda ao interior do meu ser convulso. Quando se passa dos trinta é preciso cuidar mais atentamente da vida, ou coisa parecida, como adverte Belchior.

Exatamente por isso, andei pelechando um pouquinho nos últimos tempos...

O que não quer dizer que eu tenha jogado meu antigo ideário no lixo. Não é isso. Não me julgo nem melhor nem pior que antigamente, apenas diferente e com sede de navegar por águas mais calmas.

Na verdade, o meu contato mais intenso com a realidade que me cerca, além de alguns reveses e frustrações muito minhas, me conduziram na direção desta viagem pelos meus “interiores”.

De repente percebi que os meus óculos embaçados não mais me ofereciam uma visão clara das coisas que aconteciam a minha volta, e especialmente dentro de mim mesmo. O Toninho que andava no mundo e o mundo que andava no Toninho estavam separados por um abismo, e erguer uma ponte entre esses dois mundos já não era mais possível servindo-me de antigas interpretações.

Diante de mim, a vida seguia seu curso por estradas completamente diferentes daquelas indicadas pelos “mapas de bordo” por mim traçados para percorrê-la e eu perdido, a procura de “um trem que não passa por aqui, que não passa de ilusão”. E eu parado a pedir carona na estrada da vida, “com a boca escancarada cheia de dentes esperando a morte chegar”.

Por conta disso, fui empurrado para um longo e profundo mergulho ao mais fundo de mim mesmo, e aos poucos começo a emergir novamente. Mas as águas deste mergulho acabaram me lavando por inteiro e levando consigo um mar de antigas certezas...

É como seu eu tivesse sofrido um acidente de graves proporções, que ao invés do meu corpo, lesionou minha alma. Desta forma, me vi obrigado a nascer novamente para a vida, conservando intactas as velhas memórias e tendo que carregar sobre as costas a bagagem pesada das minhas vivências viciadas.

Muito lentamente venho reaprendendo a andar por este mundo. Disposto a seguir por novas rotas e guiado por novas bússolas. Como diria o poeta Thiago de Mello, “não, eu não tenho um caminho novo, o que eu tenho de novo é o jeito de caminhar”.

Seguidores